36°Capitulo

2.6K 186 35

Abri meus olhos já estavam em uma quarto, olhei para o lado minha mãe estava lendo alguma revista sentada na cadeira do acompanhante. 

— Bom dia. — Falei. 

— Bom dia mamãe do ano. — Ela sorriu e se aproximou. 

— Cadê meu pequeno? — Perguntei. 

— Daqui a pouco elas trazem ele aqui. Como está se sentindo?

— Estou bem mãe. 

— Filha, eu queria te fazer uma pergunta...

— Pode falar. — Olhei para ela.

— O Kaleo... Ele é mesmo filho do Mateus? — Eu fiquei em silêncio. — Eu já te contei por que seu nome é Kaila né? — Assenti. — Qual nome do menino que foi preso, que estava com você?

— Leonardo... — Minha mãe assentiu. Não sei como ela chegou a aquela conclusão. — Mãe eu...

— Calma, o Mateus sabe disso? — Ela perguntou calmamente.

— Sabe. 

— Aquele menino, ele te ajudou muito né?

— Ele matou o pai dele para me salvar, ele se entregou para eu voltar para casa, é eu acho que apesar de tudo, ele me ajudou muito. — Forcei um sorriso. — Mas acabou, Kaleo foi a única coisa que sobrou daquilo tudo. 

— Você não sabe do futuro...

— O que a senhora está querendo dizer?

— Que a vida, não é conto de fadas, que acontece tudo na hora queremos e como queremos. Tudo tem seu tempo, quem sabe o destino ainda esteja preparando algo para vocês? — Eu acabei sorrindo, lembrei do que ele disse na carta sobre o destino. 

— Meu pai nunca iria aceitar, na realidade eu achei que a senhora surtaria. 

— Eu percebi desde a hora que ele me ligou, que ele realmente se importava com você.

— Ele te ligou? Como assim?

— Ele me ligou em madrugada, dizendo que vocês estavam em perigo, e que ele não iria deixar nada de ruim te acontecer, pediu para eu chamar a policia e encontrar ele, onde vocês foram encontrados. 

Eu fiquei em silêncio, até que a porta abriu e enfermeira entrou com Kaleo no colo. Peguei o mesmo, ele segurava no meu dedo e apertava, ela engraçado as caras que ele fazia, eu estava uma mãe muito babona. 

2 anos depois...

Muita coisa mudou, Kaleo agora está com dois anos, nunca vi criança tão imperativa, ele está aqui, é só piscar que estar em cima de alguma coisa, mas meu filho é a coisa mais lindo do mundo. Agora estou fazendo faculdade de moda, acabei de consegui estágio, minha mãe concordou em ficar com Kaleo para que eu não perdesse essa oportunidade, em falar nisso, estou morando sozinha. Nada melhor do que ter minha privacidade, meu canto, minhas coisas, tudo meu. 

— Kaleo, vamos. 

— Para onde mamãe?

— Para casa da sua vó. — Peguei sua mochila e a chave do carro.

Apesar de estar começando minha vida de independente, não tinha grana para me bancar assim, então no meu aniversário de 18 anos meu pai me deu um carro e meus avós me deu esse apartamento onde estou morando. 

— Kaleo, eu vou me atrasar por sua causa. — Falei saindo do apartamento.

— Calma mamãe, está muito nervosa.

Ele apareceu na porta, com seu carrinho e descemos pelo elevador, andei até o estacionamento, coloquei as coisas dentro do carro, e seguimos para casa dos meus pais. Cheguei buzinando, minha mãe apareceu no portão. 

— Vai lá com a vó meu amor, se comporta. — Dei um beijo em sua testa. 

— Papai Mateus vai vim me buscar? — Assenti. — Eba. 

Mesmo com Mateus sendo contra, eu sempre disse ao Kaleo que o Mateus não era pai dele de verdade. Mas ele insistia em chamar o Mateus de pai. 

— Agora vai logo. — Botei sua mochila em suas costas.

Abri a porta do carro e ele saiu correndo até minha mãe pegar ele no colo. 

— Mas tarde o Mateus vem buscar ele. — Grite da janela do carro e minha mãe assentiu.

— Boa sorte lá hoje. 

— Obrigada, te amo.

— Também te amo.

Dei partida no carro, até chegar ao prédio, subi correndo porque se eu demorasse mais um pouco chegaria atrasada. Assim que cheguei, a recepcionista me indicou para onde eu deveria ir, no final deu tudo certo. Era um estágio remunerado, e meio período, perfeito para mim. Ouvi meu celular tocar, era uma mensagem do Mateus, dizendo que não iriamos buscar o Kaleo, que ele havia reservado uma mesa, em restaurante e que havia uma surpresa para mim. Havia acabado de chegar ao restaurante, a recepcionista me indicou qual era a mesa, Mateus já estava sentado me esperando, me aproximei cumprimentei o mesmo com um selinho e sentei na cadeira que estava na sua frente.

— E ai amor, como foi lá? — Mateus perguntou.

— Ótimo, é remunerado e meio período, perfeito para mim. 

— Parabéns amor. — Ele sorriu e segurou na minha mão. — Essa semana vou viajar, não muito longe vou para São Paulo. Queria levar o Kaleo, mas para isso você terai que ir junto.

— Mateus, agora nem pensar. Estágio, faculdade, casa, não dá.

— Tudo bem, é que eu prometi que iria levar ele em algum jogo. 

— Não prometa o que não pode cumprir. 

— Ta bom dona grosseria. — Ele soltou minha mãe e se ajeitou na cadeira.

— Já fez o pedido? Estou com fome.

— Já fiz sim, normal você vive com fome.

— Chato.

O garçom apareceu com nossos pedidos, eu e Mateus sempre vinhamos aqui, então ele sabia o que eu sempre pedia, eu não curto muito experimentar coisas novas, prefiro o de sempre, porque eu já tenho certeza que vou gostar. Terminamos de comer, Mateus pediu a sobremesa, assim que chegou era um bolinho de chocolate, com algumas coisas, não sei o nome disso.

— O que é isso? — Perguntei.

— Você gosta tudo que é de chocolate.

— Isso é verdade.

Sorri e dei a primeira mordida no bolinho, senti algo duro, mastiguei a parte que estava na minha boca e olhei para o bolinho, vi algo brilhar no mesmo, Mateus me olhava comum sorriso de orelha a orelha. Fui perceber que era uma aliança dourada e grossa. 

— Então, eu disse que eu tinha uma surpresa para você... — Ele sorriu e segurou na minha mão. — Quer casar comigo?

A primeira coisa que pensei foi no Leonardo, que eu ainda o amava, mas eu não sei se um dia as coisas entre nós fosse dar certo, e se esperasse por ele, e der tudo errado? Eu não sei. Mateus tem sido uma ótima pessoa, tanto para mim como para Kaleo. 

— Eu aceito, é eu aceito me casar com você. 

Amores tive tempo e decidi acabar hoje com a historia!!

E entao querem mata-la??

hahaha até ja :) Bjs :*

Proibida para mimLeia esta história GRATUITAMENTE!