Capítulo XIV

1.3K 200 145

 

Esse capítulo marca uma nova fase da história.

Espero que gostem!

💗

Não esqueçam de votar e comentar, pois isso me ajuda muito e faz com que o livro fique mais conhecido na plataforma.   

#SemRevisão 

Capítulo XIV

But I wanna dream
I wanna dream
Leave me to dream
(Imagine Dragons, "Dream.")

Cecília

Dias atuais...

O aniversário do Gael foi um sucesso entre as crianças e alguns adultos. Meu filho se divertiu como nunca e mesmo com todos os contratempos ocorridos não tenho do que reclamar.

O tempo voo desde a festa e sem que eu percebesse dormimos e acordamos já na semana do Natal. Mateo está cheio de trabalho na ONG e quase não tem dormido na minha casa, não reclamo porque sei que ele está adiantando tudo que pode para que possamos viajar. Planejamos passar a virada de ano e o restante das nossas férias com Gael na terra dos sonhos. Gael não entende direito, mas sempre que ouve a palavra mágica, "Disney, sorri como se tivesse ganhado um presente muito aguardado. Vamos passar a noite de Natal com as crianças no abrigo, ajudei Sophie a organizar uma festa para as crianças e me surpreendi muito com sua dedicação.

Nunca falamos nada a respeito do Fernando, mas as vezes a pego me olhando e em seus olhos eu vejo que ela deseja falar alguma coisa, mas nunca lhe dei espaço para entrar em qualquer assunto pessoal. Outra coisa que notei foi a forma que ela olha para o Mateo. Não é um olhar de cobiça, mas sim de admiração, e eu não posso recrimina-la, pois Matt é de fato um homem digno de admiração. Não comentei com Mateo sobre os olhares de Sophie e não falei nada com ela sobre isso, mas não posso negar que fico com um pequeno incomodo. Porra ela é uma mulher linda. Não sou insegura nem nada, mas também não sou cega.

Hoje Mateo me convidou para jantar com ele no restaurante da dona Lourdes, disse que era uma noite especial. Estou curiosa para saber o que de tão especial aconteceu, mas também estou feliz por ter um tempo com ele longe da nossa rotina. Escolhi um vestido longo preto e um Peep Toe da Santa Lolla na cor nude. Deixei meus cabelos soltos porque sei que ele gosta quando os deixo assim e agora estou parecendo a Cecília adolescente​ esperando o namoradinho para o baile do colegial. O primeiro e único baile que fui na época do colegial.

— Mamãe eu não tenho nenhum vestido para ir para o baile! — Exclamo já cansada de tanto procurar uma roupa para o baile e nada encontrar.

Péssima hora que aceitei ir a esse maldito baile com o Fernando. Péssima hora que aceitei sair de casa.

Nunca quis participar de nenhum baile em nossa escola pelo simples fato de ter nenhum amigo verdadeiro lá. Sempre fui a menina estudiosa demais, a bailarina que sonha e ser uma grande arquiteta, mas que não tem talento nenhum para fazer amizades.

— Filha você tem vestidos lindos, para de ser exagerada. — Fala a mulher da minha vida.

Eu realmente tenho vestidos lindos, mas nesse momento nenhum parece ser o perfeito para o baile. Não quero ser a namorada estranha do menino popular. Não quero envergonhar o Fernando.

— Aqui, pequena exagerada. — Mamãe me entrega um vestido azul que eu ganhei de aniversário, mas nunca usei.
Olho para o vestido e involuntariamente um sorriso se forma em meus lábios.

Doce ReencontroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora