Capítulo XXIII (parte 1)

1K 100 43
                                              

_ Oi, pimentinha. _ cumprimentou Lizzie ao entrar no quarto que os gêmeos estão hospedados.

_ Oi, Honey _ disse Fred da cama, com uma voz arrastada.

   Elizabeth foi até ele e se sentou, jogando uma perna pra cada lado, ficando em cima da coxa do ruivo. Fred arqueou a sobrancelha.

_ Não comece algo que não vai terminar, minha querida.

_ Qual é Freddie! _ falou manhosa _ eu só quero me divertir um pouquinho. _ disse fazendo bico _ Eu senti sua falta. _ falou se inclinando até sua boca e a beijando.

   Weasley segurou sua cintura e ambos iniciaram um beijo caloroso e nostálgico. As mãos de Fred deslizavam pelo corpo de Lizzie e se encaixavam de maneira surreal com cada curva. Com um certo tempo, o beijo começou a ficar mais desesperado.

   Entretanto, Fred começou a apertar a cintura de Lizzie com muita força, estava começando a machucar e a mesma interrompeu o beijo.

   Assim que olhou para o rosto de Fred percebeu que tinha algo estranho; ele estava meio pálido, seus lábios estavam roxos e sua respiração estava desregulada.

_ Honey, você me deixou sem fôlego... Literalmente.

_ Ah meu Deus! Eu te machuquei!? _ Exclamou enquanto passava a mão pelo rosto dele pra ver se tinha algum hematoma.

_ Eu tô bem _ falou segurando os pulsos trêmulos de Lizzie _ estou inteiro, meu anjo, não se preocupe. _ assim ele deitou o rosto preocupado de Lizzie em seu peito.

_ Eu suguei o ar dos seus pulmões, Fred _ Elizabeth disse se levantando e ficando sentada _ não devia continuar a gostar de mim!

_ Gosto de mulheres perigosas, Black. _ revelou o Fred.

   Em seguida se sentou também e pôs uma mecha do cabelo da dama atrás da sua orelha, na intenção de ter uma melhor visão do seu rosto.

_ Eu estou tão incerta! Tão instável e... e... Eu não costumo ser assim... Só não quero te machucar de novo. _ seus olhos estavam marejados com tal confissão.

_ Me deixa ser sua certeza, Elizabeth... Quero ser seu chão... _o rapaz diz entrelaçando seus dedos com os Black.

_ Não preciso um namorado agora. _ fala enxugando os olhos úmidos.

_ Eu posso ser o que você quiser, o que precisar... Amigo, namorado, ficante, parceiro, colega... Só me deixe por perto, Honey. _ disse a trazendo pra seus braços, Lizzie não lutou contra, apenas balançou a cabeça.

***

   No dia seguinte Elizabeth estava se sentindo melhor. Estava indo para a cozinha, mas então avistou Harry próximo ao saguão de entrada. O garoto parecia um tanto irritado.

   Um lado de Lizzie dizia para ela deixar pra conversar com Harry em outra oportunidade, mas a outra parte a dizia: é agora ou nunca. Visto que sempre que ela tentava se aproximar ele desviava ou corria para o lado contrário.

_ Potter! _ disse se aproximando.

_ Cuide da sua vida, Black. _ falou tentando se desvencilhar da garota.

   OK, a resposta dele pode ter acendido algo em Lizzie.

_ Que foi? Problemas no paraíso, Harry?

_ CALA SUA BOCA! Você não entende!! _ exclamou Potter.

_ Não entendo o que? _ pergunta sarcástica _ Como um idiota como você veio parar aqui?

_ Qual é o seu problema comigo, sua garota chata!? _ ele grita.

_ Meu problema?!_ Elizabeth fala irritada _ MEU PROBLEMA É VOCÊ! O fato de todos aqui _ ela aponta a estrutura a sua volta _ estarem ajoelhando em milho por sua causa e ainda sim você mente pra eles! _ Harry ficou calado _ Meu pai vive pra impedir um retardado como você de fazer merda!

Elizabeth Black - A herdeira BlackOnde as histórias ganham vida. Descobre agora