Capítulo 8

1.4K 135 106

Oiii! Sim eu sei que tenho andado desaparecida, MAS AINDA ESTOU VIVA!!! Consegui subir as minhas notas toda e ganhei novamente o amor da minha vida ( tele ).
Eu sei que tenho muito para explicar... principalmente o facto de ter mudado o nome da história, capa, o nome da conta....

Comentem a vossa opinião sobre:
-MADISON OU APRIL?
-PK MUDEI DE NOME?
-TANTO TEMPO PARA ATUALIZAR PK?

Eu irei responder a todas as perguntas que forem feitas, mesmo que me custe a falar sobre isso...

Ps: não seja um leitor fantasma deixe a marca!!!

...............................................

April on

Depois da discussão com as minhas duas tones a enfermeira veio avisar que a hora das visitas tinha terminado e infelizmente vou ter de passar a noite no hospital.

Tentei adormecer.

Um.

Duas.

Três.

Tinha quase a certeza que estava a tentar dormir á séculos, apesar de estar exausta a minha mente continua a levar-me para o dia de Amanhã.

A partir de amanhã tudo pode mudar a qualquer minuto, e o pior de tudo é que não posso fazer nada.

Não posso ter os meus pais de volta.
Não posso ter a Graça de volta.
Não tenho para onde ir a não ser para a casa de um desconhecido, que por sinal é o único membro da minha família adotiva.
Não vou ter as minhas amigas tão perto de mim devido á distância pois parece que a "minha futura casa" é no meio do nada...

Senti as minhas pálpebras pesarem á medida que os meus pensamentos se enrolavam e acabei por adormecer.

(...)

Mais uma vez acordo nesta cama tão confortável do hospital ( eu acordo tão irónica de manhã... )

Um ramo de flores e uma carta, no quarto chamaram a minha atenção fazendo com que eu me levantasse a muito custo

Carta:

Bom dia April, se estás a ler a carta é porque já estás acordada. Falei com os médicos e eles disseram que quando estiveres pronta podes ir para casa. Venho te buscar ás 11.00h, só não estou mais cedo porque fui comprar algumas coisas para deixar o teu novo quarto mais acolhedor...

Beijos Harry

Ps: não sou muito bom a escrever cartas...

Não pode deixar de sorrir por o seu esforço em escrever a carta... já para não falar no facto de ele ter sido um querido. Como é que as pessoas têm coragem de o julgar? O que ouvi dizer é que ele é um monstro e blá..blá..blá a meu ver ele é um rapaz normal. Despertei dos meus pensamentos quando ouvi alguém a bater á porta, venho a cabeça da enfermeira a espreitar.

" pode entrar senhora..." Pedi permissão para a senhora que aparentava ter os seu cinquenta anos, pude observar que trazia umas peças de roupa que não me eram estranhas...

" Bom dia menina April! As suas amigas deixaram roupa para vestires." disse entregando a roupa. Agradeci á senhora de idade acabando por ficar novamente sozinha no quarto e paralisada a olhar para a roupa que me tinha sido oferecida num dos meus aniversários.

E quem ofereceu? Isso mesmo foi a Graça, a pessoa que tive mais perto de uma mãe/ avó....
Foi a minha única família depois do acidente e pelos vistos também me abandonou, tal como os meus pais.

Quando dei por mim já estava quase na hora do Harry me vir buscar. Fiz a minha higiene, vesti a roupa.... quando finalmente acabei de me arranjar ouço alguém a bater á porta.

" Sim? "
"April já estás pronta? " ouvi uma voz rouca, na qual tinha certeza que era o Harry
"Sim, podes entrar." Vi uma figura alta,cabelo cacheado e um par de olhos cor de esmeraldas. Sim é o Harry.
" Vamos? Já tratei da papelada toda aqui no hospital e já tens o teu quarto preparado."
" Sim vamos! Já estou farta deste hospital." Reclamei.

Saímos do hospital, só faltava lançar os foguetes ( meu Deus como eu odeio os hospitais).
Segui o Harry até ao carro que a meu ver era bastante acolhedor até.

A viagem foi feita em silêncio, não aquele silêncio constrangedor. Alguns minutos depois que pareciam horas o carro parou dando a intender que tínhamos chegado.

Mil pensamentos passavam por a minha cabeça como se fossem o vento, cada vez mais e mais pensamentos como por exemplo:

Como é a casa?
Será grande ou pequena?
Já que ele é um rapaz talvez a casa esteja toda desarrumada!?
Talvez a casa tenha saídas secretas como nos filmes...

Mais uma vez fui despertada dos meus pensamentos quando a porta do carro se abriu mostrando um Harry diferente, os seus olhos verdes deram lugar a uns olhos completamente pretos, o seu sorriso carinhoso deu lugar a um sorriso maléfico cheio de más intenções.

Senti uns braços fortes a agarrarem a minha cintura, fazendo com que eu saísse do carro. Quando olhei novamente para o ser á minha frente os seus olhos estavam verdes e o seu sorriso maléfico havia desaparecido.

Terei eu imaginado que os seus olhos eram pretos? Estou a ficar tolinha e o dia ainda mal começou.

Quando finalmente olhei para a casa nem queria acreditar no que via. Era a mesma casa que eu tinha sonhando, quer dizer a casa onde apareciam os corvos.... Um arrepio percorreu a minha espinha quando senti uns braços na minha cintura e ouvi um sussurro da parte do Harry.

" Bem vinda! Este é o meu paraíso, que será o teu inferno" senti um beijo molhado a ser depositado no meu pescoço, deixando o meu corpo todo arrepiado e o meu subconsciente a pensar. Quando dei por mim o Harry já tinha a porta aberta.

" Então bebé vais ficar ai?"

-----------

Espero que tenham gostado ;) Está pequeno i know.... mas vou compensar para a próxima
Já sabem vou responder a todas as perguntas que fizerem isto é se ainda n desistiram da minha fic :'(

CONDIÇÃO PARA O PRÓXIMO CAP: 50 comentários quero mesmo saber a opinião de toda agente







 ( h.s)Leia esta história GRATUITAMENTE!