19° capítulo

270 44 18
                                    

A procura

- Não se esqueçam, Harry e Louis no lado direito, eu e Gigi no lado esquerdo e Zayn fica nos fundos – Liam cochichou e os quatro assentiram, seguindo cada um para o seu caminho.

- Está trancada – Harry sussurrou. 

Harry e Louis já estavam separados de Zayn, Liam e Gigi. O lugar estava totalmente escuro e vazio, se surpreenderam ao não encontrarem nenhum segurança no local, mesmo depois de tudo que aconteceu. 

- Eu tenho uma agulha aqui, serve? – Louis sussurrou atrás de Harry. 

- Claro, passa pra cá – Harry pegou a agulha do menor e a encaixou na fechadura da porta. – Por que raios você anda com uma agulha? – Perguntou se virando para trás com as sobrancelhas franzidas. 

- Nunca se sabe – Louis deu de ombros. 

Harry conseguiu abrir a porta do local e olhou atentamente antes de entrar, já deixando seu baralho posicionado em suas mãos. Assim como o resto da escola, estava escuro e vazio, parecia já estar a algum tempo sem uso, visto havia uma pequena camada de poeira sobre os objetos. 

- Não acho que tenha alguma invenção extraordinária escondida aqui... – Harry falou se abaixando para olhar para debaixo da mesa. 

- Só tem caixas velhas e muita, muita poeira... aquilo era um rato?  - Andou mais um pouco, tentando enxergar o caminho com a pouca luz que entrava da janela do corredor. 

- Esse lugar não tem luz? Me ajude a achar o interruptor Louis – Harry falou tropeçando em algo no chão. – Merda que bagunça, parece nosso quarto – Falo rindo e finalmente achou o interruptor. – Parece muito nosso quarto quando você larga suas roupas pelo... Louis! Louis! 

Harry correu até o cantinho da sala onde o menor estava encolhido no chão chorando. 

Se abaixou rapidamente e abraçou o corpo de Louis.

- O que foi, Lou? 

- Me dá algum doce, Harry – Falou choramingando. – Um chiclete ou um pirulito, eles são os melhores pra quando eu estou ansioso. Eu estou com medo, isso vai dar tudo errado, nós vamos ser pegos, eu preciso de algum doce, por favor – Falou em meio aos soluços. 

- Hey, hey calma – Se sentou no chão e puxou Louis para si. – Não precisa chorar meu amor, eu estou aqui hm? Você não precisa de nenhum doce, eu estou aqui e vai dar tudo certo Lou, não vamos ser pegos nem nada disso. 

- Vamos sim, eu... – Harry sentiu o corpo do menor tremer e sabia que era mais uma das vontades compulsivas de comer doce atacando. – Eu só preciso de uma balinha, Hazz, por favor. 

Harry engoliu seco, não gostava de ver Louis daquele jeito e até cogitou a ideia de largar aquilo tudo e ir comprar um pirulito para o seu pequeno, mas ele sabia que Louis tinha que evitar para a sua própria saúde, sabia que depois ele poderia ficar pior do que estava agora.

- Olha – Disse colocando as mãos na cintura do menor. – Levante-se hm? – Se levantou e ajudo Louis a levantar também. – Nada de ruim vai acontecer e se acontecer eu estou aqui com você – Falou segurando o rosto de Louis entre suas mãos. – Você não precisa de doce nenhum Louis, você consegue enfrentar tudo isso sem a ajuda deles ok? Pense que a única coisa que eles podem lhe oferecer é a piora da sua diabete, nós vamos ficar bem? Certo? – Terminou puxando o menor contra o seu corpo. – Certo, Lou?

- Certo – Sussurrou fungando o nariz. – Certo Hazz – Louis respondeu e abraçou Harry. 

- Vamos procurar em outra sala ok? Acho que aqui não vai ter nada.

