A Maldição dos Anjos

136 13 0
                                    

Pov. Leo

-- Para o porão-- sua vós saiu mais rouca que o normal o que me causou um frio na espinha ( n-no mal sentido eu quero dizer!).

-- Bom este não era o segundo cômodo a se ver? Estamos no caminho certo, não? -- Piper perguntou.

Olhei para Nico mas não via seu rosto.

-- Sim rainha da beleza provavelmente o cálice está lá, agora. .. -- peguei materiais para duas tochas improvisadas e acendi a primeira, me estiquei até minha amiga e entreguei , produzi outra e me abaixei para Nico sorrindo e me suspriendi ao ver seus lábios ficarem tremulos por um momento se obrigando a não sorrir, fiquei feliz sem saber o porque, o garoto corou.

Piper pigarreou e eu também corei, voltei para o meu degrau torcendo para o italiano não ter notado.

-- Bem, antes um aviso, o porão é um dos lugares que mais carregam energia negativa na mansão então fiquem atentos mesmo aqui na escada. -- alertou o mais novo.

Descemos as escadas em silêncio até que ouvi uma voz como um sopro em meus ouvidos.

- saiam! -(Não) pensei como se ele pudesse me ouvir.

- não seja tola criança, é o que você sempre faz não? sair de fininho quando ninguém te olha? - ( Como você! ? ...)

- saia, leve a garota e quem sabe o cálice se convencer meu tio, mas o d' Angelo fica! - (O que? Não! Por que? )

- só pode ser praga! mais um gay pisando em solo Liparoti, que absurdo! tomara que você encontre sua mãe no infer...

-- Cállate, idiota usted no me conoce -- a voz se calou.

--Leo ? O que aconteceu? -- Piper perguntou.

--Vocês não ouviram? -- perguntei ainda aflito e sussurrei-- a voz! ?

-- Voz? -- questionou a filha do amor

-- Também a ouvi, fique calmo é só um espírito -- disse o d' Angelo como se quisesse me acalmar.

-- Do que estão falando ? -- perguntou a filha de Afrodite.

-- Nada está tudo bem Pips -- tentei acalmá-la, logo veio uma onda de silêncio.

Descemos por mais alguns minutos até o fim do buraco, o chão estava a 3 metros, Nico foi o primeiro a pular o ví colidir com o chão e cair como se desmaiasse, uma onda de pânico tomou conta de mim.

Pulei.

O porão estava diferente de meu pesadelo, um cômodo grande de chão e paredes encardidas, bancadas contornando o cômodo cheias de tralhas ( o que meu TDH adorou ) e uma escada de ferro até o teto, porém coisas estavam jogadas no chão como se tivessem sido empurradas, o alçapão foi arrombado e havia uma grande rachadura (digna de um filho de Hades) no chão.

Sorri me agachando para analisar o moreno, pelo canto dos olhos ví Piper se afastar com um sorrisinho malicioso. Revirei os olhos.

O garoto estava trêmulo e suando frio, peguei ambrósia em meu cinto e coloquei em sua boca preocupado, levantei seu corpo desacordado e o coloquei com cuidado no chão enquanto observava minha amiga procurar o cálice.

- Se apresentem! - um homem pálido apareceu de algum lugar, este deve ser o tal "tio", me coloquei na frente do garoto desacordado.

-- Eu sou Piper McLean e este é meu amigo Leo Valdez -- disse ela simpática com auto confiança. O homem se virou para ela com um sorriso que logo se fechou.

-- Em minha casa mulher não fala! -- disse simplesmente e me encarou -- o que querem?

-- Bem, viemos em busca de um cálice antigo com decoração religiosa, ele bem ... Será de grande uso para nós. -- falei olhando para Piper em busca de apoio, a mesma observava com raiva contida o homem ,que não pertencia satisfeito com a minha resposta.

-- Vejo que estão em uma missão interessante, mas não posso ajudar, o cálice que vocês estão procurando está no penúltimo quarto do corredor o de Enrico -- ,ele apontou para a passagem escancarada.

-- Okay, muito obrigado -- falei com cuidado pensando se este Enrico daria o cálice de bom grado (Não custa sonhar). .

-- Espere, entenda eu não sou muito fã dos d' Angelo no geral pela " Maldição dos Anjos" como chamam a minha família. Mas sei que a culpa não é deles ,os Liparoti tem temperamento forte no amor e no ódio. Tenham cuidado com Enrico, ele nunca esqueceu sua d' Angelo, pesam ajuda é tudo o que posso dizer. -- e o homem sumiu, olhei para o nada onde ele se encontrava anteriormente até chegar a uma conclusão. Os Liparoti devem ter personalidade dupla!

Depois de um tempo ao lado de Nico o garoto finalmente abriu seus olhos negros desfocados e depois de analisar calculista o ambiente, seu olhar parou em mim.

Sorri e vi seus lábios finos e rosados tremerem, me contentei com isso.

-- Até que em fim Bela Adormecida achei que iriamos posar aqui -- estiquei minha mão, por um momento achei que iria ficar no vácuo e recuei a mão.

Ele a puxou e se levantou.

-- A quanto tempo estou assim? -- perguntou para ninguém em específico mas me olhava pelo canto do olho.

-- Só alguns minutos, mas um fantasma veio falar conosco -- seus olhos se focaram em mim -- o que é a " Maldição dos anjos" ?

-- Ah ... bem é como os Liparoti nos chamavam, desde que meus antepassados chegaram na Itália -- sua voz tinha um tom envergonhado -- eles diziam que lançamos uma maldição sobre eles, pois todos os seus antepassados já amaram um d' Angelo porém nunca ficaram juntos por algum motivo.

Eu e Piper rimos um pouco.

-- O que mais ele disse ? Onde está o cálice? -- perguntou como se quisesse mudar de assunto.

-- Ele disse que estava no penúltimo quarto daquele corredor , Quem é Enrico? -- Ele me parecia incomodado.

-- O pai de David -- falou com amargura.

--Ele era apaixonado por sua mãe não era? -- Piper perguntou, ele assentiu e se direcionou para as escada.

O seguimos.

Subimos para o corredor e vimos muitos quartos, seguimos até o penúltimo quando me lembrei.

-- Ele disse para pedirmos ajudar. -- o garoto me encarou como se pensasse em algo e em um passo abriu a última porta do corredor.

"David" se lia entalhado na porta.

Fransi o cenho, não era o mesmo quarto que eu vira no meu sonho, então me lembrei de uma coisa.

-- Nico você disse que "TALVEZ" seja aqui onde tudo aconteceu não é? -- ele assentiu como se acompanhasse meu raciocínio e temesse a próxima pergunta, mas eu a fiz olhando para o alçapão arrombado. -- Não foi aqui onde David morreu não é?

Sorriso PassadoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora