Meus Olhos 2 - Capítulo 04

2 0 0

Eliza sentiu seu corpo inteiro ficar dormente.

Ela não soube se o homem dissera qualquer outra coisa; havia um zumbido em seu ouvido.

Sua respiração ficou rasa. Não importa o quanto tentasse, não conseguia controlá-la.

Ele sabe... esse policial sabe sobre "meus olhos enxergam" ... ele sabe... sobre mim...

Bianca apertou a mão dela e deu um passo para frente, ficando entre o homem e sua namorada como um escudo.

— Quem você é?

— Como disse, meu nome é João Paulo. — Ele pegou um distintivo de seu bolso interno do paletó e mostrou para as meninas. — Sou do departamento de Casos Não Resolvidos.

— O distintivo parece de verdade... mas esse departamento... — A ruiva encarou o distintivo por um tempo.

— F-Fiquei sabendo pelo meu pai — murmurou Eliza, a garganta seca. — Às vezes eles pegam casos em andamento, mas nunca resolveram nada...

— Não é bem assim... mas acho que vamos ficar para sempre com essa fama. — O policial mostrou um amarelo sorriso enquanto guardava o distintivo.

— Olha, não ligo pra quem seja, mas não sabemos nada sobre "meus olhos enxergam" — disse Bianca, sua voz prestes a deixar toda a educação de lado.

— Na verdade, temos provas de que as duas estão envolvidas com "Meus olhos" — disse o policial com um tom amigável.

— Nos recusamos a dizer qualquer coisa sem um mandado. Agora, vá embora, por favor. — A ruiva semicerrou os olhos.

Eu avisei que elas não iam falar se você aparecesse assim, uma voz alegre ecoou em volta de Eliza. A voz riu. Eu avisei, mas, não, você não me ouviu. Não importa qual seja a situação, você parece suspeito demais!

A garota colocou as duas mãos na cabeça e olhou em volta. De onde vem essa voz?

Bianca olhou em volta também. Então não tô imaginando coisas, pensou Eliza.

Mostre pra elas. É a única forma de fazê-las ao menos te ouvir. Ah, vai, não tem ninguém perto dos três agora, disse a voz, animada demais, por algum motivo.

O policial respirou fundo e suspirou, colocando ambas as mãos nos bolsos. No instante seguinte, ele desapareceu em pleno ar com um som estranho.

Antes que Eliza piscasse e tentasse entender o que aconteceu, houve outro som estranho atrás das meninas.

Quando se viraram, o policial estava lá.

Como ele...? Antes que Eliza tivesse tempo de terminar a pergunta em sua mente, ele desapareceu de novo.

No instante seguinte, estava de volta à sua posição inicial.

Ele tem uma habilidade sobrenatural que nem eu, percebeu a garota, engolindo em seco.

— Poderiam me ouvir agora? — ele perguntou em voz baixa.

Bianca pressionou os lábios e se virou para Eliza.

Apesar do seu nervosismo, ela assentiu, apertando a mão da ruiva para reunir coragem.

Bianca gesticulou para que o homem sentasse. Ele sentou na poltrona enquanto as meninas sentaram no sofá, a ruiva entre a namorada e o policial.

Apesar da situação, Eliza não conseguiu se impedir de sorrir ao se sentir protegida. Embora esteja tão preocupada quanto eu, ela me protege assim, pensou, acariciando a mão da namorada.

Meus Olhos EnxergamLeia esta história GRATUITAMENTE!