Os dois então saíram daquela sala e voltaram a andar pelo corredor vazio e meio escuro. Toda aquela parte de baixo da faculdade parecia nunca ter sido terminada de ser construída, algumas salas pareciam mais inteiras que as outras e tinha algumas até já mobiliadas, mas a maioria estavam sujar e ainda para terminar.

Harry e Louis entraram em várias salas, algumas com pedaços de material de construção, outras vazias e por ai seguia, eram cheias de entulhos, mas nenhuma delas tinha a tal invenção.

- Como em um lugar desses tem tantas salas desocupadas? – Louis falou olhando para o seu cropped preto. – E tão sujas... minha roupa está cheia de pó – Cochichou reclamando e Harry deu um sorriso balançando a cabeça negativamente. 

- Acho que Liam e Zayn estavam errados sobre a invenção estar aqui na universidade, pensando melhor não faria sentindo – Ele falou parando no meio de uma sala que estava completamente vazia. 

- Será que eles não encontraram algo do lado de lá? – Louis indagou analisando o cômodo vazio.

- Acho que se tivesse achado alguma coisa, nós já saberíamos. 

- Já passamos em todas as salas?

- Sim, vamos voltar para lá – Harry falou se virando para porta e quando já estava do lado de fora da sala, percebeu Louis ainda estar parado com uma cara pensativa. – Lou? Tudo bem?

- Você ouviu? – Ele cochichou. 

- Ouviu o que, Louis? – Harry indagou entrando para a sala novamente. – Aqui não tem nada, vamos embo... – Harry foi interrompido pela mãozinha de Louis em sua boca.

- Cala a boca e escuta – O menor cochichou olhando para algum ponto específico do chão. – Aii! – Chiou após alguns segundos quando Harry mordeu seu dedo. – Isso dói! 

- Vamos logo, Lou, aqui não tem... – Harry foi interrompido por um barulho estranho. – Nada... você ouviu?

- Ouvi – Louis falou com um sorriso sarcástico. – O que você estava dizendo mesmo? 

Harry apenas revirou os olhos. 

- O barulho parece vir daqui de dentro – Harry falou olhando para as quatro paredes. 

- Se aproxime das paredes e tente escutar algo – Louis falou baixinho e Harry assentiu. 

Harry procurou escutar algo nas paredes laterais da porta e Louis na do fundo. Escutaram com total atenção qualquer barulho que soasse dali. 

- Aqui! – Louis falou dando pulinhos. – Está aqui! – Harry saiu de sua parede e correu para onde Louis estava, colocou sua orelha contra a mesma e tentou escutar algo, e foi em minutos que ele pode ouvir vozes estranhas soando ao longe.

- Tem alguém aqui, Lou – Harry falou com um sorriso. 

- Como vamos passar para lá?

- Calma – Harry falou sorridente e tirou uma carta de seu bolso.

Começou a passar o pedaço de plástico contra a parede e para a surpresa do pequeno ao seu lado, uma espécie de película começou a se soltar.

- Co-como você sabia disso? – Louis falou boquiaberto.

- Bom senhor Louis Tomlinson, nosso professor de truques ensinou para a gente no nosso 3° ano de curso, mas você estava muito ocupado tentando chamar a minha atenção, tacando bolinhas de papel em minha cabeça do fundo da sala – Harry falou em um sorriso provocativo e Louis revirou os olhos enquanto sorria e mordia os lábios. 

- Nerdizinho – Falou ainda sorrindo e balançando a cabeça negativamente.

Harry raspou um pouco mais a película até dar em algo duro, parecido como uma madeira. 

- É uma porta, mas está trancada – Ele respondeu. 

- Eu ainda tenho a agulha – Louis sorriu e entregou para Harry. 

- Obrigado, docinho – Harry falou imitando o sotaque de Louis que riu e deu um tapinha em seu braço. - Consegui.

*****

Oioi, como ceis tão?

Demorei, mas apareci, enfim... Tem mais dois cap hj🤸

Now You See MeOnde histórias criam vida. Descubra agora