━━ 8.

7.3K 1K 1.4K
                                    

𝗥𝗔𝗙𝗘

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

𝗥𝗔𝗙𝗘.

⏤ Ela tá fazendo o que?

A pergunta incrédula de JJ é quase solta num grito naquela cozinha. Enquanto preparo meu suplemento para ir logo pra academia, o resto dos meus amigos tomavam seu café da manhã na mesa.

⏤ Transando com seus amigos pra se vingar de você. ⏤ repito, sem muita preocupação.

Me viro com meu suplemento já pronto dentro da garrafa e o bebo, mesmo que sentisse minha língua quase se contrair com o gosto amargo. Já estava acostumado, dava pra aguentar. Ao contrário de JJ, não tenho paladar infantil.

Meu melhor amigo cruza os braços sem deixar o semblante chocado do rosto. Percebo como John B. segura a risada e Pope permanece em silêncio, porém, carregando um sorrisinho no canto da boca. Depois o Rafe Cameron que não valia nada no time de hóquei, com certeza.

⏤ E vocês pretendiam me contar isso quando? ⏤ JJ questiona revoltado.

⏤ Cara, ninguém ia te contar ⏤ Pope é quem responde. ⏤ vocês terminaram, não foi?

⏤ Sim, porra, não chegou à ser um relacionamento. Eu não ligo pra essa merda, mas foder com todos os meus melhores amigos por vingança? estamos na porra de um drama adolescente da Lindsay Lohan? ⏤ gesticula de forma irritadiça.

⏤ Está agindo como se importasse. ⏤ balanço os ombros.

Maybank suspirou e ficou alguns minutos em silêncio. Volto à tomar do meu shake tranquilamente e os caras também continuam comendo. Para nós, não era nada demais, mas eu conseguia meu melhor amigo como ninguém. A cabeça do cara ia explodir de tantas perguntas.

⏤ Quem de vocês ficou com ela? ⏤ JJ volta à quebrar o silêncio. Eu reviro os olhos, já farto do assunto.

John B. é o primeiro a não fazer questão de disfarçar. O sorrisinho no rosto já lhe entregou, então, JJ apenas negou com a cabeça e pairou seus olhos sobre Pope. O cara ajeitou a postura na cadeira enquanto bebia de um suco natural de alguma fruta vermelha.

⏤ Ela fode muito bem. Desculpa a insensibilidade. ⏤ meu menino Heyward me arrancou uma gargalhada.

Os olhos raivosos de JJ agora se vidram em mim, nitidamente tentando me intimidar ou transparecer como estava incomodado. Deixo minha garrafa já vazia em cima da bancada e, assim como ele, cruzo os braços na altura do peito.

⏤ Foi mal aí, cara, eu sou homem e ela é uma gostosa com raiva.

Maybank me escutou com cautela e respirou fundo. Na sequência, se levantou da mesa murmurando um "inacreditável" e pegou a chave de seu carro que estava pendurada no pequeno suporte de madeira na parede.

⏤ Pra onde vai? ⏤ John B. perguntou.

⏤ Pra academia. ⏤ JJ respondeu baixo.

⏤ Mas não íamos todos juntos? ⏤ agora é a vez de Pope questionar.

⏤ Ah, vão se foder, porra.

A resposta curta e grossa do meu melhor amigo é a deixa que dá antes de sair do nosso apartamento. Eu balanço a cabeça negativamente e ando até nossa mesa de jantar, pegando meu moletom que estava largado em cima de uma das cadeiras.

⏤ Por que tinha que abrir o bico, hein? ⏤ a voz de Pope ecoa em meus ouvidos.

⏤ Uma hora ou outra ele ia descobrir. Avery é melhor amiga da minha irmã e Sarah não veria maldade em comentar em algum momento pra mim que ela estava ficando com amigos de JJ para provoca-lo. ⏤ visto meu moletom, que coincidentemente, era o mesmo que Avery trajou na primeira noite que veio à nossa casa.

