20° capítulo

282 46 26
                                    

*Certo, antes de vocês lerem esse capítulo eu só queria avisar que esse e o próximo cap contém bastante ação, algo que eu não manjo muito, meu negócio é escrever romance bem diabético e soft, mas enfim, iria precisar de uma cena de ação aqui e como eu não tenho mt costume de escrever, me desculpem se ficar ruim*

Boa leitura!

*****

A Caixa

Harry abriu a porta lentamente. Quem quer que estivesse dentro daquela sala, entrava por outro lugar, aquela porta estava muito emperrada como se a anos não fosse aberta.

Depois de muito trabalho a porta estava completamente aberta, o lugar estava escuro e com um cheiro ruim.

- Docinho, eu não estou conseguindo ver nada - Louis falou atrás de Harry, que sentiu a mão do menor segurar a lateral de sua blusa com força.

- Calma, vamos encontrar o interruptor.

- Que falta faz um pirulito agora, sério, e pra piorar a merda dessa sala está um gelo.

Harry e Louis andaram as cegas pelo lugar, pisando lentamente e com os braços esticados já que eles realmente não estavam vendo nada.

- Lou... tudo bem? - Harry cochichou.

- Eu realmente preciso de um doce agora, Harry - Louis falou e em seguida um barulho alto da porta sendo fechada com força soou. - Caralho!

Harry foi rápido em tirar suas cartas e posiciona-las em sua mão.

- Quem está aí? - Gritou com raiva.

Sua raiva era uma mistura de sentimentos, ele sentia raiva porque naquele momento ele desejava não ter aceitado ter participado de tudo aquilo. Ele gostava de história porque era emocionante saber sobre como era a vida de pessoas a milhares de anos atrás, era emocionante ver como passado influencia no presente. E ele estava sentindo uma emoção agora, uma emoção que no começo parecia ser boa, mas agora estava o deixando assustado. Ele achou seria bom misturar algo que ele gostava muito como a mágica e emoção, mas talvez agora ele estivesse sentindo que aquilo era um pouco demais para ele.

Ele sentia raiva por estar com medo, medo de tudo aquilo dar errado e ele nunca mais poder voltar a sua vidinha normal, dando aula para os seus alunos chatos da faculdade, tendo altas conversas com suas gatinhas e tacando cartas no alvo em sua parede.

Também estava com raiva por estar confuso sobre ele e Louis, a alguns dias atrás ele odiava o garoto e hoje cedo ele gozou em sua boca. Desde que ele e Louis cessaram o seu ódio um pelo o outro, nunca chegaram a sentar e conversar sobre tudo que aconteceu e esclarecer todas aquelas lacunas. Harry não sabia o que estava havendo entre eles e por mais que fosse estranho, ele estava gostando.

- Harry! - Louis gritou rouco e Harry gritou seu nome ao mesmo tempo ao que sentiu a mão do menor soltar sua blusa.

- Louis! - Ele gritou ficando desesperado por não estar enxergando nada até a luz do lugar ser acessa, fazendo os seus olhos doerem pela claridade repentina. - Merda - Ele falou colocando as mãos nos olhos, por um momento percebendo o quão acelerado o seu coração estava.

- Me solta seu filho da puta - Ouviu Louis gritar e então abriu seus olhos de abrupto, ignorando a dorzinha que ainda sentia ali e a visão meio embaçada, voltando ao foco aos poucos.

Sky, o homem alto e magro de cabelos loiros a altura dos ombros e olhos azuis, estava com um braço envolta do pescoço do menor e o outro segurando suas pequenas mãos.

- Mas que porr... - Harry começou a falar, mas foi interrompido por um par de braços que tentou segurar suas mãos e o seu pescoço.

Ele não sabia se era a adrenalina que estava sentindo, o medo que deixava seus sentidos mais aguçados, mas o que quer que fosse, ajudou para que ele fosse rápido em se esquivar dos braços musculosos que tentaram prendê-lo, e em seguida atirou suas cartas no corpo em sua frente.

Now You See MeOnde histórias criam vida. Descubra agora