Third

85 11 3
                                                  

-Baekhyun-ah... Acorda. -senti alguém me balançar. -BAEKHYUN-AH! -acordei assustado.
-Ah, o qu- -com o susto acabei caindo da cama. Me levantei todo desesperado ainda tentando entender o que estava acontecendo.
-Você está bem? -alguém segurou meu braço me ajudando a levantar.
-Sim, eu... -quando vi quem era aquela pessoa, quase enfartei ali mesmo. Kyungsoo estava rindo, parecia estar se divertindo com aquilo. Isso com certeza vai pra minha lista de como-passar-vergonha-na-frente-do-garoto-que-eu-gosto.
Olhei no relógio que estava na minha escrivaninha e dei um pulo dali; estava atrasado. Saí cambaleando até o banheiro e acabei tropeçando no meu próprio pé, caindo de cara no chão de novo; mas logo levantei e continuei meu caminho. Fiz minha higiene matinal com pressa e troquei de roupa. Saí aos tropeços do quarto e Kyungsoo saiu logo atrás. Tomei apenas um suco e corri pra sala. Entrei sem que o professor visse e me sentei atrás de Chanyeol.
-O que aconteceu? Sabe que está atrasado, né? -meu amigo se virou pra trás e se apoiou em minha mesa.
-Sim, eu sei. -suspirei. E então voltamos a 'prestar atenção' na aula.
Eu e Chanyeol fomos para a cantina na hora do almoço e nos sentamos em uma mesa perto da do time de futebol. Kyungsoo entrou no local e quando passou por nós, mandou um oi e um sorriso, um simples gesto de educação que fez eu ficar sorrindo igual um bobo e esquecer de todos que estavam ao meu redor. Acompanhei cada movimento que o Do fazia, estava praticamente o comendo com os olhos.
-Só falta abrir as pernas. -ouvi a voz de Chanyeol e me virei para o mesmo, ele estava de boca cheia.
-Não fale de boca cheia, idiota. -ele riu. Senti alguém se aproximar, e então vi Do Kyungsoo se sentar de frente para Chanyeol com um sorriso lindo. Eu e meu amigo achamos aquilo muito estranho.
-Chanyeol! Eu estava mesmo querendo falar com você. -o meu paquera disse para meu melhor amigo.
-Tudo bem. Diz aí.
-Bom... Sabe, eu quero te chamar pra sair mas não sei como começo. -ele coçou a nuca em timidez. E eu? Bem, eu engasguei com minha batata frita, atraindo a atenção dos dois.
-Você está bem, Baek? -Chanyeol perguntou preocupado enquanto tentava me ajudar.
-Eu estou bem. -respondi tossindo e voltei a prestar atenção nos dois.
-Bem, então, quer sair comigo? -Kyungsoo perguntou com aquele sorriso único que eu tanto amo.
-É... -Chanyeol olhou pra mim, mas eu logo desviei o olhar e fiquei de cabeça baixa; naquele momento meu mousse de maracujá parecia tão interessante. -Eu posso te dar a resposta mais tarde? Eu preciso... Pensar. -e com isso ele quis dizer pedir autorização pra mim.
-Ótimo! Até mais, então. Tchau, Baek! -saiu acenando. Sorri forçado e me levantei dali de repente o que fez Chanyeol segurar meu pulso quando ia sair dali.
-A onde vai?
-Eu... Perdi a fome. -dei um sorriso irônico e saí dali.
Fui para o jardim, eu sei que Chanyeol não irá aceitar, afinal, ele sabe o quanto eu amo Kyungsoo. Tenho certeza que ele não me trairia dessa forma. Estava tão distraído pensando nisso que nem percebi meu amigo se aproximar de mim.
-Eu posso? -ele perguntou receoso.
-Pode o que?
-Sair com o Do.
-E por que esta me perguntando se pode?
-Você sabe... -soltei um riso soprado.
-Eu e ele não somos nada um do outro. Eu sei que meu amor é platônico e que ele nunca irá gostar de mim. Então vai lá, faça o que você quer. Se ele chamou você pra sair, vai nessa. Você não sabe quantas pessoas desejariam estar em seu lugar. Tu é um garoto de sorte, Channy. -disse tentando segurar as lágrimas.
-Baekkie... Eu não vou aceitar. Você gosta dele, isso seria errado.
-Errado seria você recusar. E eu não quero que você faça isso por dó ou pena de mim, porque eu simplesmente não posso te controlar.
-Baek... Esse pedido era pra ser feito pra você.
-Mas não foi... Tá tudo bem. -tentei sorrir. -Tenho que ir. -e então saí correndo dali e fui direto para o meu quarto. Lá eu finalmente pude chorar; sentei no chão ao lado da minha cama e me apoiei na mesma. Eu chorava; no momento eu não soube de onde vinha tantas lágrimas. Chorei tanto que acabei dormindo. Acordei apenas com o barulho da porta se fechando com força.
-Acorda Baek! Acorda! -abro os olhos e vejo um Kyungsoo animado na minha frente. -O que deu em você pra dormir no chão?
-Bem, eu... -não conseguia responder.
-Enfim. Adivinha só! Chanyeol aceitou sair comigo, isso não é demais? -meu coração se apertou. Apesar de tudo que eu disse pra Chanyeol, no fundo eu queria que ele recusasse.
-Ah é? Que ótimo... -tentei parecer o mais feliz que podia, mas Kyungsoo percebeu que eu não estava bem.
-O que você tem? Está muito desanimado.
-Han? Não é nada, só... Cansaço. -sorri fraco.
-Tudo bem. Eu vou sair com ele hoje! -Kyungsoo estava muito feliz, parecia uma criança. Ele era tão fofo e lindo, sorri; ato esse que logo acabou ao me lembrar que o motivo daquela alegria toda não era eu.

