Capítulo Extra - Ren - Sobre Elementais e Fatasmas - Parte 02

549 73 15


Puppet, até então esquecida, emitia alarmes espasmódicos, advertindo sobre o perigo iminente. As pupilas de Ren, antes protegidas pelas pálpebras, mal conseguiam mirar toda a luminosidade. As árvores estavam em chamas novamente, ainda mais brilhantes. Todo o ambiente cintilava, como se banhado pela luz do sol do meio dia. A garota olhou ao redor, as lágrimas atrapalhando. Praguejou quando percebeu que o velho Larson não estava mais lá. Em seu lugar, nada menos do que Ícarus, com um sorriso ameaçador.

- Ira dos Sons, eu avisei para que não se demorasse muito na Floresta Flamejante. Que diabos a fez pensar que poderia ficar aí no chão por duas horas meditando? Achei que tivesse mais noção do perigo.

Ren não captou mais nada depois de "duas horas meditando". Ela tinha ficado ali imóvel por duas horas? Pareciam minutos!

- RENATA MARO. SE EU PUDER FAZER UMA SUGESTÃO, ACONSELHO VEEMENTEMENTE QUE SE RETIRE DAQUI. PROBABILIDADE DE ATAQUE É DE 99%...

Puppet mal foi capaz de concluir a frase. Em questão de segundos uma rajada infernal relampejava na direção da garota e da boneca de metal.

Ren mal teve tempo de pensar. Num ato reflexo, abraçou Puppet e a colocou para trás, enquanto produzia uma parede sônica com a outra mão. O som reverberante produzido por seus dedos segurou a maior parte das chamas. Ainda assim, as duas foram jogadas para trás, os pés de Ren deixando o chão e voando para o alto. Ela rolou algumas vezes para trás, soltando Puppet e estapeando as chamas que lambiam suas roupas. Um clarão a cegou subitamente. Com a velocidade de um raio, Ícarus surgiu como uma aparição maligna bem a frente da garota, acertando-a sem dó entre os seios. Ren soltou um gemido engasgado enquanto todo seu corpo se projetou para trás, uma linha de fogo de arrastando no ar a partir de seu peito.

Mais uma vez, o elemental de fogo se adiantou, voando mais rápido que a adversária. Deixou que ela impactasse contra seu tórax massivo, retorcendo uma parte de seu cabelo devido às chamas que formavam seu corpo. Assim que ela caiu no chão, segurou a cabeça da humana, colocando ambas as mãos enormes em cada orelha.

- Posso deixar você ir com uma condição. Me dê uma lembrança. Estou curioso em saber como voltou à vida.

As palmas desproporcionais do flamine a mantinham firmemente deitada contra o solo. Ela se debateu, mas o peito ardia, vermelho e chamuscado. O cheiro de cabelo queimado flutuou até suas narinas. Foi quando uma imagem invadiu sua mente. A visão de Toni exatamente na mesma situação que ela, subjugado e ferido, enquanto o elemental exigia uma memória. Em pânico, lembrou do que isso tinha custado a seu irmão, o estado lastimável em que ele ficara após a intromissão de Ícarus em sua mente, os vários dias que ficou em coma.

Ren sacudiu a cabeça e lutou contra as mãos do elemental. Sua expressão de puro ódio e dentes escancarados fizeram com que as mãos de Ícarus vacilassem e seu tronco de fogo se inclinasse para trás.

- NUNCA VOU DAR NADA A VOCÊ! ME LARGA!

A voz de Ren irrompeu em uma onda de choque avassaladora, sacudindo e desfazendo toda a magia que formava a parte superior de Ícarus. Suas palmas se afrouxaram completamente e Ren pulou para longe de seu alcance. Ela assumiu uma pose de defesa, as pernas bem separadas.

Por um instante o flamine foi apenas um pedaço de tronco sem cabeça e ombros. Mas sua magia logo deslizou para reformar seu corpo, as partes danificadas se reacendendo, com ainda mais violência. As fendas que lhe faziam as vezes de olhos estavam ainda mais negros e profundos. Como se desejassem arrastar Ren para um lugar de escuridão e dor eternos. A boca parecia ainda mais alongada, o sorriso pérfido.

Ren havia ultrapassado todos os limites. Ícarus não aceitaria mais uma lembrança sua, nem que ela lhe oferecesse de joelhos em uma bandeja de ouro. Agora, nada o impediria de observar sua carne mudar de cor, enquanto era incinerada. Sim, ela estava muito ferrada.

Perna de MagiaOnde as histórias ganham vida. Descobre agora