VOLUME 2 - Cidade Agitada

6 1 0

Capítulo 1

          Era estranho ver o grupo sem Aros, pois sempre se espera uma figura imponente que vá à frente dos outros, e o comandante era essa pessoa até a medula dos ossos.

         Vê-lo em seu cavalo, com as costas eretas, as roupas com cores berrantes, falando e rindo com a voz grossa e clara que tinha, dava uma temática diferente para a viagem.

          Naquele momento, Eastar só sentia o peso da tarefa que o pai havia lhe passado. De repente, aquelas "férias no planeta" haviam tomado uma proporção imensa. Aquela responsabilidade não estava em seus planos, ele nem se quer era um legionário. O que poderia fazer para ajudar os terráqueos?

          — Uma moeda por seus pensamentos. — Jaime encostou ao lado do cavalo de Eastar.

          — Moeda?

          — Sim, ué.

          — Ele provavelmente não sabe o que é uma moeda, Jaime — disse Sindar, acompanhando-os pelo outro lado do jovem.

          — O quê?

          — Tem algumas coisas básicas que ele simplesmente não conhece. Explico algumas e mostro outras, mas é impressionante a falta de conhecimento dele. Apesar de ele jurar que estudava com a mãe a nosso respeito.

          — Isso é... — Jaime olhou para o estelar, que tinha um sorriso meio envergonhado no rosto. — Bem, não é nada demais, já que é a primeira vez que você vem aqui.

          Eastar assentiu e ficou mais confiante.

          — Então, o que é moeda?

          — Moeda é algo que usamos para comprar coisas. É o que chamamos de dinheiro... — Ele parou, confuso. — Como você fez pra passar todo esse tempo em Londrian?

          — Ele não gastou nada, é impressionante como estelares não precisam de nada pra viver. Enchi o guarda-roupa dele, demos a comida que quisesse e, pronto, ele não fazia mais nada além de treinar e... ah, sair comigo.

          Eastar riu, malicioso, da última parte.

          — Oh! Eu queria essas mordomias. — Jaime disse.

          — Pessoal. Quietos. Venham aqui. — Edwin sussurrou.

          Os três olharam para a frente e viram o tenente olhando para eles, acenando com as mãos. Allyn estava agachada ao seu lado, um arbusto os escondia de uma enorme planície gramada à frente, que alcançava o leito do Rio Song.

          Eastar olhou em volta e percebeu que o caminho que tomaram devia tê-los levado alguns poucos quilômetros acima da cachoeira em que estavam no dia anterior.

          Vendo todos os outros descerem dos cavalos e se juntarem a Edwin e Allyn, ele decidiu imitá-los. Caminhou com Sindar e Jaime até uma árvore onde pudessem amarrar os animais, depois seguiram devagar até onde os outros estavam.

          — Ele não sabe o que é dinheiro! — Jaime sussurrou para o grupo.

          Alguns seguraram a risada com o comentário, Edwin e Allyn apenas levantaram uma sobrancelha para ele, que balançou a cabeça sorrindo.

          — Muito bem, deixando o conhecimento do nosso garoto de olhos azuis de lado, olhem ali — continuou o sirion de cabelos brancos.

          Logo à frente deles, onde as árvores acabavam e uma pastagem intensa começava, seguindo até o rio e se estendendo em todas as direções depois dele, havia pássaros incríveis.

A Crônica de EastarOnde as histórias ganham vida. Descobre agora