Cálice

275 24 1
                                    

Pov Leo

Eu passei a noite inquieto como se a qualquer momento algum monstro pudesse invadir o meu Argo.

Lembrava da conversa do jantar, todos estavam tão abatidos que eu pensei em fazer uma piada, porém ela foi um tanto "mal interpretada"(como sempre), acharam - a ofensiva com Frank, é duro quando não apreciam sua arte, eles acham que é fácil sorrir e contar piadas quando todos los seus amigos te llaman de molesto? Ou quando pela segunda vez usted no llega a tempo de salvar as pessoas que gosta?

Eu fiquei pensando nisso por minutos que se passavam como horas, até que em um momento indefinido acabei dormindo, e como sempre pesadelos.

"Eu estava vendo de cima dois garotinhos abraçados em um canto de um quarto de decoração rústica, eles pareciam assustados olhando para a porta fechada. // ( a cena mudou) // Agora uma sombra carregava os meninos para um lugar escuro que lembrava um porão, o menino loiro gritava a plenos pulmões em outra língua enquanto o moreno chorava como um animal ferido. Foi então que uma voz grossa e fria brotou da sombra, lhe causando arrepios:

--- sta 'zitto [calem - se] //// Tudo escureceu"

Acordei desconfortável, aquele não foi um pesadelo comum, o menino moreno não me é estranho mas o loiro? Resolvi ir ao refeitório contar aos meus amigos, como já era hora do café da manhã levantei - me rápido.

Assim que cheguei encontrei todos juntos e os contei meu sonho, ninguém demonstrou qualquer idéia do que significava, mas pelo canto dos olhos ví o D ' Angelo empalidecer (se é que isso é possível, o garoto parecia um zumbi) e seus olhos negros transpareciam perplexidade.

Engraçado os olhos de menor pareciam dois paços vazios, claro um tanto intimidantes mas eles até chegavam a ser ...

---Algum problema Valdez? -- percebi que estava o encarando. O que me fez chingar-me mentalmente, pensei em falar algo engraçado mas o filho de Hades me mandaria direto para o Tártaro.

--N-não eu só queria saber sua opinião -- Molesto!

Nico o olhou como se tentasse o decifra- lo, e virou por fim para os outros semideuses:

--- Na verdade meu pai me visitou ontem a noite e mandou um recado --ele parou para ver se todos prestavam atenção -- quando atravessarmos a Casa de Hades passaremos por várias provas,e isso já se havia tornado óbvio, porém uma destas será beber um veneno...

--- Hum, estou cada vez mais animado, adoro veneno! -- eu disse ganhando um olhar cortante de Nico e ouvi alguma reclamações.

--- Como eu iai dizendo, o único antídoto tem duas fazes de preparo, a primeira está na " La Casa Nera na rua Calheiros Frezzeria, Itália" -- Nico falou em um fluente italiano que me surpreendeu-- a segunda é um objeto onde deve se beber o antídoto, está no país porém meu pai não me deu pistas.

--- Você é italiano? -- eu perguntei curioso mas ele fingiu não ouvir.

...

---Eu acho que sei qual é o objeto -- Piper disse brevemente e retirou do bolso um papel do bolso, nele avia desenhado um cálice de aparência antiga com decoração religiosa e rachaduras nas bordas -- sonhei com ele ontem a noite, achei que poderia ser útil, alguém tem alguma idéia?

...

--- Sim! -- a resposta veio baixa mas mas forte de um Nico de olhos levemente arregalados.

Sorriso PassadoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora