Episódio Vinte e quatro: Ainda com você

26.6K 2.4K 14.6K
                                    




[NOTAS] Ainda tem alguém que vai ler isso aqui?

Se ainda tiver, eu agradeço mesmo. Pensem que já vai acabar, falta só mais dois! Ainda tem um epilogo/capitulo especial, mas o arco fecha nos dois próximos capítulos. Nem acredito que vou dar tchau pros bebês logo.

Tem duas cenas de sexo nesse capitulo, eu tava lendo o capitulo da primeira vez deles, e alguns acharam pesado (e eu jurando por deus que não tava kkkkk me achando a mais leve das smuteras) então eu tentei fazer algo mais simples mas cenas desse aqui. Se deu certo, eu não sei, mas eu tentei MESMO. Eu tentei que fosse mais sobre o que eles sentem e como eles confiam e gostam um do outro.

As cenas como sempre tão marcadas em negrito de onde começa e termina e dá pra pular tranquilamente.

Ah e tem uma coisa, tem uma cena jk top (eu avisei que iria fazer uma) e eu acho que ela é bem diferente do que eu costumo fazer, primeiro pq eu fiz baseado nos relatos da primeira vez de dois amigos meus que quando eu combinei as historias achei que parecia com o Tae, confuso e atrapalhado, mas ainda fofo.

Enfim, é isso. Espero que gostem. Amo vocês


+++++++++++++++++++++++++++


JEONGGUK

— Então, era assim no seu sonho? — perguntei, Taehyung parecia muito interessado enquanto eu "realizava" seu sonho, o que não era exatamente a experiência romântica que achei que teríamos no nosso aniversário de namoro – infelizmente pra mim, ainda um namoro falso -, mas não era tão ruim quando podia parecer — Já tá quase no final do pote de... O que é isso mesmo?

— Óleo pós-banho. Mas tá funcionando... Sei que é meio estranho, mas você estava totalmente besuntado no sonho. Era brilhante e oleoso igual um frango frito — gargalhei alto, quase derrubando o pote no chão.

— Você não vai fazer sexo comigo depois de me chamar de frango frito!

— Tá, foi uma má escolha de palavras — parou pra pensar um pouco — Um coelho na manteiga.

— Você é horrível... Tem sorte de ser tão bonito — o comentário não abalou nem um pouco sua confiança no "coelho na manteiga", sua expressão parecia bem satisfeita com o apelido.

— Ah, e você estava com as orelhas de "Coelho da Sorte" também — eu estava tentando não rir da cara dele e nem de mim mesmo enquanto ainda me besuntava para o meu namorado como no sonho não-erótico que ele teve comigo. E ele realmente jurava que não houve nada sexual quando sonhou comigo, repetidas vezes, com fantasia de coelho e coberto de óleo.

— Cê' tem de admitir que isso é esquisito.

— Não... — ele falou, fazendo bico. E Kim Taehyung fazendo bico devia ser um crime contra a humanidade. Foi com aquela mesma cara que ele me convenceu a me besuntar pra começo de conversa então era difícil até argumentar enquanto ele parecia tão fofo assim — Você nunca teve sonhos assim comigo?

Nem precisei parar pra pensar nisso para saber a resposta. Meses atrás toda a ideia de fantasias sexuais com Taehyung parecia ridículo, talvez porque meses atrás eu nunca pensei em realmente transar com ele, mas precisou de uma noite de sexo e um mês longe dele pra que eu virasse um moleque virgem de quinze anos que se masturba mais do que seria normal.

Eu me peguei lendo as histórias de Seokjin e criando fanfics na minha cabeça antes de dormir, e quase todas minhas historinhas eram sexuais. Algumas eu ainda tentava pensar em algo fofo antes, como um dia normal das nossas vidas, porém a vergonhosa maioria Tae era o garoto da assistência técnica da internet ou a mais recorrente: o entregador de pizza que "entregava a comida e vinha me comer", igual num pornô tosco com zero orçamento.

Lucky: e o Coelho da SorteOnde histórias criam vida. Descubra agora