Capítulo 7

1.8K 164 46

April on#

Depois do doutor ir embora ficou um silêncio constrangedor entre as quatro paredes, ainda pensei em quebrar o silêncio, mas optei por observar o ser de cabelo cacheado e olhos verdes, que por sinal é bem bonito. Os nossos olhares cruzam-se e foi ai que decidi cortar o silêncio, infelizmente ele fez a mesma coisa. E o silêncio voltou a instalar-se passaram-se uns segundos até eu poder retomar.

-É contigo que eu vou ficar?

- Ah... sim. Bem eu acho que me devia apresentar. Sou o Harry, tenho 21 anos como já deves saber vou tomar conta de ti até seres maior de idade. Soube que eras muito chegada à minha avó Graça e lamento imenso a tua perda.

Achei estranho ele ter dito a "tua" perda. Afinal a avó também era dele não é? A minha curiosidade levou a melhor e não deixei passar nem mais um segundo.

- Isso é estranho. A Graça nunca me falou que tinha parentes vivos.

Vi o desconforto na cara dele devido à minha pergunta.

- Bem pode-se dizer que nunca tivemos uma relação chegada. - disse com normalidade. - Bem de qualquer maneira, tenho de ir agora. Foi um prazer conhecer-te ...

- April

- Foi um prazer conhecer-te April.- aproximou-se de mim e depositou um beijo na minha testa.

Dizer que me derreti com aquele beijo, foi pouco. Quando dei por mim estava sozinha no quarto, outra vez. O nome dele não me saia da cabeça tinha uma pequena impressão que aquele nome me é familiar, foi ai que me lembrei do meu "sonho".

Eu sei que parece estranho, mas eu sentia que já o conhecia. Eu já tinha ouvido o nome dele algures.

E lembrei-me. Foi no sonho, o maldito sonho que me tinha posto neste hospital. Foi no sonho que tinha visto o nome dele.

" Sou o filho do diabo perdido na escuridão - Harry"

Senti um arrepio pela espinha acima. Milhares de pensamentos passaram pela minha cabeça: seria uma coincidência? Ou seria apenas um género de um aviso? O mais provável é eu estar a ficar maluca.

Algo interrompeu o meu pensamento, e quando eu cai na realidade ouvi alguém a bater à porta.

Uma parte de mim queria que fosse o tal Harry, mas aí a porta se abriu e vi que não, não era Harry. Eram aquelas aberrações da natureza, as minhas amigas.

-Podemos entrar princesa?- pergunta Kelsey a sorrir embora não seja o seu sorriso normal, conhecendo como conheço diria que me esconde alguma coisa.

- Não ficam ai à porta! Mas é claro que podem entrar. Antes de mais o que tens a traz das costas Mia?

-Nada de mais, são só umas flores! Nos sabemos que tens alta amanhã mas quisemos trazer alguma coisa.- disse com uma ar triste. Ok definitivamente elas estão a esconder algo.

- O que aconteceu? Estão esquesitas!- Eu sei que a Kelsey não vai conseguir estar muito tempo calada....

-Aps é assim eu não queria que passasses por nada disto, eu sei que perdes-te os teus pais e agora a Graça... lamento imenso!- Eu sabia que ela não ia ficar calada, com esta agitação toda nem me apercebi que a minha vida vai dar outra vez uma volta de 360 graus. Antes que pode-se impedir uma lágrima cai dos meus olhos, seguindo-se de muitas outras. Eu sabia que não ia ter a Graça de volta nem ela nem os meus pais, mas porra ela tinha me prometido que ia estar sempre comigo foi ai que me lembrarei da noite antes de ir para a casa da Mia, a noite em que estava na casa da Graça e tive um pesadelo.

Flashback on#

- Calma querida eu estou aqui sempre que precisares! - disse fazendo carinhos no meu cabelo.

 ( h.s)Leia esta história GRATUITAMENTE!