⏤ É, ele tá certo ⏤ John B. concordou comigo. ⏤ ele vai esquecer, relaxa.

Pope era o elo mais empático de nós. Tinha medo que suas ou nossas atitudes magoassem JJ, por isso, não pestanejei ao vê-lo se retirar da mesa rapidamente. Respiro fundo. Não estava com paciência para lidar marmanjos lidando feito adolescentes por causa de mulher.

Uma mulher que tinha escolhido brincar com todos nós.

O dia correu normalmente. Malhei durante toda a manhã e, à tarde, treinei um pouco no gelo. Cada dia mais o treinador me elogiava, enchendo meus ouvidos como meu time tinha sorte de me ter como capitão. Claro que ele chamava minha atenção quando fosse preciso, mas sinto que no fundo toda essa puxação de saco não é só pelo meu bom desempenho.

Não é novidade pra ninguém que a CC praticamente ajudou à construir essa universidade. Cameron's Company é a empresa de arquitetura e construção mais procurada do país. O sobrenome da minha família está sempre estampado em jornais, outdoors, na televisão e até mesmo em alguns cantos das paredes do campus. Eu tento me convencer todos os dias que as pessoas desse lugar não se aproximam de mim por interesse, mas toda noite ao encostar a cabeça no travesseiro, eu temo que esteja me auto-enganando.

Ter dinheiro no momento que eu quisesse e pro que eu quisesse era uma sensação de liberdade surreal. Minha independência logo cedo ao pedir emancipação também foi incrível. O problema de ter luxo e tudo de mão beijada na vida desde cedo é não saber a hora de parar. Não saber a hora que precisaria abrir os olhos e encarar a realidade, saber que nem todo mundo tem o mesmo privilégio que você e que você não pode passar por cima de ninguém por isso. Eu demorei um puta tempo pra me acostumar com o fato do mundo não ser um morango.

Eu ignoro todos os dias a minha intuição gritando em meu peito toda vez que uma garota extremamente bonita chega perto de mim com o típico sorriso malicioso. Elas pateticamente são todas iguais. Os mesmos gestos, as mesmas palavras e a mesma facilidade que tem pra levar homens pra cama. Eu sou fraco demais pra resistir aos meus instintos masculinos. Se minha irmã escutasse isso, puxaria minha orelha até eu repetir vinte vezes que mulheres não são objetos descartáveis. Realmente, não são. Eu ajo como um imbecil a maior parte do tempo.

Acho que se fazer de idiota é a melhor forma de lidar com o mundo. Quando você baixa a guarda demais, ele te devora.

Dirigindo de volta pra casa, meu celular treme em meu bolso. Dessa vez estou sozinho, já que os caras quiseram ficar mais um pouco no ginásio para jogar conversa fora com o resto do time. Estava cansado demais pra isso. Meus planos eram chegar em casa, tomar um banho gelado e sentar com um pote de pipoca pra terminar a última temporada de Narcos. Desde que iniciei a porra da série, fiquei viciado. Não conseguia mais parar de pensar no esquema gigantesco que o filho da puta genial de Pablo Escobar dominava. O cara era inteligente demais, irmão.

Porém, antes mesmo que eu pudesse pensar na sensação de sentar no meu sofá e assistir longas horas da história de um dos maiores traficantes do mundo, as letras no ecrã do meu telefone me fizeram abrir um sorriso mínimo.

"Sarah: Estou com saudades. Passa a tarde comigo, as meninas vão ficar até mais tarde nas aulas hoje. A gente assiste aquela sua série de maluco com drogas."

Bom, pelo menos não veria Pablo Escobar sendo foda sozinho.

𝐓𝐎𝐗𝐈𝐂, 𝗰𝗮𝗺𝗲𝗿𝗼𝗻. ✓Onde as histórias ganham vida. Descobre agora