🇧🇷Capítulo 12🇧🇷

8.1K 908 5.2K
                                    

LEIAM AQUI ANTES DE INICIAREM A LEITURA:

-Vidas, o capítulo ficou enorme, então hoje nós vamos ter atualização dupla.

-Eu não sei se vocês vão gostar do capítulo, os leitores aumentaram de forma considerável e eu estou um tanto quanto insegura com a minha escrita, então se vocês tiverem alguma dica, não deixem de me mandar :)

-EU ESTOU PENSANDO EM FAZER UM GRUPO DA FIC, então deixe o seu user do twitter aqui se você quiser entrar.

-Agradecimentos especiais no fim do capítulo <3

Não se esqueçam de
VOTAR e COMENTAR 💖

BOA LEITURA XOXO
~•~

Louis Tomlinson sempre repudiou dividir sua cama com ficantes, e os motivos eram bem claros:

1- Dividir cama era algo íntimo demais. O garoto não é do tipo que se apaixona com facilidade, mas mesmo assim possuía o dom, que ele particularmente não sabe se é algo vantajoso ou não, de apaixonar as pessoas em sua volta.

Os resultados disso eram sempre desilusões, sem ele ao menos ter controle sobre isso. Então, bom, dividir cama era quase uma certeza de erro. Algumas pessoas certamente levariam aquilo pro lado errado da coisa, então a sua escolha era sempre evitar.

2- Ele era extremamente espaçoso e fazia questão de não ter nenhum ser humano prendendo seu corpo entre os braços ou o impedindo de ser um incrível lutador na cama, porque sim, quem dormisse com ele estava sujeito a levar um soco na cara sem ter feito, ao menos, alguma coisa justificável.

E com Harry era a mesma situação, o maior odiava ter seu espaço limitado. Ele queria poder girar na cama feito um bailarino sem que nada, além dos seus vários travesseiros pena de ganso, o atrapalhasse.

O cacheado, definitivamente, odiava ser oportunado durante o seu sono da beleza, ter alguém o acordando no meio da madrugada por estar se mexendo demais, ou pior, reclamando de sua "perna pesada" (como foi o caso de seu ex) no meio da noite provavelmente o faria ficar com o pior humor imaginável, além de sua usual cara de gatinho bravo.

Em que mundo dois caras com essas características e princípios um tanto quanto peculiares escolheriam dormir juntos de forma consciente? Era como juntar álcool com isqueiro. Qualquer descuido e BOOM, a confusão estava armada.

Por sorte isso não aconteceu da primeira vez em que seus corpos dividiram um espaço relativamente pequeno, e felizmente, não era isso que estava acontecendo agora.

Eu, sinceramente, não sei qual fenômeno fazia questão de ajudar os dois. Deus, Alá, Jah, Homem de ferro... Seja lá qual for, ou no que você acredite, tinha uma força maior realmente dedicada em bagunçar com os principais valores que ambos possuíam, e sem nem pestanejar, jogá-los pelo ralo.

Era louca a forma que eles funcionavam extremamente bem juntos quando não travavam uma competição ridícula cheia de provocações idiotas. Podemos tirar como exemplo o cochilo que Harry e Louis tiveram.

Ambos dormiram muito bem, em um sono completamente relaxado. Nem mesmo a brisa gélida da janela conseguiu quebrar aquela aura gostosa, com uma incomparável sensação de calor e aquecimento que os corpos grudados dos dois emanavam um pro outro.

Brazilian soulOnde as histórias ganham vida. Descobre agora