Cap-29

2.3K 213 23

Cap 29

Pov Gustavo

Os dias foram passando e Lorena praticamente se mudou para meu apartamento, mão por vontade própria, e sim porque eu não quero que ela fique sozinha em seu apartamento. Então eu a trouxe pra morar aqui comigo. Resolvemos deixar pra alugar seu apartamento depois.

Agora estou deitado e vendo ela andar de um lado para o outro, enquanto come um bolo, com sorvete.

- porque está tão nervosa assim? - pergunto a encarando, que para de andar e me encara.

- eu tenho todo o direito de estar assim, amanhã iremos contar a todos que vamos ter um bebê, além de termos mais uma consulta, eu só estou com medo- ela fala, e volta a andar, eu me levanto e pego o preto que estava o bolo, o coloco na cama e me abraço.

- vai ficar tudo bem, você vai ver. Não precisa ficar assim, todos vão adorar a notícia, você vai ver.

- eu sei, só que... Iremos falar que vamos formar uma família, tem os seus sobrinhos que provavelmente irão fazer alguma piada.

- não se preocupe com isso amor, todos vão amar nosso bebê, e você tem que ficar calma.

- tudo bem, você tem razão- fala apertando o abraço, e começo a mexer em seu cabelo, e depois nos deitamos na cama.

                        <¥>

Nos beijamos, e logo o beijo vai se transformando em algo a mais, e não para por aí, logo estamos nos amando.

Vou descendo meus beijos, até chegar sua barriga.

- oi meu amorzinho, aqui é o papai e quero te falar que já te amo muito viu, mesmo sem te conhecer, eu já te amo. Você é a prova do meu amor pela mamãe e nos te amamos muito.

Mais você também terá uns primos que não são muito normais, uma tia maluca, mas não se preocupe com isso, porque o papai vai te ensinar a lidar com eles, não se preocupe com isso, amo você.


Esse virou um dos meus momentos favoritos, falar com o bebê, mesmo ele estando pequeno, e nem se mexe ainda, mais porra, é meu filho e eu o amo mais que tudo.

- ah Gustavo, você vai me fazer chorar desse jeito- levanto meu rosto e vejo sinais que ela está pra chorar, os hormônios.

- se você quiser chorar, pode chorar- aliso seu rosto e em seguida a beijo, enquanto minha mão vai para seu ventre, e o aliso.

Depois de alguns minutos voltamos a nos amar, bendita gravidez, pois a Lorena está com um apetite sexual que meu Deus, e não sou louco pra reclamar, pelo contrário, estou adorando isso, e claro que saciando minha mulher.

- amo você- ela fala, depois que sua respiração está normal.

- eu também amo você- e penso que está na hora de dar mais um passo em nossa relação, de realmente construir uma família com ela, do jeito certo, como tem que ser, só que preciso do momento certo pra isso. Pois não quero demorar muito pra que ela carregue meu sobrenome, e seja de fato minha mulher.

Minha tentação, meu amor ConcluídaLeia esta história GRATUITAMENTE!