Capítulo Um: Dúvidas

8.4K 603 558
                                    

Kara estava acordada, deitada na cama, encarando seu namorado, Mon-El, que dormia esbaforido de boca aberta. Deviam ser duas da manhã e ela não conseguia pegar no sono, apenas pensando.

Mon-El era um rapaz bonito, de cabelos castanhos escuro, olhos da mesma cor e barba rala, vindo de Daxam. O planeta de Kara e Mon-El eram rivais, por causa disso, os dois tiveram muitas desavenças quando ele chegou à Terra, mas logo tudo se transformou em amor e os dois começaram um relacionamento.

Kara achava que estava tudo bem.

Desde que a kryptoniana conheceu a humana Lena Luthor, os pensamentos de Kara ficaram completamente bagunçados e desnorteados, e já eram dois meses convivendo com essa dúvida. Kara não sabia o que estava acontecendo, era muito amiga de Lena, que no começo a havia intimidado um pouco, mas logo havia se mostrado muito receptiva, e as duas viraram boas amigas rapidamente.

Sem querer acordar Mon-El para discutir sobre sua amiga, Kara decidiu ligar para sua irmã adotiva, Alex, sem se importar muito com o horário.

— Kara? — Alex, que estava dormindo na casa da namorada, atendeu a ligação com uma extrema voz de sono.

— Oi, Alex — Kara riu com escárnio —, eu sei que é tarde, mas eu precisava conversar.

— Kara, são duas da manhã, estou na casa da Maggie, o que tem de tão urgente que não possa ser tratado amanhã cedo?

— Eu não consigo dormir! E preciso muito conversar, não quero acordar Mon-El. Eu posso voar até aí.

— Tudo bem, estarei te esperando.

Ao desligarem a ligação, Kara viu que tinha uma mensagem não lida de Lena, mandada por volta da meia-noite:

"Café da manhã amanhã cedo? Preciso desabafar sobre trabalho :)"

Kara respirou fundo antes de responder.

"Claro, Lena! Passo na L-Corp antes de ir pra CatCo."

Com as roupas de dormir e os cabelos desgrenhados, Kara voou para o céu com uma National City iluminada de fundo, tomando o rumo do apartamento de Maggie Sawyer, que, voando, não era tão longe dali.

Enquanto voava e sentia a brisa do vento noturno no rosto, Kara pensava. Talvez estivesse fazendo tempestade em um copo d'água com um assunto tão comum, Kara e Lena eram apenas amigas, o que tem demais nisso?

Bem, era o que Kara achava.

Pensando nisso, Kara quase deu meia-volta e tomou o rumo de seu apartamento, mas ela já avistava Alex apoiada na sacada do apartamento de Maggie, de pijama, com uma caneca de café na mão. Decidiu, então, não voltar, pois seria muita sacanagem ter acordado sua irmã àquela hora para nada.

Kara pousou ao lado de Alex, que a olhava um pouco mais desperta, ajeitou os óculos e sorriu.

— Quer café? — perguntou Alex à irmã.

— Não, obrigada — recusou Kara.

— Vamos, Supergirl, desembucha. — Alex exigiu, e logo após bebericou seu café.

Kara riu, nervosa, e Alex a olhou com uma sobrancelha arqueada.

— É Lena Luthor. — Kara confessou, ainda sorrindo, muito nervosa.

— Ah, eu sabia! — Alex assumiu uma expressão bem convincente, enquanto balançava seu dedo indicador apontado para frente. — Sabia que Luthors não eram confiáveis, não vê o irmão dela? Louco! E a mãe que assume aquela instituição contra alienígenas sinistra? Outra louca!

— Não, não, não, Alex! — Kara começou a rir, dessa vez do fato de sua irmã ter interpretado tudo errado.

— O que foi agora?

Kara prolongou o riso, mais pelo fato de não saber como dar início ao assunto. Com o semblante ainda risonho, ela olhou para Alex, que a encarava extremamente séria e impaciente.

— Como você soube que gostava da Maggie? — Kara, enfim, indagou.

