Um mês depois... Londres

***

As últimas folhas começavam a se desprender dos galhos secos, Eve estava com a cabeça encostada na janela do táxi. Seus olhos pareciam se perder por entre as calçadas cinzentas da bela Londres, enquanto seu assistente tagarelava, a jovem distante e um pouco diferente da divertida garota de Boston, não tinha contado a ninguém sobre os problemas que só acarretaram pontos negativos em sua vida, abarrotando todos seus projetos de outono/inverno.

— Não acredito que a Loren teve a ousadia de usar esse vestidinho brega! Santa mãe, como essa cor a desvalorizou completamente, um pecado contra a moda. – Resmungou Todd, enquanto mexia em seu celular, não houve uma resposta pronta como sempre esperava de uma designer, então se virou na direção de Eve e a cutucou de leve tirando-a daquele maldito transe. — Credo, está parecendo que viu um fantasma! Ou está de nova paixão?

Eve soltou um longo suspiro, ajeitou seu sobretudo e o encarou. Não tinha contado todo o desenrolar do desastre que fizera voltar mais cedo para Manhattan.

— Acho que deveria estar preocupado com os relatórios que irá apresentar para os diretores da revista. – Respondeu áspera. — Não tenho tempo para pensar em bobagens, precisamos focar em nosso encontro com os estilistas.

Todd franziu o cenho, balançou a cabeça e voltou sua atenção para a tela do celular.

— Afinal, o que aqueles caipiras de Boston fizeram com minha diva alegre? Até parece que foi em um funeral. – Resmungou com desdém.

Teria sido melhor. Pensou enquanto mordia o lábio, assim que o táxi estacionou na frente do belo restaurante Foster Ville, ela fechou os olhos por um segundo. Não demorou para tomar coragem e por fim abrir a porta e descer, sentiu uma leve brisa gelada adentrar seu sobretudo preto, fazendo-a fechá-lo, Todd pagou o táxi.

— Definitivamente Londres é bem caidinha. – Resmungou.

Eve balançou a cabeça e virou seu rosto na direção de Todd, sorriu, ele estava apenas fazendo o de sempre: Reclamando. Todd parou a encarando, depois estendeu sua mão na direção dela, que não recusou e soltou uma risada.

— Agora sim, ao menos uma risada, estou gostando de ver. – Disse, dando-lhe uma piscadela com o olho esquerdo.

A morena desdenhou com um gesto de cabeça, não estava com nem um pingo de vontade de estar ali, mas era serviço e não tinha como inventar uma desculpa. Isso sem contar que aquela era a chance que estava esperando desde que ingressara ao mundo da moda. Ela soltou um leve suspiro.

— Fique quieto e trate de se comportar. – respondeu Eve, encarando-o. — Esses estilistas são duros na queda. Poxa o Gaillard não poderia esperar que eles voltassem para Manhattan, mais não tinha que ser justamente quando eles estão em sua semana de apresentação na capital londrina, para ver a linha dos novos designs que pretendem ingressar na empresa.

Todd suspirou, colocou a mão livre sobre o peito, arrancando outra risada de Eve. Não adiantava tentar ficar séria ao lado de um rapaz do Brooklin que mais tinha vocação para ser um comediante do que um estilista.

— Qual é? Nasci no Brooklin, querida. Eles é que tem que ter medo de mim. E afinal deveria estar feliz, pois Gaillard não costuma bancar viagens para fora do país, só quando é do estremo interesse dele. – Disse.

Eve não resistiu à outra risada espontânea, moveu a cabeça de forma lenta e concordou.

Ambos caminharam na direção da imensa porta de vidro, um rapaz de altura mediana abriu a porta para eles e Eve agradeceu com um gesto de cabeça. Seguiram na direção da recepção do local, onde uma mulher ruiva, alta, trajando um elegante vestido de cor neutra que contrastava com a cor de sua pele, os atendeu com um sorriso automático nos lábios pintados de vermelho claro, o velho costume britânico de ao menos tentar ser cordial.

Amor  Por AcasoLeia esta história GRATUITAMENTE!