Meus Olhos 2 - Epílogo

2 0 0

Eliza estava deitada e com dificuldade para respirar. Todo o seu corpo estava quente e suando conforme ela ofegava.

— Bianca... Não consigo... aguentar... mais... Por favor...

A ruiva se inclinou para mais perto da namorada, envolvendo seus braços na garota.

— Sei que pode... Na verdade, já vi você aguentando mais... vamos... por mim...

Apesar de sussurrar com aquela voz doce e tentadora que Eliza amava, não foi o bastante para a garota reganhar sua força.

— Só mais uma vez e eu vou fazer aquela coisa com o gelo que você gosta.

Quando Eliza ouviu aquelas palavras, ela abriu os olhos. Lentamente, ela olhou para a namorada.

— Tá falando sério? Não tá me provocando, né? — perguntou ela, sentindo suspeitas. Bianca já usara o mesmo truque antes.

— Mais uma volta e você vai descobrir — sussurrou a ruiva, com o sorriso muito malicioso e atraente;

Eliza pressionou os lábios. Ela mal tinha energia para sentar no banco, muito menos dar outra volta no parque. Mas, graças ao que Bianca disse, ela se esforçou. Não acredito que fui facilmente manipulada assim. Aposto que ela não faz muito aquilo com o gelo só pra servir de propina pra mim...

Para sua própria surpresa, a oferta de sua namorada funcionou.

Ela conseguiu caminhar aos poucos, apesar de seus músculos reclamarem. Bianca corria casualmente ao lado dela. Porém, assim que Eliza acelerou, mesmo que não tenha ganhado tanta velocidade, a ruiva também acelerou seu ritmo para acompanhá-la.

— Vamos, amor. Só mais uma volta ao redor do parque — disse Bianca com um sorriso genuíno enquanto corria um pouco na frente de Eliza.

Usando tudo que restava de sua força, Eliza perseguiu a namorada. Antes que percebesse, elas estavam novamente no banco perto da entrada do parque, o qual usaram como ponto de partida.

No instante em que Eliza viu a superfície dura, ela não pensou duas vezes antes de se jogar contra ela.

— Já deu... Estou morrendo... Eu te amo, Bianca... Queria que a gente tivesse ficado mais tempo juntas...

— É incrível quão dramática você consegue ser mesmo dizendo que não pode se mexer mais. — A ruiva riu.

— Não é ser dramática ou não. E como você tem a cara de pau de rir enquanto eu estou morrendo aqui? Eu sabia que você era uma sádica, mas não tanto. Minha primeira e única namorada adora me ver à beira da morte...

— Se tem energia o bastante pra falar bobagem, tá muito que bem. — Bianca ergueu a cabeça de Eliza, sentou no banco e usou seu colo como um travesseiro para a namorada.

— Sei que ainda não decidi se vou me juntar à polícia. Mas se for coisa desse tipo, não tem como eu passar na prova física... Não fui feita pra isso... Posso muito bem virar uma consultora como a Angélica. — Enquanto Eliza reclamava, Bianca pressionou os lábios e desviou o olhar. A garota teve um mau pressentimento ao ver aquilo. — Que foi?

A ruiva tentou conter o riso da melhor forma que podia. Ainda era irritante demais para Eliza.

— A gente já fez o mínimo da polícia umas cinco voltas atrás — disse ela, contendo o riso.

Eliza teve dificuldade para entender aquilo. Então ela respirou fundo enquanto a raiva aumentava dentro de si. Mas, no instante seguinte, ela desistiu; estava cansada demais para ficar com raiva.

Meus Olhos EnxergamLeia esta história GRATUITAMENTE!