— Ué, Kara, eu te contei quando isso aconteceu. — Alex a examinou com os olhos. — O que aconteceu pra você me perguntar isso?

— Lena Luthor. — Kara repetiu.

Alex arregalou os olhos para Kara, e dessa vez quem começou a rir foi ela. Alex gargalhava com as mãos nos joelhos, enquanto Kara assistia tudo levemente abalada.

Quando Alex levantou os olhos e viu a expressão de Kara, parou de rir e perguntou:

— Isso é sério?

Kara balançou a cabeça que sim, ajeitando os óculos.

— Você tá gostando da Lena, Kara? Mas e Mon-El? Você não o ama? Vocês não são namorados? Ele te ama tanto.

— Eu sei, Alex! Eu não sei o que está acontecendo comigo, eu gosto de homens, por que estou me interessando tanto por Lena?

— Kara, não há apenas gays e heteros no mundo, você pode ser bissexual, se atrair pelos dois, e só ter descoberto agora. Me explica isso direito.

— É tudo tão confuso. — Kara sentiu os olhos marejar. — Eu amo o Mon-El, ele tem os defeitos dele, mas também tem qualidades. Ele é um daxamita e eu sou kryptoniana, não deveríamos estar juntos, mas estamos. Ele me faz feliz.

— Mas...? — Alex precipitou-se.

— Mas desde que conheci Lena, ela não sai dos meus pensamentos. É tudo tão estranho e tão novo. No começo ela me intimidou TANTO — Kara fez uma ênfase tão grande que fez Alex soltar um riso, o que a fez sorrir —, mas ela é completamente amável, ela se importa, Alex. Ela é diferente da mãe ou do irmão, ela não liga se é um humano ou um alienígena, ela se importa.

Kara apoiou-se na barra laranja da sacada do apartamento, enquanto olhava a paisagem da cidade, com os pensamentos submersos em Lena. Perguntou-se se Lena dormia bem, ou se realmente estava dormindo, pois Lena estava sempre entretida com algum projeto da empresa e ficava até tarde acordada. Perguntou a si mesma, também, se Lena tinha consciência daquele turbilhão de sentimentos que passava pela cabeça de Kara nesses últimos dois meses.

— Bem — Alex se pronunciou, colocando a caneca de café no chão. —, isso é muito complicado, Kara Danvers, e você tem que ter certeza do que quer fazer antes de tomar qualquer decisão precipitada. Você tem certeza que ama Mon-El?

Kara engoliu em seco.

— Tenho.

— Você não pode trocar uma certeza por algo meio-certo. Se o que você sentir por Lena for algo de verdade, você vai saber com o tempo, no momento você tá muito confusa, irmãzinha.

Durante um tempo, ficou um certo silêncio constrangedor.

— Pra ficar um pouco mais claro — Alex começou —, imagine: você larga o Mon-El, que é uma certeza, pela Lena, que é a incerteza. Mon-El te ama e te respeita, abriu mão de ser príncipe de Daxam por você, quer construir uma família com você. E a Lena? É sua amiga, você não sabe se corresponde seus sentimentos, ou se gosta de meninas também. Você não pode largar o Mon-El, tentar algo com a Lena, se decepcionar e voltar pro Mon-El, entende?

— Entendo, eu preciso pensar.

— Você precisa, mas agora vai pra casa e tenta dormir. São mais de três da manhã, você tem Cat Grant pra enfrentar pela manhã.

Alex e Kara sorriram.

— Eu te amo muito, irmãzinha, quero te ver feliz. — Alex abraçou Kara com força.

— Também te amo, Alex, obrigada.

Alex voltou para dentro, Maggie ainda dormia como uma criança. Alex deitou e a abraçou, agradecendo pela sua existência, e logo voltou a adormecer.

Enquanto isso, Kara voava pelo céu, já tinha ido pra casa e vestido seu uniforme. Sabia que não iria conseguir dormir, então decidiu assumir sua segunda identidade para patrulhar a cidade.

Beyond My Power // Supercorp PT-BROnde histórias criam vida. Descubra agora