## QUATRO ANOS DEPOIS ##

Fui acordada pelo som do meu despertador que tocava cada vez mais alto até eu o desligar totalmente.

Virei a cabeça para o lado contrário e fiz um esforço para abrir os olhos. Arrependia-me todas as manhãs de me deitar sempre tão tarde mas a verdade é que acabava por fazer sempre a mesma coisa.

Empurrei os cobertores para trás e levantei o meu tronco ficando sentada na cama. Olhei á minha volta enquanto tentava pensar no que ia vestir, finalmente virei o meu corpo e pus os pés no chão.

Caminhei até ao guarda-roupa e procurei a roupa que tinha imaginado há uns segundos atrás.

Vesti-me lentamente, os meus olhos teimavam em fechar-se mesmo contra a minha vontade.

Abri a porta do quarto ainda a vestir o casaco e fui até á casa de banho. Lavei a cara com água fria para tentar acordar definitivamente. Penteei o cabelo que como sempre estava embaraçado e desci as escadas até á cozinha.

Comecei a preparar o pequeno-almoço e meia hora depois voltei a subir as escadas até ao quarto do meu irmão.

“Will, acorda!” Falei baixinho para tentar não assustá-lo. Ele abriu os olhos rapidamente e ficou a olhar para mim.

“Mana…” A voz dele soou um pouco rouca.

“Sim?!” Apoiei os joelhos no chão para conseguir ficar ao mesmo nível que ele. A minha mão viajou até ao cabelo dele e comecei a brincar com os caracóis que estavam mais enrolados do que o normal.

“Eu tive aquele pesadelo outra vez.” Tentei disfarçar a minha preocupação e continuei a mexer-lhe no cabelo. Abri um pouco a boca para começar a falar mas não encontrei as palavras certas, voltei a fechar a boca e fiquei apenas a olhar para ele.

“Vá lá, vamos embora ou chegamos outra vez atrasados!”

...

O dia passou depressa e sem que eu desse por isso já estava na última aula do dia.

“Cassie…” A voz fina que soou mesmo ao meu lado fez-me desviar o olhar da explicação do professor. Olhei para o lado para encontrar os olhos escuros da Rachel a olhar directamente para mim.

“Sempre vens comigo á festa logo á noite?” Tinha-me esquecido completamente daquela festa apesar de a Rachel ter passado as ultimas duas semanas a falar dela diariamente.

Desviei o olhar dela e voltei a olhar para o professor.

“Não me apetece muito Rachel, desculpa.”

“O que?” O tom de voz dela mostrava que ela estava realmente desapontada comigo.

“Desculpa.” Tinha quase a certeza que ela não ia desistir assim facilmente.

“Eu passei duas semanas a convencer-te a ires comigo á festa mais importante da minha vida e agora tu dizes-me que não te apetece?”

“Desculpa”

“Já disseste isso.”

“Então o que é que queres que diga mais?” Estava demasiado cansada para manter uma conversa.

“Que vais, como é óbvio.” Segurei a minha cabeça com a mão e apoiei o cotovelo na mesa.

“Não me vais perdoar se não for pois não?” A cabeça dela acenou rapidamente oferecendo-me um longo não. “Está bem Rachel eu vou contigo!” Ela enrolou os braços á volta do meu corpo e abraçou-me sem esconder a felicidade.

“Obrigada, obrigada, obrigada! És a melhor amiga do mundo.”.

O sentimento de arrependimento tinha-se apoderado totalmente de mim.

Estava sentada num sofá, num dos cantos da enorme sala completamente cheia de pessoas. Não se ouvia nada para além da música que não podia estar mais alto.

Estavam todos a divertir-se imenso a beber até ficarem bêbados, todos menos eu. Não conseguia achar divertido beber até ficar com ressacas ou usar drogas para sentir 5 minutos de ‘prazer’ como eu vi algumas pessoas a fazerem ali mesmo na sala.

Levantei-me do sofá e caminhei até encontrar a Rachel. Ela estava a dançar com um rapaz no meio da multidão, aproximei-me dela e puxei-lhe o braço para conseguir a sua atenção.

“Vamos embora Rach!” Ela virou-se totalmente para mim e soltou uma gargalhada.

“Não te estás a divertir Cassie?” Ela estava, evidentemente, bêbada como todos os outros.

“Rachel eu vou-me embora. Tem cuidado!” Dei meia volta e tentei encontrar a porta de saída.

A brisa da noite fez os meus cabelos agitarem-se. Finalmente consegui respirar ar fresco.

Percebi que a Rachel não tencionava voltar para casa comigo por isso comecei a andar sozinha pelas ruas escuras.

(Então eu sei que não tenho leituras quase nenhumas, mas mesmo assim decidi que vou continuar a publicar os capitulos. Se por acaso leram este capitulo e estão a ler isto neste momento só queria agradecer-vos imenso porque isto é mesmo importante para mim. Podem mandar as vossas sugestões ou as críticas por comentários ou por mensagens. Obrigada por tudo, ly <3 )

GhostsRead this story for FREE!