[15] A chama que nunca se apaga

61K 4.5K 9.6K
                                    

Depois de mil anos, olha quem apareceu? 

Não tenho o que falar hoje, apenas boa leitura!

Nós poderíamos ter tido tudo
Rolando nas profundezas
Você teve o meu coração na palma da sua mão
E você brincou com ele, no ritmo da música

- Rolling In The Deep


#JujubasEKingKong

usem a tag plmds eu to implorando :(

usem a tag plmds eu to implorando :(

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Sexta-feira

Dando uma rodada pelo salão enorme, vislumbrei o quão elegante e sofisticado era. A banda de jazz ao fundo servia de elegância e primor para o local rodeado de empresários e acompanhantes muito bem trajados.

As luzes esmaeceram morosamente, clareando apenas a encantadora escada forjada em dourado, por onde surgiu, das sombras à luz, sapatos elegantes de cor preta ornados com pequenos diamantes, e a cada passo, mais se podia ver o corpo forte e alto tomar forma pela iluminação. Ele trajava um terno vermelho bordô de corte italiano, delineando a cintura e acentuando suas curvas. Ao descer pela escada como um czar, dirigiu seus lumes de azeviche em minha direção, e com o costumeiro riso sagaz nos lábios estendeu-me a mão na frente de todos, convidando-me para uma dança ao som de Take Five.

Num impulso anormal, cedi ao convite e caminhei pelo salão até nossas mãos se encontrarem e os corpos unirem-se como pertencentes dali, seguindo ritmo próprio, a sincronia perfeita. Olhá-lo tão de perto era um pecado, observar cada detalhe dos lábios finos chegava ser tortura, principalmente com aquelas mãos me segurando pela cintura de modo tão firme e seguro.

Eu não iria conseguir resistir a Jeon Jungkook por muito mais tempo.

Aquela proximidade.

A música nos embalando numa atmosfera fascinantemente imprópria.

Os corpos colados.

Eram sensações demais para se suportar duma única vez.

Prestes a ter um colapso do que fazer ou não, Jungkook puxou meu rosto em sua direção delicadamente, e com um sorriso devasso desprendendo dos labros disse:

— Acorda. 

Como se tivesse sido premeditado, o despertador tocara pelo meu quarto estridentemente no mesmo instante, lembrando-me que aquilo não se passou de uma fantasia fabricada pelo meu cérebro.

Eu tenho cara de palhaço, senhor inconsciente?

Olhei o cômodo envolta com frustração por ter sonhado justamente com ele. Quanto mais eu tentava esquecer de Jungkook, sentia algo invisível me puxando para si novamente. Puta merda, eu quero seguir em frente, só que isso é impossível quando chego até sonhar com esse bendito!

A COR MAIS QUENTE | JIKOOKOnde as histórias ganham vida. Descobre agora