XIV

2.2K 248 89

O som das espadas se chocando é como música para os meus ouvidos, principalmente por estar a tanto tempo sem treinar. Apesar do meu cabelo estar preso, ele já estava todo ensopado devido ao exercício e porque eu já estou aqui há muito tempo, mas mesmo assim ele não me atrapalhava em nada os meus movimentos.

Nós recuamos mais uma vez, nossos olhares fixos um no outro, avaliando o oponente e tentando descobrir qual vai ser o próximo passo. A espada de treino é bem mais leve do que as que eu estou acostumada a usar e por causa disso acabo tendo um pouco mais de facilidade na hora de manejá-la, por já estar acostumado com as mais pesadas que são definitivamente as mais difíceis, na minha opinião, é claro.

Girei a espada na minha mão mais uma vez e dei um passo na direção do meu oponente: o príncipe herdeiro Arathron. Ele fez o mesmo, mas para o lado oposto ao meu e assim nós começamos a andar em círculos enquanto esperávamos o outro dar o primeiro passo. Nossos olhares se cruzavam, ao mesmo tempo que eu tentava observar cada passo seu.

Dessa vez, livre do longo vestido estilo princesa que eu estava usando antes e usando uma calça leve com uma blusa simples e botas estava muito mais fácil de me movimentar sem ter que me preocupar em pisar na barra da saia e cair, além de que estava me sentindo bem mais confortável que antes e podendo treinar facilmente com Arathron que havia feito o "convite" anteriormente e eu não pude recusar depois de ver um pequeno sorriso debochado surgir em seus lábios.

Cansada de ficar dando voltas em círculos eu avancei cautelosamente primeiro e depois rápido atacando-o ferozmente, sem dar brechas para ele me atacar, somente se defender. Eu o forcei a ir dando uns passos pra trás enquanto se defendia, e a pequena multidão que estava nos assistindo foi forçada a recuar para não serem atingidos. As espadas se chocavam constantemente, o barulho do metal em atrito contra o outro chamaria a atenção de qualquer pessoa que estivesse por perto e fosse curiosa o suficiente para se aproximar do barulho.

Desde que havíamos começado a treinar, muitas pessoas se juntaram ao nosso redor, principalmente minha "turma", que observavam toda a luta com um interesse, menos meu irmão, que me olhava reprovador, como se eu tivesse culpa por estar lutando com o príncipe herdeiro. A qual é! Ele que provocou!

Arathron conseguiu uma brecha para me atacar do meu lado esquerdo, mas felizmente eu consegui me defender antes de ganhar um belo corte no braço, mas novamente ele me atacou e girando o meu corpo trezentos e sessenta graus eu consegui desviar dele para depois bloquear com a espada mais um ataque. Seus olhos cinzas se fixaram nos meus dourados, seu cenho franzido demonstra o quanto ele não está satisfeito com tudo isso e uma parte de mim se alegrou ao ver que ele estava frustrado, mas não demonstrei fisicamente, embora eu quisesse - e muito - sorrir abertamente.

Meus braços e pernas começaram a protestar de dor, ao ficar ali me defendendo dele constantemente, uma clara disputa de forças que eu não tenho a mínima chance de ganhar por ele claramente ser mais forte que eu e logicamente que por saber disso, eu lhe dei um chute na barriga obrigando-o a se afastar de mim e me fazendo dar alguns passos pra trás para conseguir me equilibrar e tentar recobrar o fôlego perdido. Respirei fundo algumas vezes até que eu consegui acalmar a minha respiração um pouco, novamente pronta pra outra - pelo menos eu espero - esperando pacientemente ele fazer o primeiro movimento, flexionando levemente meus joelhos, me preparando sem desviar o olhar do dele.

O que fazer quando o seu oponente é maior e mais forte que você?

Mais um ataque na minha esquerda, que ele pareceu perceber ser meu lado mais fraco e continua atacando ele constantemente, defendi por pouco com a espada e consegui lhe dar um chute na lateral vendo com satisfação ele se encolher e perder um pouco da força que estava exercendo com os braços na espada, me dando brecha para empurrá-lo pra longe de mim e conseguir abaixar de um movimento rápido e preciso seu com a espada que iria atingir a minha lateral com a parte chata da espada, não ia me cortar, mas ia doer pra caramba.

Guerreiros do AmanhecerLeia esta história GRATUITAMENTE!