Episódio Dezoito: Passado e Presente pt.1

26.3K 2.9K 15.1K
                                    


[NOTAS] oi, gente

Feliz natal! Espero que considerem isso como um presente, mesmo que bem... seja só Lucky.

Eu to meio triste com tudo e ia excluir a fic, mas eu resolvi dar uma chance. Ela não ta mais no spirit, tá só por aqui agora :c eu to num momento difícil com o que escrevo e com o que sinto. Se puderem ser gentis com o capitulo hoje, eu vou agradecer <3

Lembrando que na parte +18 tem marcação de onde começa e onde termina. Não esperem nada muito pesado também, acho que já deixei claro como a fic é kkkk e não é o lemon principal tbm, não deu pra colocar tudo que queria pra esse capitulo, eu fiquei mal antes de concluir :c

Mas enfim, espero que gostem!

Feliz natal! Amo vocês! Até o ano que vem, eu espero <3


++++++++++++++++++++++

JEONGGUK



Parte de mim queria gritar com Jaejoong. Outra parte queria acertar o soco que não lhe dei quando postou minhas fotos na internet. Mas a maior parte de mim estava sem reação, apenas observando enquanto Taehyung trocava de roupas para o compromisso que ele não lembrou que tinha. Jin-hyung entrou no quarto, trazendo Jiji e Tannie, que se enrolaram juntos na almofada para dormir novamente.

— Eu volto em três horas, prometo — Taehyung disse, uma das stylists entrou para ter certeza que a maquiagem que ele colocou no próprio rosto estava boa o bastante — Tinha esquecido totalmente dessa entrevista... — um operador de câmera entrou junto com uma das produtoras americanas. O vídeo iria para o dvd da turnê. Junto da porta, eu ainda podia ver Jaejoong parado.

— Jeongguk-shi, diga sobre os planos de vocês pra folga do Taehyung-shi — a produtora pediu com um coreano enrolado, olhei na direção dela, Jaejoong moveu-se mais para dentro do quarto — Jeongguk-shi... — Por que ele tinha que ser o gerente de Taehyung? Era impossível que fosse coincidência — Jeongguk-shi?

— Ggukie-ah? — olhei na direção de Taehyung quando me chamou — Tudo bem?

Olhei pra Taehyung e havia uma câmera a meio metro do meu rosto. Não estava tudo bem, mas eu precisava dizer que sim, então sorri.

— Eu ainda estou com sono — ri, puxando Jiji a contragosto pro meu colo pra que pudesse usá-la como distração, felizmente ela não reclamou, se aconchegando em meu colo — Jetleg... É- Nós vamos visitar meu avô. No Texas. Vai ser só nós dois — menti, porque Jin, JiSoo e os filhotes também iriam, mas eu não queria dar brecha pra me convencerem a levar uma equipe técnica junto.

Sustentar a expressão calma foi complicado e não sabia dizer se estava aliviado quando a equipe começou a sair. Jin iria com Taehyung. Jaejoong ficaria pra trás. Era uma boa chance para confrontá-lo e ao mesmo tempo eu não me sentia pronto pra isso.

— Podemos sair amanhã se eu chegar muito tarde — Taehyung disse, o quarto vazio de novo, mas a equipe estava no corredor o esperando. Coloquei Jiji na cama e me levantei para abraçá-lo. Eu podia dizer naquele momento, fazer Taehyung gritar com aquele desgraçado em meu lugar e humilhá-lo diante de todo mundo. Era o que ele merecia. Mas não consegui dizer nada além de:

— Seria muita sorte ser uma ótima entrevista. Não demore, eu quero mesmo ir na boate... dançar músicas velhas da Lady Gaga — em vez de aceitar meu abraço, Taehyung me beijou. Ele não costumava me beijar com muita vontade quando Jiji e Tannie estavam por perto porque ficava com vergonha, mas ele o fez dessa vez e esqueci por um segundo da sensação horrível que estava me consumindo por dentro.

Lucky: e o Coelho da SorteOnde histórias criam vida. Descubra agora