17° capítulo

301 49 5
                                    

babycakes

- Aquele truque com as bolhas foi o melhor. 

Harry e Louis estavam sentados em uma mesa do lado de fora de um restaurante simples que era 24hrs. Louis estava comendo alguma comida para se sentir mais forte e Harry apenas ficou com um suco de manga, que meio que estava abandonado de lado já que ele só prestava atenção nos olhos azuis cansados em sua frente.

- Nada que alguns efeitos especiais, hipnose e humor não façam – Sua voz estava um pouco mais firme e ele parecia estar um pouquinho melhor. 

- Você amassou mesmo minha carta? Era a minha preferida, a de copas - Falou empurrando os óculos mais pra cima.

- Não – Louis engoliu a comida e deu um gole em sua água. – Eu a guardei na manga da minha blusa – Ele retirou a carta de sua manga e atirou para Harry, que pegou a mesma sem nem ao menos olhar para ela. – Por que é a sua preferida? 

- Hm... eu vi uma vez que ela pode significar alegria, prosperidade e... amor. Sempre ando com ela. 

- Entendi – Louis respondeu com um sorriso.

Os continuaram conversando e comendo, voltaram para casa cerca de duas horas da manhã. Louis já se sentia melhor então ele quem dirigiu até em casa e Harry aproveitou para tirar um cochilo no banco, a noite já tinha sido agitada demais pra ele. 

Os dois chegaram em casa e caminharam silenciosamente até o quarto, abriram a porta com cuidado e fecharam do mesmo modo, causando menos barulho o possível.

- Vamos ter poucas horas de sono – Harry falava ao esticar a coberta sobre sua cama. Já havia trocado de roupa e escovado os dentes, estava pronto para dormir. 

- Eu preciso ao menos de uma hora de sono, estou morto de cansaço – Louis falou do banheiro enquanto escovava os dentes. 

Harry terminou de arrumar a cama e quando se preparou para deitar viu os papeis e os sacos de bala no chão, ajuntou um por um, incluído os sacos fechados e caminhou até o banheiro. 

Louis estava parado enfrente ao espelho e observou em silêncio, Harry jogar tudo dentro da lata de lixo.

- É para o seu bem – Ele falou ao se erguer e encontrar os olhos triste de Louis o olhando pelo espelho. – Não quero arriscar que você coma mais um ou dois daqueles sacos de novo e passe mal, Louis, eu não quero isso – Ele falou e saiu do banheiro antes que Louis falasse algo contra. 

Ele se sentou na cama e ao erguer o olhar encontrou Louis de pé na entrada do banheiro. Ele nunca havia reparado naquilo, nunca havia reparado em como o corpo do menor era magro, ele sempre andava com aquelas roupas curtas e até mesmo com aquele pijama rosa que ele estava usando agora e mesmo assim ele nunca reparou. Ele sabia que Louis comia muito doce e sabia que ele tinha ansiedade e mesmo assim nunca fez nada, nunca ajudou o menor em nada. 

Ele ficou parado ali observando Harry sentado na cama, seus olhos estavam cheios de lágrimas e suas mãos estavam tremendo.

- Me desculpa – Ele falou deixando uma lágrima cair. – Eu não queria ter te dado trabalho e como a cereja do bolo um pequeno trauma por quase ter me visto morrer no banheiro. – Sua boca tremia enquanto ele falava. 

- Louis – Harry se pôs de pé. – Vem aqui – Ele o chamou de braços abertos. 

O menor andou meio inseguro até ele e Harry o puxou para um abraço, fazendo Louis esconder o rosto em seu pescoço e passando as mãos pelas costas dele para que ele se sentisse seguro. 

- Você não precisa me pedir desculpas, você não me deu trabalho ou um pequeno trauma – Ele o abraçou mais forte. – Tudo que você fez foi me fazer perceber que eu tenho medo de te perder – Ele falou baixinho e calmo, por medo de qual seria a reação de Louis. – Eu tenho medo de te perder de novo igual eu te perdi a doze anos atrás. 

Ouviu Louis soluçar um pouco alto. 

- Vem – Harry o soltou do abraço e se sentou na cama. – Senta aqui – Ele chamou novamente com os braços abertos para que Louis sentasse em seu colo. – Vem Lou – Louis excitou por um momento, ele tinha tanto medo quanto Harry, mas decidiu ignorar isso por um momento e apenas fez o que o maior pediu. Passou as pernas uma de cada lado do corpo do maior e abraçou seu pescoço, aproveitando para esconder o rosto ali e continuar chorando. – A quanto tempo você tem esses sintomas? 

- A vontade compulsiva de comer doce é desde sempre... começou quando... quando eu perdi v-você... – Ele sussurrou bem baixinho. 

- Como assim? 

- É muita coisa e eu não sei se quero contar...

- Você não precisa se não quiser...

Louis suspirou e então Harry se deitou na cama, com o menor sobre si o abraçando como um coala. 

- Tudo piorou depois daquele dia... e eu nunca achei que precisava de ajuda – Ele chorou mais alto. – E eu não quero falar, não agora, eu já estou vulnerável demais e falar isso agora vai fazer eu me sentir um inútil fraco, como eu era a muito tempo atrás. 

- Louis você desabafar os seus problemas com alguém não te torna fraco.

- Sim me torna, foi o que eu ouvi do meu pai a vida inteira e ele não estava errado. 

- Sim, ele estava, se você está comigo aqui agora...

- Chorando...

- Independente de estar chorando ou não, se você está comigo aqui agora é porque você foi forte o suficiente para aguentar tudo que você precisou passar. Chorar não te faz menos forte Lou, ninguém é de ferro, está tudo bem você desmoronar as vezes...

- Eu sou um ansioso de merda Harry, a única coisa que me ajudava era comer doce que nem um louco e nem isso eu posso mais porque eu sou tão sortudo que desenvolvi uma doença perigosa. 

- E nós vamos resolver isso, não tem cura, mas se a gente tratar direitinho da pra controlar. 

- A gente? 

- Sim, a gente, eu deveria ter permanecido do seu lado a muito tempo atrás e eu não fiz isso, mas agora eu to aqui e você não vai precisar de doce nenhum pra te deixar mais calmo porque agora você tem a mim e eu te juro que comigo você não vai desenvolver nenhuma doença, não vou causar mal a você. 

Louis se ergueu um pouquinho com um sorriso e secou os olhos.

- Obrigado – Sussurrou sorrindo. – Obrigado, babycakes. 

- De nada, Lou.

*****

Oioi, ceis tão bem?

Espero que sim e espero q tenham gostado do cap. Era pra eu ter postado ontem, mas eu não sei q merda deu que eu não salvei oq eu tinha escrito e ai eu tive que escrever tudo dnv, enfim, dsclp qualquer erro:)

Now You See MeOnde histórias criam vida. Descubra agora