Capítulo XII

1.5K 201 97

Segue mais um capítulo dá nossa história. 😍💗 

Espero que gostem!

Não esqueçam de votar e comentar, pois isso me ajuda muito e faz com que o livro fique mais conhecido na plataforma.   

Capítulo XII 

And I'll fight my corner
Maybe tonight I'll call ya
After my blood turns into alcohol
No, I just wanna hold ya

(Ed Sheeran, "Give Me Love.")

Dias atuais...

Fernando

Cheguei poucos minutos antes das crianças começarem a cantar parabéns para o pequeno Príncipe. Senti meu coração ser esmagado ao ver a mulher da minha vida sorrindo para outro homem. Não posso negar que Cecília e Mateo formal um bonito casal, aquele casal que protagoniza comercial de margarina, mas o lugar dela não é com ele. O lugar da minha Cecília é comigo e mesmo que demore eu sei que ainda a terei.

Desde a visita nada cordial que Mateo me fez tenho me mantido afastado deles. Por mais que me doa estar distante sei que fiz o que precisava. Precisei de um tempo para me refazer depois das últimas descobertas. Morri em vida quando ouvi de boca do Mateo que minha Cecília tentou tirar sua vida mais de uma vez. Senti-me o pior de todos os seres humanos. A culpa me corroeu a alma e por muito pouco não desisti de tudo que planejei ao voltar para o Brasil.

Não é novidade que eu fui um filho da puta com ela e com a nossa história, mas ouvir de um homem que claramente a ama que ela sofreu como o inferno após a minha partida quebrou o que restava do meu fodido coração. Não consegui me levantar do chão e muito menos reagir ao soco que levei. Na verdade, sei que merecia muito mais que um soco. Mateo foi embora e com ele levou a esperança que eu tinha em reconquistar a mulher que mais amei em toda a minha maldita vida.

Sophie me encontrou e com o mesmo carinho que sempre tem comigo me ajudou a levantar. Foi ali que ela me contou qual era o seu misterioso trabalho. Senti meu ego ser brutalmente ferido ao perceber a admiração que ela demonstrava ao falar do advogado do abrigo. O filho da mãe tinha encantado até mesmo minha fiel amiga.

Observei de longe a comemoração pelo segundo aniversário do pequeno príncipe, fiquei em uma parte mais escondida do jardim para evitar que Cecília me visse e com isso acabasse estragando a festa do seu filho, e mesmo com o coração em pedaços não pude deixar de me sentir feliz pelo pequeno.

Gael estava lindo com sua fantasia de filhotinho de leão e Cecília, meu Deus! Minha Ceci está ainda mais bonita que da última vez que a vi. Com um vestido um pouco acima dos joelhos e os cabelos soltos, sorrindo com os olhos da forma que ela só sorri quando está com seu filho, ela é sem dúvidas a mulher mais bonita que já conheci.

A festa está linda e tenho que parabenizar Sophie porque a decoração que ela fez ficou realmente muito bonita. Por falar em Sophie foi ela quem me falou sobre a festa do Gael e também facilitou a minha entrada no abrigo. Sem contar que Sophie vem me informando sobre o pequeno príncipe.

Mais uma dívida que tenho com minha amiga. Mais uma dívida acumula-se com a mulher que nem mesmo nos meus piores momentos não me abandonou.

Após a entrega do bolo vejo minha Princesa se afastar e a sigo de longe. Sei que não deveria, mas preciso me aproximar. Ela não nota minha aproximação de primeira, mas quando estou em sua frente sinto o exato momento que ela me percebe.

Doce ReencontroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora