O que passou

40 2 0
                                    

6

          Eastar saiu do banho e secou o cabelo, seu banheiro era confortável, paredes brancas e uma cabine de vidro com uma espécie de cano com vários furos que captava água através de um sistema de bombeamento, desde que descobriu aquilo, ele vinha gostando da sensação de se lavar, já que no planeta, toda essa coisa de suor e sujeira era incômodo. Se olhando no espelho, com a toalha amarrada na cintura, ele viu os cabelos mais curtos e completamente desgrenhados, a princesa havia insistido em mandar criadas para terminar de cortá-lo. Era meio estranho, mas ele achava que conseguiria se acostumar.

          Seguiu andando para o quarto, jogou a toalha em cima da cama e foi até o armário. Sindar havia dito que iriam sair naquela manhã para um passeio e que ela iria aproveitar para lhe mostrar a cidade. Estava ansioso por isso, o que era estranho. Ele se sentia um tanto idiota desde que a beijara, e agora poder passar o dia com ela sem ter que pensar em mais nada parecia algo incrível.

          Por dois dias ele não tivera tempo para relaxar, com o pai forçando-o a treinar e aprender a usar as armas terráqueas o mais rápido possível, mas hoje, ele queria aproveitar ao máximo. Pegou uma camisa branca sem mangas com aberturas grandes nas laterais para os braços, era leve e fresca, ele odiava roupas desconfortáveis, vestiu junto a uma bermuda de lã.

          Terminando de se arrumar, seguiu em direção aos aposentos da princesa. Quando achou a porta certa, bateu.

          — Quem é?

          — Eu.

          — Ah, sim. Entre, Eastar.

          Ele abriu a porta e quase gritou de surpresa, arregalou os olhos e ficou sem reação com a boca aberta. Sindar estava de costas para ele com dois vestidos na mão, tentando decidir entre um e outro. Nada demais se ela não estivesse quase nua, vestindo apenas um sutiã e uma calcinha brancos, com os cabelos longos e ruivos ainda úmidos e grudados em suas costas. Ela virou o rosto e sorriu.

          — O que foi? Parece até que nunca viu uma mulher na vida.

          — Você... caramba. Você faz isso de propósito, não é? — Ele estava brilhando e tentou se controlar.

          — Do que você está falando?

          — Isso... — Balançou os braços na frente do corpo, como se apontasse para toda a princesa. — Agir assim.

          — Quer dizer te provocar? Sim. É divertido te ver ficando azul.

          Ele percebeu que o quarto já estava quase todo azulado e respirou fundo para se controlar. Ela piscou para ele e voltou aos vestidos.

          — Qual você prefere, esse azul ou o cinza com folhas verdes.

          — Sinceramente? Por mim poderia continuar assim.

          — Ah, não, para você é um pouquinho de cada vez.

          — Então isso quer dizer que verei mais até amanhã?

          Sindar olhou para ele com surpresa percebendo que havia posto o pensamento em palavras, então fechou a cara.

          — Eu não vou responder isso. Vamos, escolha um.

          — Bem, ah.... Não sei, o azul?

          — Ótimo. — Ela virou a cabeça com um pequeno sorriso para ele. — Irei com o cinza.

A Crônica de EastarOnde as histórias ganham vida. Descobre agora