[10] Contar estrelas

58.3K 9.2K 14.5K
                                    

Fico muito triste vendo que a maioria lê e não vota, então por favor, clica na estrelinha que vc me deixa feliz e engajada a escrever. Boa leitura!


"Eu sinto algo tão certo, fazendo a coisa errada"


#JujubasEKingKong

Os raios solares da manhã preenchiam tudo, e mesmo que as persianas estivessem fechadas, ainda sim sentia a claridade em meu rosto, já que a cama ficava de frente para a janela

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Os raios solares da manhã preenchiam tudo, e mesmo que as persianas estivessem fechadas, ainda sim sentia a claridade em meu rosto, já que a cama ficava de frente para a janela. A preguiça reinava tão forte em mim que nem sequer conseguia abrir os olhos, tamanho o sono e vontade de virar para o lado e voltar ao meu sossego, e foi exatamente isso o que fiz, virei para o outro afim de voltar a dormir, ou melhor, foi essa a ideia inicial. 

Não conseguia me movimentar porquê havia um braço em cima de mim, um braço forte e tatuado que circulava meu corpo e o prendia contra si. Fiquei nervoso ao tentar me recordar da noite passada e então a figura de Jungkook rondar meus pensamentos, entrei em desespero. Atordoado, virei bruscamente e quase gritei ao ver sua figura atrás de mim dormindo de boca aberta e o cabelo desgrenhado pelo travesseiro. 

Como caralhos aquilo aconteceu? Será que eu virei a Dori e agora tenho perca de memória recente? Não é possível que eu não consiga lembrar de uma possível transa com o homem deitado ao lado. 

Tinha dado um pane tão doido no meu sistema ao imaginar as mil e uma possibilidades de coisas que aconteceram para Jungkook estar deitado na minha cama, me sinto na beira de um colapso. Todavia, somente uma única probabilidade assustava mais, principalmente devido ao fato de não lembrar-me de absolutamente nada.

— Jungkook. — cutuquei sua cara e o bonito não moveu um músculo. — Jungkook, caralho acorda! O hotel tá pegando fogo! — berrei no seu ouvido e olha só, não é que a donzela abriu o olho rapidinho. 

O problema era que eu não sabia que ele reagiria de maneira tão exagerada. Arregalou os olhos ainda meio turvos pelo sono, virando o corpo na cama assustado caçando o tal fogo, mas aí me derrubou no chão pela brusquidão dos atos repentinos. Quando digo que esse homem é um ogro...

— Cadê o fogo?! — questionou apavorado, já de pé.

— Não sei, deixa eu ver se tá aqui no meu bolso. — fingi procurar no bolso do pijama, tirando o dedo do meio dali e mostrando para ele. — Isso é por me empurrar 'pra fora da cama! — ralhei irritado. 

Dois minutos foram os suficientes para ele conseguir de situar na situação e perceber que não havia fogo nenhum e que sou um grandessíssimo filha da puta por acordar alguém sem o mínimo preparo. Mas quer saber? Nem ligo, sei que, com toda certeza do mundo, Jungkook faria o mesmo comigo. 

Chumbo trocado não dói, sábias as palavras de mamãe.

Ademais disto, seus lumes se fixaram para observar o ambiente em volta com estranhamento, finalmente percebendo que estava no meu quarto, e que há uns minutos atrás dormia comigo, na minha cama. Agora o daremos um segundo de silêncio, para então vim a aclamada pergunta que eu tanto caçava a resposta, assim como ele agora:

A COR MAIS QUENTE | JIKOOKOnde as histórias ganham vida. Descobre agora