Episódio Um: Loteria

58.8K 5.2K 7.4K
                                    

5 ANOS ANTES

JEONGGUK

Minha sorte começou no momento que o produtor da HFC Entertainment teve a ideia de que o próximo grupo da empresa seria uma unit de dance e hip hop\rap. Eu não era tão bom em criar raps, apesar de ser rápido quando me pediam para cantar um, mas dança era algo que estudei a vida toda e isso me colocou no grupo de rookies da empresa. E me fez conhecer as duas pessoas que salvaram minha vida.

Eu estava sentado no canto mais distante do estúdio logo após o ensaio, a maioria tinha saído para comer, mas não pude ir. Não tinha dinheiro. O assunto financeiro era meu grande problema no momento, minha única refeição do dia era o jantar servido às sete pela própria empresa. Eram longas cinco horas de espera até lá. Ao menos estavam elogiando o quanto emagreci, não que isso fosse realmente um ponto positivo, eu já não conseguia acompanhar as coreografias no mesmo ritmo da maioria. Mas não havia muito o que fazer, por enquanto, minhas circunstâncias não mudariam.

— Quer? — olhei para a fatia de bolo de sorvete antes de olhar para quem a oferecia. Ergui o olhar para a dupla diante de mim, já tinha-os visto algumas vezes sempre dançando nos cantos, como se não quisessem ser vistos. Nunca os vi sozinhos, era como gêmeos siameses.

— Obrigado — aceitei. Não estava em posição de recusar nada, especialmente comida. Me surpreendi quando sentaram-se no chão comigo, cada um de um lado.

— Soyeon — a garota, que se sentou à minha esquerda, estendeu a mão para mim. Apertei antes de fazermos uma reverência desajeitada ainda sentado — Você é o "Coelho da Sorte"? — ela perguntou, não era um apelido carinhoso, na verdade era meio que uma piada com meus dentes e a "sorte" de ainda não ter sido chutado da empresa dando um rendimento tão baixo entre os rookies.

— Jeongguk — corrigi.

— Nada de coelhos da sorte? — o outro perguntou.

— Existem controvérsias sobre minha capacidade de dar sorte á alguém — ri, ele também, apesar de ficar me olhando, meio estranho. Foi sua vez de me cumprimentar.

— Yoongi — acenamos um para o outro, também. Yoongi também tinha uma fatia de bolo, Soyeon tinha o resto do bolo inteiro. Ela tinha o cabelo bem curto e as roupas mais largas, a maioria dos trainees eram homens, e talvez ela usasse isso como mecanismo de defesa. Não levavam mulheres rappers tão a sério, mas eu já tinha escutado seu free-style, e ela era das boas.

— É seu aniversário? — perguntei, Soyeon acenou que sim — Feliz aniversário.

Me senti muito desconfortável. Quer dizer, foi muito legal da parte dela me dar um pedaço do bolo de aniversário, mas eu nem a conhecia, nem ao seu amigo, não tinham porque serem legais comigo.

— Eu posso te pagar uma refeição? — voltei a olhar para Yoongi, a frase me pegou tão de surpresa que esqueci de tirar a colher da boca. Soyeon começou a gargalhar o que não ajudou em nada.

— Tudo bem — respondi e Soyeon parou de rir.

— Ele disse que sim?

— E por que ele diria que não? Não posso fazer novos amigos? — começaram a trocar olhares raivosos.

— Vocês não vão discutir, certo? — olhei de um para o outro até pararem com os olhares homicidas.

— Quer mais? — Soyeon colocou o bolo sobre minhas pernas.

— É... sim? Obrigado — começamos a comer direto do bolo, e bem rápido já que o relógio no meio da sala já indicava as 16hrs e em menos de uma hora haveria mais ensaio.

Lucky: e o Coelho da SorteOnde histórias criam vida. Descubra agora