15 - O universo tem seus renegados

60 4 0



O universo tem seus renegados. E eu estava nesta lista e tudo isto começou naquela fatídica noite em que terminei me apaixonando sem querer. Eu não era essa menina que estava demonstrando para todas as pessoas. Eu era alegre, energética, interessante, interessada em coisas legais e diferentes, eu era uma menina que tinha conteúdo. Eu não era essa menina vazia que saiu de um filme de besteirol americano. O desespero para me encontrar era enorme, não queria um amor. Eu realmente não queria. Várias pessoas estão por ai à procura de alguém para amar, para chamar de seu. Não era o meu caso. Eu só queria sossego e continuar sendo Lorena.

Bem, neste momento eu só queria atacar o meu sutiã e ficar em paz com os meus pensamentos.

O menino da festa estava sentado do meu lado, só que tinha algo de errado, pois ele estava suando e parecia não conseguir respirar direito. Ele havia deixado uma sacola de algo no chão do ônibus.

- Só um momento – ele falou para mim e depois apoiou o seu rosto no assento da frente.

- Ele está bem? – Escutei alguém perguntando para mim.

- Não sei – disse com medo. Olhei para o menino com pesar.

- Ele veio correndo de tão longe para pegar o ônibus – a pessoa me disse. – E esta linha nem demora tanto para passar.

- Assunto urgente – ele disse puxando o ar com dificuldade. Colocou a mão no bolso e retirou de lá uma bombinha para asma.

Ahh. Ele também era um renegado do universo.

- Não deixe os assuntos urgentes te matar. – Eu disse e aproximei os meus braços de meu corpo.

Depois de algum tempo ele estava melhor.

- Desculpe por isto – disse ele. No canto de seus lábios um meio-riso constrangido.

- Ahh, não se preocupe. Sério mesmo. – Quase levanto o meu braço e isso fez o sutiã afrouxar um pouco.

Estava contando os segundos para sair daquele local.

- Algumas coisas só aparecerem uma vez na vida. Veja bem... Uma oportunidade que nunca antes havia acontecido, e que você queria muito algo assim. Você deixa passar? – Ele me olha compenetrado.

- Sim, se fosse me matar. Eu deixaria passar.

- Eu não sou esse tipo de pessoa. Sabe aqueles meteoros que passam pela terra e depois só irão passar quando você é velhinho, ou quando você já estiver morto? Isso é uma oportunidade. Elas são meteoros raros, ou seja, quando aparecer você deve aproveitar ao máximo, ou então, você irá passar o resto da vida se lamentando pelo que você não viveu.

- Uau... – Digo.

- Eu sei. Soa incrível.

- Principalmente vindo de você – digo embasbacada. – Toda aquela estória de peitos, elevador... E agora meteoros, analogia...

- Eu sei. Sou incrível. – Ele sorri e eu termino sorrindo junto.

Levo um susto quando vejo que a parada está extremamente próxima.

- A parada! – Digo algo o suficiente para fazer com que ele tenha outro ataque asmático, porém, fico agradecida ao universo, ele não tem. Ele só se assusta e puxa o sinal com toda a força do mundo, até que a corda quebra, e, então eu praguejo com raiva do universo.


Como Deixar de Amar o Seu Melhor AmigoLeia esta história GRATUITAMENTE!