Capítulo XXIX

1.1K 89 152
                                              

⚠️ ATENÇÃO  ⚠️

ALERTA DE GATILHO: Luto e morte

☁︎☁︎☁︎

   Barulhos ecoaram e automaticamente eu coloquei todos que pude atrás do meu corpo antes de sermos envolvidos pela escuridão.

   Sons de varinhas caindo, risadas, mãos prendendo meu corpo...

   Meus olhos se acostumaram com a luz e todos nós estávamos sendo segurados por comensais, exceto Harry.

_ Entregue a  pra mim e nós não machucamos seus amigos. _ falou Malfoy.

 Harry olhou diretamente para mim.

 Pense em um plano de fuga. Rápido!_ era o que seus olhos diziam.

_ Leve se quiser. _ digo e o homem vira sua atenção para mim, Potter franze o cenho _ Seu Lorde vai amar saber que você chegou lá com a profecia errada.

_ O que essa pirralhinha tá dizendo? _ falou a voz aguda de uma mulher que está segurando Neville.

_ Também constaria de saber, Bella.

Bellatrix Lestrange.

Ela está na tapeçaria Black.

_ Solte a todos e eu lhe entregarei a profecia que realmente interessa _ ele olhou com cara feia _ estamos sem nossas varinhas, não é como se pudéssemos controlar o vento. _ dei um sorriso debochado, embora ele não reconhecesse o motivo.

   Nos soltaram mas ainda mantinham varinhas viradas para nossos pescoços.

_ Onde está a profecia verdadeira? _ele questionou.

_ Tá aqui. _ falei colocando a mão na minha bolsa e tirando minha profecia dela.

_ Muito bem, agora venha aqui e me entregue. _ estendeu uma das mãos depois olhou para Harry e estendeu a outra_ as duas.

   Harry deu um aceno sutil e entregou a sua profecia. Sabia que devia quebrar a dele no momento certo.

   Caminhei devagar na direção do homem loiro. Minha profecia a centímetros da mão dele, não tinha a intenção de dá-la.

_ Opa! _ falei fazendo com que ela “escorregasse” da minha mão.

_ Ela estava mentindo, Lúcio! _ berrou Bellatrix.

   Bati minha mão no pulso de Malfoy fazendo com que a esfera de Harry se espatifasse no chão.

   E em uma sincronia perfeita os membros da Ordem da Fênix apareceram, inclusive Sirius, são e salvo.

  Eles começaram a disparar feitiços contra os comensais da morte, peguei minha varinha no meio da confusão e fui ao encontro do meu pai.

_ Saia daqui, Elizabeth! _ falou segurando meus ombros assim que me aproximei.

_ Expelliarmus! _ gritei para um comensal que ameaçou atacar meu pai pelas costas.

_ Muito bom_ ele virou para trás para ver o estrago. _ Fique perto, então.

_ Cubro suas costas. _ falei sorrindo.

   Derrubei e me defendi de vários bruxos que tentaram me atacar. Papai deveria estar orgulhoso do trabalho que fizera comigo.

_ Avada Kedavra! _ essa voz...

A mesma voz aguda e fria que ouvi no ataque do dementador.... A mesma que minha mãe ouviu antes de morrer...

   Me virei para ver o que aconteceu e meu pai estava a dois paços de mim, me dando um sorriso suave mas seus olhos estavam vazios...

   Bellatrix exibia seus dentes podres em uma risada alta e irritante.

   Papai deu um passo pra trás, na direção do portal.

  Eu fui o seguindo como um ímã, tentei segura-lo pela corrente do relógio de bolso mas a corrente se rompeu, o relógio ficou em minha mão e ele mergulhou no véu.

Nesse momento percebi que se ele estivesse indo para o inferno, eu iria atrás... Mas braços gentis e fortes me seguraram, impedindo de segui-lo.

Então um filme rápido começou a passar pela minha mente; Sirius entrando na porta de casa... O primeiro feitiço que ele me ensinou... Todas as vezes que ele esteve do meu lado... Nós dois dançando juntos... As festas do pijama... A catástrofe que ficava a cozinha depois que a gente cozinhava...

Sirius Black, meu pai... Morreu.

Ele não se foi, porque desse jeito poderia voltar. Mas eu nunca mais o abraçaria, nunca mais ouviria sua risada, nunca mais ouviria histórias sobre sua juventude e seus amores com minha mãe, nunca mais conversaríamos sobre qualquer coisa, nunca mais... Não é possível que eu tenha conhecido meu pai só pra vê-lo morrer na minha frente...

Senti como se tivesse uma tonelada sobre meu peito. Minha visão estava completamente embasada pelas lágrimas. Respirar ficava difícil. Um nó se fez em minha garganta e eu queria gritar.

Então grite _ disse uma voz no meu subconsciente.

_ AAAAAAAAHHHRRRR _ Urrei com todas as minhas forças. Um grito agourento e agonizado, assim como minha alma.

   Meus joelhos fraquejaram e uma explosão de magia varreu tudo a minha volta por metros. Vinha de mim.  

   Me encolhi no chão, puxei os joelhos ao peito, para afastar aquela dor implacável

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

   Me encolhi no chão, puxei os joelhos ao peito, para afastar aquela dor implacável.

***

   Fiquei por lá por minutos, horas, uma eternidade? Não me importa. Ainda sentia a mão de Tonks acariciando minhas costas gentilmente.

   Lupin chegou, e só percebi que era ele pela voz me chamando. Devia me levantar pois os aurores estavam chegando e tínhamos que sair dali. Juntei meus cacos e me levantei.

   Fomos até uma lareira e Remus jogou um pouco de pó de flu nela.

_ Vamos pra casa. _ ele disse.

Minha voz se recusava a sair mas ainda sim insisti, para poder dizer a ele.

_ Não quero ir pra casa. _ não estou pronta pra aquilo.

_ Muito bem então. _ ele me lançou um sorriso acolhedor, mas eu infelizmente não pude corresponder.

Remus estendeu a mão, eu segurei nela e entramos na lareira. Lupin falou alto e claro.

_ A Toca!

☁︎☁︎☁︎

𝑵𝒂̃𝒐 𝒑𝒂𝒈𝒐 𝒕𝒆𝒓𝒂𝒑𝒊𝒂 𝒅 𝒏𝒊𝒏𝒈𝒖𝒆𝒎, 𝒕𝒐̂ 𝒕𝒂̃𝒐 𝒒𝒖𝒆𝒃𝒓𝒂𝒅𝒂 𝒒𝒖𝒂𝒏𝒕𝒐 𝒗𝒄𝒔. 𝑪𝒉𝒐𝒓𝒆𝒊 𝒆𝒔𝒄𝒓𝒆𝒗𝒆𝒏𝒅𝒐 𝒆𝒔𝒔𝒆 𝒄𝒂𝒑.

𝑴𝑼𝑰𝑻𝑶 𝑶𝑩𝑹𝑰𝑮𝑨𝑫𝑨 𝑷𝑬𝑳𝑨𝑺 𝑴𝑨𝑰𝑺 𝑫𝑬 2800 𝑽𝑰𝑬𝑾𝑺 𝑨𝑨𝑨𝑨𝑨𝑨𝑨𝑨𝑨𝑯 🥰🥰🥳🥳🥳❤️❤️

𝑫𝒆𝒊𝒙𝒆𝒎 ⭐

𝑿𝑿💕

Elizabeth Black - A herdeira BlackOnde as histórias ganham vida. Descobre agora