Capítulo 1

18K 823 651
                                    

Mais um ano se passou e novamente estou eu aqui, no último banco de um dos ônibus alugados pelo pastor da igreja, onde todos os jovens estão cantando, brincando e fazendo piadas no decorrer da viagem. Todos são legais, mas a essa altura da minha vida eu tenho receio de qualquer contato que não esteja dentro do meu ciclo de amizades, simplesmente porque eu não quero arriscar: porque eu tenho medo de me apaixonar.

Fico apenas observando as árvores com folhas verdes e algumas amarelas passarem rapidamente diante da janela. Nós sempre viajamos nas férias de final de ano e passamos cerca de duas semanas, mas não é como se eu já tivesse acostumada, sempre ocorre em um lugar diferente, com programações diferentes e com uma outra igreja.

Fecho os olhos por alguns minutos, mas com esse barulho todo vai ser impossível cochilar.

Acorda Samuela! — Ouço essa voz, que distingo com facilidade em meio a milhares, depois do enorme solavanco que ele causou no meu corpo ao me balançar. Olho pra ele com uma expressão raivosa, não só por ter me assustado, mas por saber que eu odeio quando me chamam pelo meu nome. Sério, meus pais não poderiam ter sido mais criativos! Ele revida levantando uma das sobrancelhas, como se não estivesse feito nada errado.

— Eu não me importo que você fique gritando e dançando do meu lado, mas pelo menos me deixa quieta. Aff!

Aff digo eu, Sam. A gente está aqui a caminho de um lugar maravilhoso para passar um quarto das férias e você fica dormindo?! Ah! Me poupe!

— Você não precisa dormir comigo, Samuel! Continua cantando aí, please! — Ouço-o bufar e se virar novamente, mas logo acompanha os outros jovens que estão cantando e me esquece por um tempo.

Samuel é meu irmão mais velho (não que eu tenha outros); ele tem 17 anos, mas faz questão de me provocar sempre que tem chance.

Apesar dos ciúmes que tem, nós não somos do tipo confidentes; então além de contar meus segredos para Deus, que é meu melhor amigo principal, eu conto para mais duas pessoas: a Lia e o Vitor, que são meus melhores amigos e da mesma igreja que eu desde sempre.

Eu ia sentar junto com eles durante a viagem, por isso fiquei mais atrás, mas o Samuel e os outros garotos sentaram aqui e acabou faltando espaço, já que o ônibus encheu rápido e eles ainda se atrasaram. Ambos moram na mesma rua e por isso sempre combinam os horários para saírem juntos, mas dessa vez alguém se atrasou, e eu aposto que foi a Lia. Enfim... Eles acabaram indo no outro ônibus, e como também estava cheio eu fui obrigada a permanecer aqui.

— Pessoal, pessoal! — Ouço o André, que é o coordenador de jovens, chamar lá na frente enquanto levanta os braços pedindo silêncio. Aos poucos o barulho vai se esgotando, então ele dá um sorriso simpático. — É o seguinte: nós já estamos chegando e preciso que vocês sejam muito organizados, porque esse ano outros jovens de outra igreja vão participar, como vocês bem sabem. Peguem as coisas de vocês e deixem no ponto, que em cerca de cinco minutos vamos descer. Lembrando: primeiro o pessoal da minha esquerda desce, só depois o da minha direita. Quando nos reunirmos lá vou explicar como se dará o acampamento desse ano.

— Quer que eu leve alguma coisa? — Samuel pergunta se virando pra mim.

— Não, valeu! A mala é de rodinha, nem dá trabalho. — Ele só assente e organiza as duas mochilas que trouxe.

Depois de alguns minutos sinto o ônibus parar, então André fica dando as ordens lá na frente. Depois de mais algum tempo chega a nossa vez de descer e caminhamos em direção à porta.

Levo um susto ao ver o local. É simplesmente lindo! Vejo um caminho largo delimitado por cercas e muitas árvores ao redor. Um lugar totalmente acolhedor.

Acampamento de InvernoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora