Meus Olhos 2 - Capítulo 5

2 0 0

— Oi, Eliza! É um prazer finalmente encontrá-la em pessoa! — gritou um garoto cheio de entusiasmo. Ele agarrou e apertou a mão dela com a mesma animação.

Essa voz... Demorou um instante para que ela se lembrasse do dono da voz.

— Ah, você que é o telepata.

— Isso mesmo. Meu nome é Teodoro, mas pode me chamar só de Teo! — O sorriso do garoto aumentou.

Apesar da surpresa, um sorriso apareceu no rosto dela diante de tanto entusiasmo.

— É um prazer — ela disse, balançando a mão por conta própria dessa vez. — Sua voz parece meio diferente quando não está ecoando na minha cabeça.

— Não é a primeira vez que escuto isso. Não sei o porquê. Pra mim é tudo igual.

— Talvez seja essa coisa de que você acha a própria voz estranha quando escuta ela.

— Sem chance. Não quero isso. — O garoto parecia chocado demais. — Minha voz já é aguda o bastante... e pensar que é essa é a melhor versão dela...

Eliza olhou para ele e depois riu. Ele parece... meio excitado demais com tudo...

— Foi mal se pareço animado demais... mas é a primeira vez que encontro outra pessoa com poderes e que seja quase da minha idade... — Teo esfregou a cabeça e olhou para baixo.

A garota não escondeu sua surpresa. Temos a mesma idade? Eu jurava que ele era mais novo...

Ao menos não parece ser um cara ruim... mas ele tá lendo a minha mente agora, né?

Eliza o observou, esperando que reagisse ao que ela pensava. O garoto não teve reação.

Ele tá tentando esconder ou realmente não consegue ler minha mente agora...?

Ah, merda... isso vai ficar me incomodando o tempo todo...

— Você está fazendo a cara de quem não sabe se o telepata está lendo seus pensamentos ou não — disse João Paulo, caminhando até eles. — Ele recebeu uma punição pelos problemas que causou quando nos conhecemos.

— Só diz que tô de castigo, JP. — Teo ergueu a mão direita para Eliza poder ver, tocando o anel em seu dedo indicador com o dedão. — Essa coisa aqui restringe os meus poderes... com isso, a área da minha telepatia é limitada para alguns centímetros só...

O garoto se aproximou de Eliza e ficou bem ao lado dela. Apesar de ser da mesma idade, o garoto mal batia no ombro dela.

Consegue... me... ouvir... agora?

Eliza piscou algumas vezes ao ouvir uma voz além da sua dentro de sua mente.

Sim... mas bem pouco... como se tivesse uma estática o tempo todo...

É culpa do anel... É uma droga... JP me deixou de castigo com esse anel só porque ajudei um pouquinho além do que deveria...

— Por favor, entre e explicaremos no caminho. Não sabemos a que horas o acordo vai acontecer, portanto precisamos ficar de guarda no lugar — disse o policial, sentando no assento do motorista.

Eliza e Teo sentaram na parte de trás, e JP dirigiu.

Ei, ainda pode me ouvir?

Alto, mas não tão claro, confirmou a garota. Ei, o JP deixou você de castigo mesmo...? Você não é um policial que nem ele?

Meus Olhos EnxergamLeia esta história GRATUITAMENTE!