2. Two 'B's.

72.3K 7.1K 26.8K
                                    

 

    "Abby, venha aqui, por favor!" Louis o chamou diretamente da mesa de dois lugares. Ele mordeu seu lábio enquanto pensava, pensando em o que mais escrever em suas listas.

    Dois dias atrás, Harry se ofereceu para ser babá de seu filho -em troca de aulas de como cozinhar.

    Ontem, depois do trabalho, Louis o ligou e eles concordaram em Harry vir hoje para conversarem sobre cuidar de seu filho -em troca de aulas de como cozinhar.

     Só porque Harry era especial, só porque Harry era uma raridade e muito respeitado, não significava que Louis podia confiar nele. Ele não podia apenas entregar seu filho a um estranho, especialmente se Abraham não se sentisse confortável. Louis precisava garantir que Abraham estava tão seguro com Harry quanto estava com ele mesmo -ou até mais.

    Louis tinha que ser assim -ele não podia cair por outra fachada de olhos simpáticos e um sorriso -o que Harry tinha. Olhos verdes -sem sorriso, o que deveria o preocupar, mas não aconteceu.

    Até agora Louis tinha escrito duas listas separadamente. A primeira sendo sobre Abby, horas de ir dormir, refeições, sua personalidade e outras coisas. A segunda sendo sobre duas receitas simples; arroz e frango e o favorito de Abby, macarrão com queijo caseiro.

    Louis estava um pouco nervoso por outras razões; ele não havia falado com Abby sobre isso -o que ia acontecer agora. Mas também, desde o divórcio, Louis não teve nenhum homem alfa em sua casa. Louis não conseguia saber por quem ele temia mais, Abby ou ele mesmo. Ele não sabia se era porque CJ o traumatizou, ou porque estava com medo de deixar isso acontecer tudo de novo.

     Desde aquele tempo, ele havia se tornado um ômega forte. Louis ainda era tímido às vezes -às vezes ele chorava de noite, às vezes ele ficava inquieto -certificando-se que sua porta estava trancada a todo minuto. Certificando-se que o mal se mantivesse pra fora -mesmo que o mal tivesse uma ordem de restrição contra si.

    Louis trabalhou continuamente pelo período de três meses de inferno. Procurando por um emprego que o permitiria levar seu filho junto, para manter sua sanidade para o seu filho. Louis tentava sempre sorrir ao redor de Abby, mesmo que o garoto nunca sorrisse de volta. Isso não importava, porque Louis estava sorrindo -se Louis estava sorrindo, então eles estavam seguros.

    Abraham não sorria.

    Louis realmente não se lembra alguma vez que ele sorriu, a parte de quando ele era muito novo e CJ estava no trabalho. Ele não era um garoto raivoso, facilmente assustado -sim, emocional -extremamente. Abraham era o gêmeo de Louis, por dentro e fora.

    Agora era muito importante.

    Era logo após o café da manhã e ele queria saber da entrada de Abraham. Louis estava preocupado sobre como ele aceitaria isso, especialmente quando descobrisse que Louis não estaria com ele todos os dias. Mas Louis precisava disso -eles precisavam disso, tanto. Se ele pudesse achar um segundo trabalho, ele poderia guardar dinheiro o suficiente, voltar para o tribunal e falar sobre recusar a pensão alimentícia. Abby e ele poderiam se mudar para o Alaska, como ele sempre quis, e não teriam nenhuma ligação com esse lugar. Abby poderia começar a ir a escola, fazer algo por ele mesmo -algo que Louis desejava ele mesmo ter feito. Eles poderiam começar de novo e felizes, longe de qualquer memória do que foram.

Alaska era o que foi prometido a ele quando se casou, Louis era tão agradecido por eles nunca terem ido -nunca tiveram a oportunidade de arruinar um lugar tão bonito.

Cold Little HeartOnde as histórias ganham vida. Descobre agora