Capítulo 31: Cortejo?

57 10 1


O pátio de Chen Rong.

A babá Ping cumprimentou a multidão enquanto sorria alegremente. Ela esteve preocupada com a falta de comida alguns minutos atrás, mas tudo foi reabastecido um pouco depois. Havia tanta seda e tecido que podiam não apenas serem usados para pagar novo móveis e roupas, como eram suficientes para comprar uma casa simples.

Olhando para o dinheiro e bens, depois em seguida para a Chen Rong, que ainda estava em contemplação, a babá Ping sentiu que a sua senhorita estava sem sombra de dúvida profunda e imprevisível. Foi estressante desde o momento em que a Chen Rong saiu com a adaga dela. Ela nunca imaginou que ela não apenas voltou sã e salva, como ainda conseguiu que seu tio a tivesse em boa consideração.

O tempo passou num piscar de olhos.

Logo, o sol se pôs ao leste e as lanternas foram acesas.

Instruídos pela Chen Rong, não só as empregadas permaneceram no interior da casa, como também ordenou aos criados para não fazerem barulho e que não acendessem lanternas. O pátio inteiro caiu num silêncio absoluto.

Com a fraca lua crescente pairando no céu, sons de juncos, flautas e flautas pan misturavam-se uns com os outros à medida que se espalhavam pela terra e pelo ar, polvilhando um raio ou dois de um outono melancólico.

Em pé no pátio, alguém conseguia ouvir risadas vindas do edifício principal.

A reunião desta noite de fato era muito importante para todos os membros do clã Chen. Apesar desse banquete, os nobres do norte estariam dizendo aos nobres de Nan'yang que haviam retornado.

Os mais jovens, em particular, dependiam desse banquete para informar aos outros que ainda havia esse rapaz e aquela garota da casa Chen esperando para se casar.

Chen Rong nunca recusaria este banquete se não lembrasse do passado dela. Ela não apenas nunca recusaria, como tentaria ao máximo exibir-se. Da melhor forma que pôde, fez com que todos da elite Nan'yang se lembrassem dela.

Chen Rong abaixou os seus olhos. Ela caminhou pelas folhas secas no caminho e foi em direção a floresta atrás de seu pátio.

No céu estava a lua e no chão, uma figura solitária.Foi a cena da eterna solidão.

Ela não sabia quanto tempo havia passado quando ouviu passos se aproximando atrás dela.

Seguidos da luz da lanterna, vários criados entraram no pátio dela. Sem esperar que o Velho Shang perguntasse, uma voz clara falou: "É Ah Rong da casa Chen?"

Procurando por mim?

Ah Rong estremeceu.

Enquanto o Velho Shang hesitava em responder, a babá Ping respondeu prontamente, "Minha senhora está doente e de cama."

Os criados olharam brevemente uns para os outros, dizendo um deles: "Qilang da casa Wang não viu a senhorita Chen no jantar e

sendo assim, perguntou por ela. O lorde Chen enviou-me para convidar senhorita Chen."

Pausando, o homem em pé na frente, gritou: "Nem o Príncipe de Nan'yang se atreve a ofender o piedoso Wang Qilang. Babá, por favor pergunte para a sua senhorita. Se ela é capaz, então ela deve se vestir e ver o Qilang. Essa é uma oportunidade muito rara."

As palavras dele foram muito sinceras.

A babá Ping soube que, se esse homem se atreveu a dizer, então isso deve ser verdade. Como ele mesmo disse, essa era uma oportunidade muito rara.

Inconscientemente, ela olhou para onde a Chen Rong se encontrava na escuridão.

Continuou olhando por um tempo, mas ela não ouviu qualquer som vindo daquele lugar escuro.

Mei Gongqing - The Bewitching CourtierLeia esta história GRATUITAMENTE!