[Louis POV.]

“Harry pode ajudar.” O menino mais novo ofereceu quando eu retirava a nossa bagagem do porta-malas.

Eu ri, colocando a mala na calçada para que pudesse me inclinar e dar um beijinho nos lábios de Harry: “Sem problemas, gatinho.”

Arrastei a mala até a porta do nosso apartamento, colocando-a no chão para que eu pudesse procurar a chave. Uma vez que eu a achei, abri a porta e coloquei a mala para dentro. Harry entrou e fechou a porta do apartamento atrás de nós, tirando o casaco, os sapatos e o gorro.

Tirei meus sapatos e o casaco, antes de voltar a carregar a mala até o nosso quarto. Deixei-a num canto, com preguiça de retirar as coisas e caí na cama. Harry veio até o quarto, depois de ter sido deixado na sala de estar, e pulou a cama comigo.

Ele se rastejou para os meus braços, praticamente ronronando com alegria: “Podemos ter corndogs para o almoço?”

“Podemos sim.” Respondi a ele com carinho, roçando nossos lábios.

Continuei movendo os lábios contra os deles, criando um beijo mais intenso do que nós estávamos acostumados a compartilhar. Minhas mãos enrolaram sua cintura, e uma delas acidentalmente escorregou em direção a sua bunda. Harry riu em minha boca.

“Niall disse a Harry que...” tentou falar, mas acabou rindo.

“Eu sei.” Assenti, sorrindo. “Niall é estranho.”

“Mas ele disse q-que... era divertido,” Harry continuou. “E é?”

Suspirei em derrota: “Não é ruim.”

“Harry quer aprender”, ele anunciou.

“Hm...” empalideci. “O que você quer saber?”

“Sobre sexo.” Ele respondeu.

E eu estremeci, “Que tal você aprender o alfabeto em vez disso?”

“Alfa Beto... O que é um alfa Beto?” ele perguntou, confuso.

Pressionei meu nariz no topo de seus cachos, entre as orelhas, e aspirei ao seu perfume. Agora que era somente eu e ele, seu discurso havia melhorado muito. Percebi que quando Harry estava em torno de mais de uma pessoa, ele ficava nervoso, o que o levava a tropeçar nas palavras.

Ele ainda fala na terceira pessoa, mas eu não ia corrigi-lo. Eu penso que quando alguém o corrigia, ele se sentia frustrado consigo mesmo. E eu não gostava de ver o meu gatinho triste. Além disso, eu gostava muito de ser o “Louis de Harry”.

“O alfabeto”, eu ri. “É o conjunto de letras. E também é o primeiro passo para aprender a ler e escrever.”

“Ler e escrever!” Harry assentiu com a cabeça. “Harry quer aprender isso também!”

Suspirei de alívio, após ter conseguido desdobrar a mente de Harry. “Tudo bem, amor. Vamos fazer o almoço e depois vou te ensinar o alfabeto.”

Harry saiu dos meus braços e saltou da cama, “Alfa Beto!”

“Alfabeto.” Repeti, e ele parou perto da porta.

“Alfabeto.” ele cantou novamente.

"Lá vai você," Eu ri. "Alfabeto".

Harry saiu correndo para a cozinha, parando de vez em quando ao longo do caminho para se certificar de que eu estava o seguindo. Entramos na cozinha e eu fui até o freezer, tirando os corndogs.

“Corndogs!” Harry gritou alegremente, pulando ao meu redor em círculos.

“Você é muito bobo!” Eu ri. “Você está agindo mais como um cão do que como o meu gatinho!”

Uniquely Perfect ~ Portuguese Version [Book 1]Leia esta história GRATUITAMENTE!