Doze

11.5K 886 88
                                    

- Eu não vou ir se o seu irmão for _ eu falava com a Kiara pelo celular.

- Mas por que? Vocês não estão juntos.

- Sabe que não, eu não vou e pronto. Eu não vou aguentar ficar três dias com ele na mesma casa.

- Você não precisa necessariamente ficar perto dele.

- Se ele fica fazendo questão disso..

- Ah Louise, para de graça; você vai ficar fazendo oque aqui nesse morro sozinha?

- Por que ele não fica?

- Ele sempre vai, hein amiga, vamos; vai ser legal.

Nossa, eu estava me imaginando naqueles bloquinhos bebendo, dançando, ficando louca beijando um boy bem magia.. É disso que eu estou precisando.

Eu estava terminando de colocar meus acessórios na mala quando alguém começa a buzinar lá em baixo.

- Bora Louise inferno! Vai levar a casa nas costas caralho _ Eu Olhei pela janela e era o lc, ele não parava de buzinar.

- Para de apertar essa porra! Eu não me apressar por causa de você_gritei de volta, os vizinhos deviam estar loucos com a gritaria logo de madrugada.

- Eu vou sem você hein_ Ameaçou sair.

- Pode ir, eu vou ir com a Kiara.

- Tu vai comigo, desce logo._ Na cabeça dele ele só pode achar que eu sou filha dele nao é possível.

Eu desci sozinha com a mala pelas escadas por pouco o peso não me arrastou escada abaixo.

Eu bufei quando ele nem ao menos desceu pra me ajudar.

- Quer ajuda ai loirinha? _ ele perguntou colocando a cabeça pra fora.

- Não precisa_ Eu estava quase me cagando pra jogar ela no carro.

Ele desceu do carro, eu ainda estava naquela de " Me deixa eu não preciso de você"

- Perai_ Ele me deu um leve empurrão - Parece maluca.

Enquanto ele colocava eu fui entrando no carro e me sentei no banco de trás, era bom que eu dormia viagem inteira.

- Vai Louise senta aqui mano. _ ele olhou pra trás.

- Eu quero ficar aqui, eu vou dormir.

- Senta aqui no carona, não consigo dirigir assim_ Eu continuei sentada não dá pra dormir direito na frente. Nem que deite o banco.

- Vem logo louise porra, tu também tira a paciência de qualquer um.

- Eu não vou, olha como você fala comigo._ Engoli o choro, sou muito sensível.

- Vem neném, senta aqui do meu lado_ Ele deu um tapinha no banco.

- Eu não vou conseguir dormir aí, meu pescoço vai doer.

- Qualquer coisa você deita no meu colo_ safado! Não perde uma oportunidade.

Por que eu gosto tanto desse lado dele?

Eu fui, no caminho eu coloquei um CD que ele tinha lá de rap era o único. Antes rap do que Tb desculpem os funkeiros, quando tocou A Dama e o Vagabundo eu fiz cara de paisagem.

" Ele chegou juntinho no ouvido ela caiu ele ratinho de desenrolo ela beleza indescritível e começa uma história de amor impossível"

Tipo começou a tocar várias músicas que combinavam muito com a gente.

Eu não aguentei aquela pressão e mudei a música, pra uma bem menos direta com uma vida muito boa.

- Aí Louise_ Eu olhei pra ele- Vamo parar de ficar brigando_ ele alisou o meu cabelo sem tirar os olhos da estrada. - Esses dias aqui tem que ser de paz._ Suas mãos pousaram na minha coxa e o seu polegar fazia carinho em mim.

Eu soltei um ar pesado de nervosismo e assenti colocando minhas mãos na dele também.

Quando chegamos eu já estava coberta com um casaco dele e ele estava tirando as malas do carro.

Eu andei pela casa deslumbrada, era grande com piscina, duvido que com um salário mínimo um trabalhador conseguiria montar uma casa dessas. Infelizmente essa é a nossa realidade.

- Vem por aqui_ Ele entrelaçou nossas mãos, eu olhei pra ele assutada mas ele não viu.

Faltou ar por aqui foi?

Ele me deixou no quarto e deixou minhas malas lá comigo. Eu me sentei na cama pronta pra dormir de novo depois de um banho é claro.

Depois de eu ter tomado o banho, ainda enrolei e fiquei sentada na cama vendo o celular.

Ele entrou no quarto com as malas dele.

- Vou ter que ficar aqui. _ Ele já foi tirando a blusa o short pra ir tomar um banho; estava um calor dos internos.

- Não tem quartos suficientes nessa casa? _ Eu disse enquanto ele caminhava para o banheiro.

Pelado.... Para tudo que bunda é essa!!! coisa de Deus mesmo.

- Tem uns quatro casais aí na casa_ E nós somos um casal pra dormir juntos ?

Vai dar merda, tô sentindo.

- Fica de boa que eu não vou te estuprar.

O problema não é esse, o problemas é eu me apaixonar por você só isso.... Nada demais, coisinha boba.

Eu liguei a TV o ar, e comecei a arrumar minhas roupas.

- Arruma as minhas aí, não precisa dobrar só enfia tudo.

- Eu não sei enfiar tudo, eu sei dobrar.

- Segura a roupa com uma mão e com a outra tu fecha a porta._ Ele disse deitando todo espaçoso na cama.

Depois que eu terminei eu ainda continuei conversando com a Kiara pelo whatsapp.

- Pra quem não queria ficar perto dele, até no mesmo quarto está.

- Só porque não tem quarto disponível na casa.

- Aé nao tem, esqueci.

- Se você deixar eu ficar com você nesses dias.

- Amiga, eu estou com o boy, é papo sexo nesses três dias. A menos que você queira fazer menage.

SA porra é doida.

- Para de ser ridícula garota_ Eu me assustei com o lc agarrando minha cintura, eu ainda estava sentada na cama de costas pra ele.

-Vem deitar e desliga esse celular, a luz nao tá me deixando dormir._ ele disse todo manhosinho.

- Eu estou conversando_ Eu disse - Com quem?_ Ele se sentou e olhou por cima do meu ombro e eu escondi o celular.

- Por que eu não posso ver?

- Porque não é da tua conta.

Ele deitou de novo resmungando eu deitei alguns minutos depois virada de costas pra ele.

De madrugada ficou frio demais então os dois procuraram um ao outro.

- Nunca dormi com uma mina sem transar, sinta-se privilegiada loirinha.

- Você vai fazer isso por três dias meu amor. _ Me virei de frente pra ele de olho naquele maldito celular.

Em menos de segundos já estávamos nos beijando com direito a mão boba.
Mas acreditem que não passou disso.

A Protegida.Onde as histórias ganham vida. Descobre agora