Capítulo XXVIII

930 84 48
                                              

~Elizabeth on~

Eu reconheço esse lugar... Já o visitei muitas vezes em meus sonhos...

"Departamento de Mistérios"_ disse a voz irritante do elevador se abrindo novamente.

_ Harry! _ corri para abraça-lo e ele correspondeu ansioso. _ Trouxe uma tropa com você. _ digo olhando pra rostos conhecidos e novos.

_ Ah! Lizzie, esse é Neville Longbottom e Luna Lovegood. _ apontou para um rapaz alto e gorducho com olhos atentos e uma garota de cabelos loiros e olhos curiosamente e calmos.

_ Qualquer um que ajude a salvar meu pai é meu amigo também. _ falo apertando as mãos deles.

_ Como assim? _ perguntou Neville.

_ Longa história... _ concluiu Hermione. _ o que aconteceu com seu cabelo? _ questionou apontando para uma mecha vermelha que saiu do capuz sem que eu percebesse.

_ Longa história. _ Gina comentou com um sorriso.

_ Vamos, não temos tempo a perder. _ digo caminhando pelo longo corredor que desta vez é real...

Harry deu uma leve corrida para me alcançar ao longo do espaço.

_ Não achamos você lá em cima, pensei que...

_ Vocês demoraram, eu não podia ficar parada então comecei a procurar pelo Departamento de Mistérios. _ disse o interrompendo, e Potter apenas acenou com a cabeça.

Minha mão tocou a maçaneta, o ferro frio beliscou minha mão quente e suada. Girei e abri.

Entramos em um salão circular, iluminado por luzes azuladas com outras dezenas de portas iguais. Poderíamos demorar horas se não dias para achar qual meu pai está. Harry olhou pra mim e pude perceber que pensamos a mesma coisa.

Já íamos começar a testar, uma por uma, até que me surgiu uma ideia. Nunca fiz isso mas pode dar certo. Dumbledore falou que eu conseguiria fazer se me dedicasse.

_ Harry _ falei segurando seu braço, antes que ele abrisse a porta a sua frente _ Eu tenho uma ideia.

Peguei a garrafa d'água na minha bolsa e joguei toda a água no chão.

_ O que ela tá fazendo? _ perguntou Ron para si mesmo.

Me ajoelhei na poça que se formou no chão, coloquei a mão direita na água e ergui a esquerda para Potter.

_ Eu vou ser um condutor pra sua memória. Pense com todas as suas forças, cada detalhe de onde você viu Sirius.

Ele segurou minha mão e eu inspirei fundo, me concentrando.... Vi flashes; uma sala grande com centenas de prateleiras que iam do chão ao teto. As prateleiras estavam repletas de globos transparentes, com algum tipo de fumaça dentro, então... abri os olhos.

Da poça agora havia formado uma linha fina de água, de onde estávamos até uma porta. Harry me olhou perplexo, imagino que os outros deviam estar me olhando assim também.

_ É aquela porta. _ disse me levantando e caminhando na direção da mesma sentindo os olhares queimarem na minha nuca.

Girei a maçaneta e abri a porta sem cerimônias. Era extremamente como parecia nos flashes. Dei espaço para que Potter entrasse primeiro.

Começamos a procurar onde papai estaria no minuto que a porta atrás de nós se fechou num baque seco. Todos sacaram as varinhas e eu fiz o mesmo.

Corredor após corredor e nada, silêncio. Harry e os outros continuaram a caminhar para dentro mas eu me detive em uma prateleira.
Por que um daqueles globos tinha meu nome?

Elizabeth Black - A herdeira BlackOnde as histórias ganham vida. Descobre agora