--

Já era noite quando Kyungsoo saiu do banheiro todo arrumado e veio em minha direção; tirou o livro que eu estava lendo das minhas mãos e me obrigou a olhá-lo.
-Como estou? Huh? -perguntou se virando pra todo lado a fim de me fazer avaliá-lo por todos os ângulos.
-Está ótimo. Chanyeol vai gostar. -ele sorriu.
-Espero que sim. -ele olhou no relógio. -Ah, tenho que ir. Até mais, Baek! -e então ele saiu. Me deitei na cama e coloquei meu fones de ouvido. Ouvir musicas tristes quando se está triste é um santo remédio; mesmo desgraçando tudo de vez. Não sei como ainda havia lágrimas em mim, pois chorei mais ainda naquele momento sozinho no quarto. Eu estava parecendo uma garotinha mimada que perdeu seu primeiro amor pra alguém melhor que ela. E isso não deixava de ser verdade, tirando a parte da garotinha mimada. Era ridículo a forma como aquele Do mexia tanto comigo.

--

Acordei de madrugada com vontade de ir no banheiro; olhei no meu celular, eram 1:30 da manhã, desviei minha atenção para a cama do meu colega de quarto; ele não estava lá. Nenhum sinal do mais novo, provavelmente ainda não havia chego; e isso me deixou um tanto apreensivo, porque a essa hora da madrugada numa cidade como essa, dois jovens livres juntos... Ah, não quero nem pensar. Isso só me fará mal.
Faço o que tenho que fazer e volto pra cama, quanto já estou quase dormindo escuto passos dentro do quarto e um barulho de cama. É, o amor da minha vida chegou.

--

Levanto preguiçosamente da cama e vou em direção ao banheiro; escovo os dentes ainda meio dormindo e nem percebo Kyungsoo entrar no banheiro e ir direto ao vaso sanitário com pressa. Olho pelo espelho e vejo ele já pronto para abaixar sua calça, e então eu grito.
-O que foi?! -ele pergunta assustado.
-Espere eu sair do banheiro primeiro!
-Huh? Por que? Nós dois somos homens, o que você tem eu tenho.
-Tá... Mas... Eu n- -parei de falar quando vi que ele já tinha tirado as calça e estava com "aquilo" um pouco pra fora. -AH! -corri pra fora do banheiro com a escova de dentes na minha boca e fechei a porta. Suspirei pesado.
Esperei Kyungsoo sair do banheiro e voltei pra lá totalmente envergonhado. Depois de me arrumar, saio do quarto pra mais um dia de aula naquele lugar.
Converso pouco com Chanyeol. É errado, afinal, ele é meu melhor amigo, mas saber que ele esteve em um encontro com o cara que eu gosto me deixa muito mal.
A aula acaba e vou em direção à sala de música, pois a música é a única coisa que pode me ajudar num momento desses. Quanto drama, não é? Mas é a verdade.
Passo pelo corredor em direção ao meu destino, e quando viro a esquina dali me deparo com Kyungsoo e Chanyeol juntos, se abraçando. Eles dizem alguma coisa e então Kyungsoo deixa um selar na bochecha do meu amigo. Meu coração falhou; aquilo sem dúvida acabou comigo.

My Roommate Onde as histórias ganham vida. Descobre agora