2° capítulo

407 71 25
                                    

O plano

Harry estava descendo as escadas do prédio confuso enquanto tentava pegar algum sinal em seu celular para chamar um Uber.

- Meu carro está aqui na frente, lindinho – Ele ouviu a voz de Louis atrás de si. – Eu te levo.

- Não, obrigado – Ele murmurou revirando os olhos e finalmente saindo na rua.

- Oh vamos – Louis passou o braço por seus ombros e ele o olhou incrédulo. – Não seja marrento, meu carro está bem aqui na frente, vai ser muito melhor eu te levar do que ficar parado aqui igual um repolho esperando algum sinal.

- Eu prefiro ficar aqui parado... – Ele pegou a mão de Louis com as pontas dos dedos e a afastou de seus ombros. – Igual um repolho, do que ir embora com você, Tomlinson.

- Oh vamos nos tratar pelo sobrenome agora? – Louis perguntou sorridente enquanto abria um pirulito. – Devo te chamar como? Sr. Styles?

- Não, de preferência... não me chame.

Louis sorriu ao perceber que estava conseguindo irritar o cacheado.

- Grrr não tem sinal.

- Eu vou para o meu carro – Louis disse ainda sorridente e cantarolando.

- Que merda.

- Agora eu estou abrindo a porta de passageiro do meu carro – Ele cantarolou com o pirulito na boca.

- Não enche Louis.

- Estou dando a volta pelo carro.

- A consegui!!!

- E estou no banco do motorista agora.

- Merda, sumiu.

- Esperanto um gatinho bravo entrar para eu poder leva-lo para casa – Ele falou batucando os dedos no volante.

Harry perdeu a paciência e guardou o celular irritado no bolso de sua calça, andou marchando até o carro de Louis e se jogou no banco.

- Primeiro, eu só estou aceitando porque preciso chegar logo em casa e alimentar minhas gatas e segundo – Styles apontou o dedo para o rosto de Louis que tinha um sorriso malicioso. – Eu não quero que fale comigo e nem olhe para mim, não quero um pio – Disse fechando a porta e colocando o cinto.

- Tudo bem Sr. Styles - Louis falou mandando um beijo para o cacheado.

- Céus.

Louis ligou o carro e deu a ré antes de manobrar e apertar o acelerador com tudo, fazendo Harry prender a respiração e cravar as unhas no banco de couro em que estava sentado.

- Por Deus Louis, quer nos matar? Está em alta velocidade.

- Fica tranquilo docinho, não vai dar em nada.

- Não me chame assim – Harry fechou os olhos quando Louis saiu daquela rua escura e vazia e entrou na avenida, onde ainda tinha uma movimentação considerável de carros. – Diminua a velocidade.

- Eu não vou bater o carro doci- Harry, não se preocupe – Louis olhou para Harry e riu do desespero do mais novo.

- Louis o carro!! – Harry gritou e Louis olhou para frente em um átimo de segundos e desviou o carro para o outro lado, fazendo o corpo dos dois caírem para a lateral e Harry bater a testa na janela, antes que se chocassem com o veículo que vinha buzinando freneticamente.

No mesmo instante que Harry se recuperou do susto, suas mãos ágeis retiraram suas cartas do bolso de seu paletó e as mirou em Louis.

- Diminui a velocidade – Ele falou em um rosnado.

Now You See MeOnde histórias criam vida. Descubra agora