Como era de costume, Eve sempre acordava cedo para correr, mesmo os ventos frios de outono não iriam impedi-la de se exercitar, assim que terminou de amarrar os cadarços do tênis o som da porta se abrindo a fez sobressaltar da cama assustada. Todd encarou-a com um olhar curioso, se ele não fosse homossexual, até pensaria que estava querendo algo.

O rapaz cruzou os braços sobre o peito e a encarou por alguns minutos.

— O que foi agora Todd? – perguntou impaciente.

— Ainda mereço uma explicação para o teatro de ontem, pois ninguém sai correndo de um restaurante tranqüilo e sofisticado como você fez. – indagou enquanto gesticulava tentando entender. — E para piorar, teve a audácia de chamar aquele lugar divino de "barulhento", um insulto.

Eve revirou os olhos e soltou um longo suspiro, ainda eram seis da manhã e seu assistente estava bombardeando-a de perguntas. A morena se levantou e se aproximou dele, parou alguns centímetros a sua frente e o encarou.

— Quer respostas não é? – perguntou, Todd assentiu. Ela suspirou e coçou a cabeça, como se estivesse tomando coragem, por fim continuou. — Então vá buscar um casaco, pois estou indo fazer minha corrida matinal.

Todd encarou-a espantado. Eve sabia que o jovem aspirante a estilista odiava correr, mas por outro lado não iria perder a oportunidade de saber o real motivo daquela atitude de sua amiga e companheira de serviço. Ele pendeu a cabeça para o lado e soltou um longo suspiro, gesticulou com o dedo indicador para que ela esperasse, ergueu ambas as mãos para o alto e disse:

— Tudo bem, me convenceu a sair nesse frio de Londres. – Disse pegando-a de surpresa. — Vou pegar meu casaco e já volto, não tente bancar a espertinha comigo.

Eve balançou a cabeça incrédula, ele realmente estava a fim de saber os motivos de seu comportamento da noite anterior. Ela soltou uma gargalhada, encostou-se na parede fria para aguardá-lo, verificou as horas no visor do celular e coçou os olhos.

Por um segundo fechou os olhos e encostou sua cabeça contra a parede. O som agudo de solas de borracha sobre o piso a fizeram sair daquele transe. Rapidamente a jovem se endireitou e deu uma boa e demorada olhada no look exótico dele.

— Você tá brincando que vai usar isso? – perguntou enquanto apontava para o casaco de couro legitimo.

Todd franziu a testa e moveu a cabeça de forma lenta.

— Qual é?! Esse é o único que tenho! E outra querida, está nas passarelas de Milão desse ano pra sua informação. – Respondeu encarando-a.

Eve balançou a cabeça e abriu a porta, caminharam pelas calçadas de pedras da bela e sofisticada capital londrina. Todd praticamente tagarelou o caminho todo até chegarem próximo à beira do rio Tâmisa, um belo lugar para fazer sua corrida matinal, porém os comentários de Todd a fizeram perder o ritmo da caminhada, todavia forçou-se a continuar andando. Ambos caminharam cerca de meia hora, assim que avistou o primeiro banco, Todd correu em sua direção igual a um cachorro faminto quando vê um prato de ração.

— Se me forçar a dar mais um passo que for, irei enfartar. – Grunhiu Todd enquanto desmoronava sobre o banco de madeira.

Eve não conteve uma longa risada, estava tão acostumada a correr todas as manhãs que nem sentia mas o cansaço, a jovem encostou sua cabeça contra o descanso do banco e soltou um longo suspiro.

— Não pense que me esqueci das explicações. – disse Todd ainda com os olhos fechados.

— Afinal, por que quer tanto saber? Não acha que deveria tomar conta de sua vida e não da minha. – indagou enquanto se ajeitava sobre o banco.

Amor  Por AcasoLeia esta história GRATUITAMENTE!