▪︎Prólogo.

66.4K 4.2K 52.4K
                                    

A arte na capa do capítulo foi feita pela @/artwithkindness ( @ do twitter dela sobre as obras que ela faz e @/xulia__ o fc ) uma honra enorme ter uma ilustração feita por uma artista talentosa como você, muito obrigada pelo carinho. 💖

*todos direitos autorais sobre a arte por Júlia Autuori, não repostar sem dar os devidos créditos para a artista*

Comentem muito, votem se gostarem e boa leitura.

Ali the love, emy.

~°~

A porta do quarto de hotel foi aberta, batendo contra a parede de forma bruta, assim como o casal que entrará por ela se beijavam sem parar chocando os lábios firmes um no outro, como se o ar não fosse tão importante quanto continuar o beijo avulso.

Era uma troca de línguas para ver quem comandava mais no beijo, a mão do maior puxava o cabelo perto da nuca do outro enquanto o menor parecia querer rasgar a camisa e, assim, poder arranhar as costas daquele que lhe mordia o lábio inferior e gemia rouco ao soltar.

Pareciam brigar pela forma que se agarravam e deixavam as sobrancelhas juntas.

A sala da suíte presidencial estava escura, a grande janela que tomava quase a parede inteira era a única fonte de luz com cores mistas devido aos vários outdoors e prédios do outro lado. A visão de ambos já estavam precárias por causa do álcool percorrendo em seus corpos, sentindo outros sintomas da droga lícita que viraram de copo em copo, gota em gota, deixando suas peles febris, suadas, sendo sensíveis a cada toque que recebiam de maneira ríspida.

Cambaleavam pelo corredor, tendo o mínimo de direção e lembrando vagamente aonde estavam, aonde ficava um quarto qualquer daquela suíte.

Ou era apenas sexto sentido agindo.

Entre os beijos cheios de estalos, as mãos avulsos pelo corpo um do outro com aquele desejo e curiosidade vivo entre eles para desfrutarem e descobrirem cada minucioso cantinho da epiderme alheia, o de olhos azuis que caminhava tropeçando nos próprios pés e sendo empurrado e guiado pelo outro, acabou pisando em falso em alguma coisa e não tardou essa coisa gemer de dor sendo todo incoerente parecendo não ter forças para soletrar um "A" sem embolar a língua.

Talvez a coisa estava tão bêbada quanto eles.

Ambos não ligaram.
As bocas ainda raspando uma na outra e murmurando juntos um "Cala boca, Niall." entre uma respiração funda e selinhos com mordidas no final. Foi meio automático resmungarem aquelas falas.

Entraram no quarto aonde o de olhos verdes separou o beijo por segundos, segurando firme na cintura fina e esticando o braço pra poder fechar a porta do quarto, logo puxando o menor e o jogando contra a madeira. Ecoou dois barulhos pelo amplo quarto, o primeiro das costas do menor batendo contra a porta e o segundo do gemido de dor e prazer do mesmo.

ㅡ Seu m-merda! ㅡ xingou bravo, trincando o maxilar e puxando o outro pela blusa e acabando por fazer um barulho como se estivesse rasgando. O que, provavelmente, desfiou alguns fios do tecido da roupa. ㅡ Eu te odeio tanto, Harry Styles.

Graças a luz do abajur acessa no quarto, pode ver aquele desgraçado atrevido lhe lançar um sorriso de lado. O menor jura de pés juntos, odiar com todas as forças aquele metido com aquele sorriso presunçoso.

ㅡ Odeia? ㅡ sussurou com a voz rouca, levando uma mão aos fios da nuca do de olhos azuis e ali puxando pra baixo, forçando a cabeça do outro tombar e então Harry fitando o subir e descer do pomo-de-Adão do menor.ㅡ Eu te odeio mais, Louis Tomlinson! Acabou de rasgar uma blusa exclusiva da Gucci, seu troglodita.

Las Vegas. || Larry StylinsonOnde histórias criam vida. Descubra agora