Episódio Dezesseis: Purple Heart Tour

33.4K 3K 16.4K
                                    

[NOTAS] Ok. Primeiro de tudo esse é o maior capítulo da fic. Acho que o maior que já escrevi pra qualquer fic, na verdade. Mas eu achei bem fluido, então espero que gostem.


TEM CENA +18 NESSE TBM! Na verdade, acho que tirando os 3 últimos capítulos em TODOS tem algum conteúdo +18. Como sempre, tá em negrito quando começa e quando termina, apesar das cenas serem bem mais leves do que costumo fazer, até pra combinar com a fic. 


AGORA UM LANCE IMPORTANTE: eu sei que sempre tem discussão de top/bottom com fic Taekook. As duas cenas principais que desenvolvi são top tae, MAS eu quero fazer ao menos uma cena de bottom Tae, porque eu acho importante pro personagem ter a experiência, até porque ele tá se descobrindo e tentando coisas novas sobre a sexualidade dele. Eu não vou julgar preferência de ninguém, nem obrigar ninguém a ler, se você não quer ler a cena, pode simplesmente pular, mas se a cena de sexo numa posição diferente for o que vai te fazer desistir da fic, eu acho melhor que desista agora. Nenhum autor quer perder leitor, mas eu também não quero mentir pra ninguém. Então se você vai deixar de ler Lucky aqui, eu agradeço por ter acompanhado a história até esse ponto <3

E PRA QUEM VAI CONTINUAR! Boa leitura, a gente se vê nas notas finais!!! 

+++++++++++++++++++++++++++++++

 JEONGGUK 


A primeira coisa que conseguimos decidir, depois de ter certeza que nada acertou a cabeça de Taehyung e garantir que Jimin e ele estavam mesmo bem, foi que não iríamos voltar pra nossa casa, pelo menos não imediatamente. Primeiro porque tinha gente demais lá, e segundo, porque Jimin insistiu para que fôssemos pra casa dele. Ele morava longe, quase saindo da cidade e o carro deu tantas voltas que eu sequer tentei me localizar. Só sabia que era longe, e era o suficiente. Tae era o único no carro comigo, e dava para sentir o medo exalar dele. Eu entendia. Além da perna, que ele machucou quando Jimin o derrubou - o tirando do caminho quando a estrutura de ferro caiu -, ele estava bem. Inteiro.

O problema foi isso ter acontecido do nada!

Não tínhamos brigado ou qualquer coisa que justificasse uma reação do universo e provavelmente por isso ele estava tão tenso, mesmo perto de mim. Talvez foi algo que eu disse? Enquanto falava com Yoongi-hyung que fez o universo reagir contra ele? Ou talvez foi a presença dos pais? O fato de Taehyung não ter se machucado talvez fosse uma prova de que o universo queria "ameaçar" os Kim e não ferir Taehyung. Ou talvez, eu realmente não era o suficiente e ele viveria com medo constante até esse pesadelo acabar. Queria que Jin-hyung ou JiSoo estivessem ali conosco, ao menos pra quebrar o silêncio, mas eles foram no último carro da empresa que saiu do estádio, com Soyeon, tentando explicar a ela o que aconteceu.

— Caramba... — Tae murmurou quando os portões de ferro da casa se abriram — É a Casa Azul?

Eu poderia apostar que sim, porque eu não lembrava a última vez que vi uma casa tão grande na vida. Eu já achava a minha e de Taehyung um exagero - e provavelmente acharia ela ainda maior depois que todo mundo fosse embora -, mas Jimin-shi vivia num palácio. Era no mínimo o triplo da nossa, além de uma área gigantesca. E um estábulo. Ele tinha cavalos em casa! Eu nem sabia que fofoca dava tanto dinheiro assim.

— Vamos fundar uma revista, Ggukie-ah?! — ele estava rindo, e o modo que disse foi fofo. Até chegou um pouco mais perto.

— Não sou um bom jornalista.

— Não precisa ser! Você pode dar sorte... e encontrar todos os segredos de todo mundo.

Ri, pelo menos ele parecia menos tenso agora.

Lucky: e o Coelho da SorteOnde histórias criam vida. Descubra agora