Cap-28

2.7K 215 27


boa leitura, espero que gostem.

xxxx

Cap-28

Pov Gustavo

Porra, eu não acredito que eu serei pai, olhar aquele monitor e ver aquela imagem, ouvir o coraçãozinho do meu filho, será algo que eu jamais irei esquecer. Porra, meu filho, eu não acredito nisso.

- você está tão distante, está tudo bem? _ Lorena me pergunta, enquanto coloca uma mão na minha perna.

- eu só estou pensando no que está acontecendo, nosso bebê Lorena, ouvir o coraçãozinho dele foi indescritível.

- sim com certeza foi sim um momento inesquecível _ fala e leva suas mãos em seu ventre, onde nosso pequeno está sendo gerado.

- você tem preferência de sexo? _pergunto, já que estou vendo que ela está mais acessível a gravidez.

- eu prefiro um menininho, assim como você_ fala, e me olha sorrindo- e você?

- eu também quero um menininho, porque não sei se serei um bom pai de menina, eu sou capaz até de colocar um chip lá naquele lugar, pra apitar caso algum idiota seja atrevido o suficiente.

- isso tudo é medo de fazerem com sua filha o que você fez com a filha dos outros - fala sorrindo, e acho que é isso mesmo, afinal, porra, já fui pra cama com inúmeras mulheres, e não quero isso pra uma filha.

- agora você tá me deixando assustado, que seja um menino - falo quase em desespero.

- calma Gustavo, você está entrando em pânico- fala me olhando.

- calma? Como você quer que eu tenha calma? Porra, eu posso ter uma filha. eu vou morrer antes dos cinquenta anos, por causa de um ataque cardíaco- eu realmente estou tento um ataque de pânico, como eu vou ter uma filha?

- ei, pelo amor de Deus, pare com isso amor, eu ainda estou no início da gravidez, ainda terá muito tempo, para que possamos descobrir o sexo do bebê- fala e pega a minha mão e faz um carinho.

- não brinca comigo Lorena, eu estou falando sério_ eu dirijo- você vai querer mesmo trabalhar hoje?- eu lhe pergunto.

- sim, eu estou bem, e posso perfeitamente bem, para trabalhar.

- tudo bem, mas se você sentir qualquer coisa, me liga imediatamente, que eu vou lá te buscar- falo pra ela e ela balança a cabeça concordando com o que eu falo, se antes eu já era super protetor com ela, agora que serei mais ainda, afinal, ela está carregando meu filho no ventre. E quero que os dois fiquem bem.

- pode deixar Gustavo, qualquer coisa eu irei te avisar sim, e não se preocupe, porque hoje meu dia não estará tão cheio, seu sobrinho resolveu não me fazer de escrava hoje.

- e isso é algo que terei que resolver, eu não quero você se estressando tanto, irei falar com ele, para que ele não te deixe tão sobrecarregada assim.

- não é preciso amor, além do mais. Por enquanto eu não quero falar que estou gravida, prefiro deixar completar as doze semanas, e já está bem perto, pode esperar para contar a Victoria que você vai realizar o sonho dela?- pergunta sorrindo.

- ai meu deus, eu não tinha pensado nisso, é definitivamente, eu estou ferrado- falo, e ela me olha sorrindo.

Ficamos conversando mais um pouco, até que chegamos ao escritório do Lucas, saio do carro, pego a mão de Lorena.

- você não precisa entrar- ela me fala, enquanto esperamos, para poder entrar no local.

- é claro que eu vou entrar, quero poder aproveitar todos os momentos com você, ou melhor, com voces dois- falo, entramos no escritório, cumprimentamos algumas pessoas, entramos no elevador, e ela aperta o botão do ultimo andar, e nos andares seguintes pessoas entram, saem e dou graças a deus quando chegamos ao andar que Lorena fica, saímos e vejo a praga do meu sobrinho.

Minha tentação, meu amor ConcluídaLeia esta história GRATUITAMENTE!