0.2

3.1K 160 121

"Entre Mila" diz a pior voz do mundo quando eu bato na porta da sala do tirano. Adentro pela porta e me deparo com uma visão maravilhosa. Claro que não falo da pessoa que estava dentro. Mas do escritório em si,ele era realmente perfeito e eu fiquei por um momento com inveja, mas no segundo seguinte fiquei com raiva pelo ser desprezível ter errado meu nome.

"Mia,Senhor... Mia" digo e ele continua sentado em sua mesa e me olha de cima abaixo.

"Isso,Lia. Enfim.. Vou ir a uma reunião e bom.. A Natasha não está disponível para me acompanhar,então serve você mesmo." diz e eu quase sou obrigada a soletrar meu nome para ele.

"Mas eu vi a Natasha conversando com a Leila,posso chamar ela para o sen..." começo a dizer mas ele me interrompe.

"A mandei fazer outra coisa,então.... " diz e olha no relógio. " Vamos" e então se levanta da poltrona.

Sigo atrás dele levanto comigo alguns dados e papéis que minha amiga me disse que precisaria. Na verdade ela foi me avisar que ele iria me chamar para ir com ele,não sei como ela soube mas ela sempre descobre as coisas antes de todos.

"Ah Bia." se pronuncia meu chefe,antes de abrir a porta da sala de reuniões. "Devia usar roupas que te favoreçam mais." diz e adentra no local, sendo seguida por mim que nesse momento quero me matar.

Sua mãe precisa. Sua mãe precisa.
Repito a frase e mentalizo algo bom umas quinhentas vezes antes de me sentar na cadeira ao lado de meu chefe que sorri.

Acho que vou vomitar.

"Apenas anote o que os favelados disserem e pronto."

Favelados?

Penso e logo pessoas adentram a sala com pressa. Bom,não são funcionários muito menos acionistas,são,pelo que percebo,pessoas da comunidade mais próxima... Bom o nome não me vem a mente agora mas,o que elas estariam fazendo aqui?

...

Bom,depois de uma hora de exigências e mais exigências, em cima de mais exigências bem absurdas, os cidadãos da comunidade parecem estar cansados e sem ideias.

Glorias.

Penso. Mas só até um ser sair e adentrar novamente na sala com mais umas três pessoas e que por acaso haviam guardado mais idéias absurdas que as de antes.

Infelizmente, em meio a anotações e mais anotações a minha caneta cai no chão, especificamente para baixo da mesa mas longe o suficiente do meu pé, para que eu alcance.

"Eu pego." diz o monstro.. Ops,chefe e pega a caneta debaixo da mesa.

Quando ele está voltando a sua posição inicial que era,obviamente sentado,ele simplesmente passa a mão por minha coxa e aperta a mesma,subindo mais com sua mão asquerosa.

Eu tremo e simplesmente faço a melhor ou pior coisa que deveria ter feito.

Saiu daquela sala correndo e com um sério risco de ser demitida. Então as lágrimas vem com força total e turvam minha visão, bem,correr por um setor enorme com pessoas e mais pessoas de salto agulha enquanto chora rios não é, nem de longe,a ideia mais inteligente e plausível a ser tomada. Mas eu,por incrível que pareça, não ligava pra isso naquele momento.

Então quando penso que acabou,eu esbarro em algo duro e caiu no chão escorregadio da empresa.

"Você não olha por onde anda sua...." começa a dizer uma voz mas eu interrompo.

"Funcionáriazinha de merda... Tá tá. Já acabou? Por que não tenho tempo pra besteiras agora." digo e começo a me levantar,limpando algumas lágrimas.

Meu Chefe É ( LIVRO PAUSADO)Leia esta história GRATUITAMENTE!