Capítulo XXIII

1.1K 196 111

Hey people 🍀💐💝

Tudo bem com vocês?

Vamos como um capítulo bônus? 💐💐💐

Preciso agradecer aos comentários recebidos no capítulo anterior. Vocês mesmo ansiosas para descobrir a tão esperada conversa entre Ceci e Nando, foram respeitosos em seus comentários. 💝

Os próximos capítulos serão narrados no passado, eu sei que ficamos ansiosos para saber logo o que aconteceu, mas sem esses capítulos não tem como entender a história.

Espero que gostem do capítulo!

Não esqueçam de votar e comentar, pois isso me ajuda muito e faz com que o livro fique mais conhecido na plataforma. Se quiser ficar sabendo das novidades em primeira mão e ficar mais perto da Malu (não só escritora), basta me seguir la no instagram madams.autora.

*****
Esse capítulo é dedicado a uma pessoa muito especial. Uma leitora que se tornou amiga. Uma menina mulher que enche o meu coração de amor com a sua amizade.
Uma das pessoas que me ajuda a contar a história do Fernando e da Cecília com fatos de uma época que eu ainda não era nascida.
adriane1977
Dri, minha linda, esse é para você.

(Sem revisão)

Capítulo XXIII

Shall I stay?
Would it be a sin
If I can't help
Falling in love with you?

Like a river flows
Surely to the sea
Darling, so it goes
Some things are meant to be.

(Can't Help Falling In Love - Elvis Presley)

Cecília.

Esperança - Minas Gerais.

01 de Outubro de 1991

Acordei ansiosa porque sabia que hoje seria um dos dias mais importantes da minha vida.

Conversei com minha mãe na noite passada e ela mesmo me achando nova demais para fazer o que desejo, deu-me todo seu apoio. Minha mãe é um tipo raro de ser humano. Um ser humano que não julga os outros, não recrimina o que quer que façam. Minha mãezinha sempre apoia nossas escolhas.

Ela me ensinou tudo que sei e sempre me deu liberdade para seguir minhas escolhas, mas não pense que ela concorda com tudo, ou que é passiva demais. Muito pelo contrário. Mamãe luta pelo que quer e mostra o caminho para que lutemos pelo que queremos, mas se escolhemos algo errado e mesmo com seu conselho o fazemos, ela espera a reação natural das nossas ações (mamãe é professora de física), e faz com que arquemos com as consequências das mesmas.

Papai e eu aprendemos a lidar com as consequências de nossas escolhas.

Tomei um banho enquanto divagava sobre minha mãe e agora estou tentando escolher o que vestir. Como já comentei não sou uma pessoa com um alto conhecimento de moda. Me visto da forma que acho confortável e bonita, mas hoje quero uma roupa especial.

— Anjo? — Chama dona Luciana, vulgo mamãe.

— Estou aqui, mamãe. — Respondo ainda em meio a bagunça de roupas que fiz.

Ela entra em meu quarto e sorri quando vê a metade do meu guarda-roupa no chão.

— Tivemos um terremoto, aqui? — Pergunta com o sorriso ainda dançando em seu lindo rosto.

Minha mãe é sem dúvidas uma das mulheres mais lindas que eu já vi.

— O Terremoto do "não tenho o que vestir". — Ela nada diz, mas seus olhos ficam rasos com lagrimas que tenta não deixar escapar ao esticar uma sacola em minha direção.

Doce ReencontroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora