11° capítulo

273 52 10
                                    

Orgulho

Louis pov 

- Me solta porra! – Louis falou irritado e correu até a porta da salinha. 

- Qual é Tommo, vai perder a ótima oportunidade de transar comigo pra correr atrás do seu namoradinho revoltado, ele quase quebrou a porta. 

Louis se virou para trás antes de abrir a porta. 

- Primeiro, eu não ia transar com você, seu nojento. Segundo, ele não é meu namorado e terceiro, vai se foder – Ele se virou para a porta novamente e abriu, saindo as pressas dali. 

Andou meio desnorteado pelo lugar, se sentindo meio tonto por causa do efeito da bebida, tentou procurar Harry pelo lugar, mas as únicas pessoas que encontrou foram Liam e Gigi. 

- Vocês sabem onde o Harry está? – Perguntou ofegante. 

- Que merda você fez, Louis? – Gigi perguntou franzindo as sobrancelhas. 

- Como assim “que merda você fez, Louis”? Nem aqui eu estava e já chego sendo recebido assim. 

- Sim, por isso mesmo estamos perguntando o que você fez. Vimos você entrando naquela salinha logo depois de um cara, e não demorou muito para Harry ir lá e voltar irritado – Liam respondeu. 

- A gente meio que sabe o porquê de ele estar bravo, mas preferimos não falar pra não deixar ele mais desconfortável ainda – Gigi continuou. 

- Ele estava bravo? 

- Desembucha, Louis. 

- Eu não fiz nada ta legal, não fiz nada – Louis falou revirando os olhos. 

- Então você está nos dizendo que não está flertando com Harry ultimamente? – Gigi perguntou. 

- E que não estava flertando com ele quase agora e em seguida foi pegar outro? – Liam indagou.

- Eu não tenho nada sério com Harry, ok? Não sou namorado dele, sou livre pra pegar quem eu quiser – Louis falava aquilo, mas na verdade ele queria que a realidade fosse bem diferente. 

- Pelo o amor de Deus, Louis – Gigi falou passando a mão pelos fios loiros. – Você realmente não deve nada pra ele e estaria tudo bem se ele não sentisse nada por você, ficar o provocando e depois ir ficar com outro sabendo que ele sente algo por você não é algo legal, sabia? 

- Eu não sei de nada – Louis falou cruzando os braços.

- Céus, qualquer um que passa menos de 30 minutos ao lado de vocês dois consegue perceber a tensão entre vocês – Liam falou. 

- Harry não sente nada por mim, não tem motivos pra ele sentir aquela raivinha desnecessária e vocês ainda estarem o defendendo. Ele vive me chamando de idiota e de insuportável, ele quase... – Louis se aproximou mais dos dois para sussurrar. – Ele quase não entrou no meio disso tudo só para não ter que ficar ao meu lado. 

- Se ele te chama de idiota é porque provavelmente ele tem um motivo – Liam falou. 

- Um motivo idiota – Louis falou emburrado olhando para o chão. 

- Não deixa de ser um motivo, Louis – Gigi rebateu. 

- Mas é um motivo tolo e idiota, quer saber? O Único idiota no meio de toda essa história é ele, que só olha para o próprio umbigo e esquece de olhar para as pessoas ao redor. 

- Meu Deus o que está acontecendo aqui?! – Zayn falou surpreso.

- Louis foi um idiota e não quer admitir – Liam resumiu. 

Louis era muito orgulhoso para admitir que concordava com Liam, mas o que o deixava revoltado era porque seus amigos preferiam defender Harry que os conhecia a pouco tempo, do que ele que era amigo deles a muito tempo. 

- Por que vocês não param de defender ele por um minuto? Ele já é bem grandinho e sabe se virar sozinho, vocês são meus amigos e deveriam estar do meu lado. 

- Somos amigos dos dois Louis – Zayn falou calmo. – Vamos estar do lado dos dois e tentar ajudar os dois. 

- Mas o que realmente aconteceu entre vocês? Por que sentem tanta raiva um do outro – Gigi perguntou.

- E por que não conversam? – Liam indagou em seguida. 

- Vão perguntar para o delicado e sensível Harry, eu não sou o idiota aqui?

A noite foi longa. Eles encontraram a pessoa que os chamaram para a festa e explicaram a ausência de Harry, óbvio que inventaram um motivo diferente. 

Em nenhum momento os meninos reclamaram da cara emburrada de Louis, eles sabiam que ele estava mal e irritado e preferiram esperar o menor se acalmar para finalmente poderem conversar.

E eles sabiam que isso iria demorar um pouco, era difícil lidar com o orgulho de Louis.

No fim da noite todos voltaram exaustos para casa, Louis que ainda estava com raiva foi o caminho todo em silêncio, não trocou nenhuma palavra com os meninos, nem mesmo quando chegou em casa para dar um boa noite. 

Ele estava cogitando a ideia de dormir na salinha de Niall, não sabia se seria uma boa ideia dividir o quarto com Harry essa noite. 

No final das contas ele acabou desistindo da ideia e resolveu dormir lá mesmo. Colocou em sua cabeça que não iria trocar nenhuma palavra com Harry, apenas para evitar mais brigas, nem mesmo se o maior chegasse e o xingasse de todos os nomes possíveis, ele iria apenas ignorar calado. 

Quando finalmente chegou na porta de seu quarto e a abriu, se deparou com o ambiente todo escuro, iluminado apenas pela luz da rua visto que a janela estava aberta, deixando uma corrente de vento frio invadir o lugar. Olhou para a cama de Harry e viu o mesmo deitado encolhido com a mesma roupa que usava na festa.

Louis se aproximou dele e viu que o cacheado estava arrepiado por conta do frio. É obvio que ele estava com raiva, mas não iria deixar Harry descoberto e sentindo frio. Por isso ele pegou a coberta do maior que estava dobrada na ponta da cama e foi o cobrir. 

Quando se aproximou, viu que o rosto de Harry estava molhado, seu nariz estava meio avermelhado e seus olhos pareciam inchados, ele estava chorando. 

Louis sentiu um aperto no coração, mas apenas ignorou. Depois de cobrir Harry, andou até a janela e a fechou para em seguida trocar sua roupa para algo algo mais confortável e finalmente poder ir dormir. 

Ao se sentar na cama para enfim poder dormir viu algo caído no chão, parecia uma foto. Ele então se abaixou para pegar e ver o que era. 

Era a foto das gatinhas do Harry, estava meio molhada, provavelmente de seu choro. Louis sentiu seus olhos marejarem, ele também sentia uma enorme vontade de chorar, e tentava reprimir isso todas as vezes. Ele não tinha a foto de ninguém que ele gostasse ou amassasse, ele sentia que não tinha ninguém para poder desabafar a noite quando sentia o seu mundo querendo cair, diferente de Harry que tinha a foto de suas gatinhas, que era o que ele amava.

Mas essa noite Louis decidiu que não iria mais segurar, ele finalmente resolveu deixar o seu mundo cair. 

Colocou a foto das gatinhas ao lado da cama de Harry e se deitou em sua própria cama, se cobrindo até o pescoço. Começou a olhar para Harry, começou a apreciar cada um dos seus detalhes, os cachinhos, os lábios, os olhos e enfim, desabou.

Louis chorou baixinho até dormir olhando para o alguém que ele gostava, mas que nunca iria admitir.

Now You See MeOnde histórias criam vida. Descubra agora