Capítulo Único

49 5 10
                                                  

Eles eram namorados há bastante tempo mas sempre parecia que tinham começado recentemente. É a coisa mais linda de se ver pois John é apaixonado por ela em todas as suas formas.

- Você coloca o dedo aqui e aqui. - Ajeitou os dedos dela no baixo. - E depois você os posiciona mais embaixo.

- John, você sabe que eu sei tocar. - Sorriu.

- Eu sei, Carol. Mas eu gosto de te ensinar.

Ela estava sentada entre as pernas dele com o contrabaixo, John a abraçou depositando um beijo em sua bochecha. Carol virou de frente com ele deixando o instrumento, seus lábios instantaneamente se chocaram com os dele em um beijo calmo. Seus corpos envolvidos em todo o amor que tinham um pelo outro.

- Eu te amo, Deaky. Você nem sabe o quanto.

- Sei sim, porque te amo na mesma intensidade. Todos os seus jeitos e tiques, sua voz, seus olhos, seu sorriso...

Mais uma vez se deixaram levar pelo ósculo, seus dedos ágeis de baixistas percorriam todos os lugares possíveis. Logo roupas não eram mais necessários porque ambos só queriam sentir o calor um do outro.

- John... - Carol sussurrou.

- Sim, meu amor?

Ele continuava a beijar o pescoço da jovem, ele adorava fazer as trilhas pelo corpo dela, adorava ouvir seus gemidos de prazer e satisfação, eram as melhores notas que seus ouvidos podiam ter. Com todo cuidado, Deaky penetrou dois dedos, movimentou lentamente até ela começar a rebolar neles, enquanto isso ele entretia com beijos e chupões pelos seus seios e ela adorava isso mais do que tudo, puxava os fios ruivos de tanto prazer que John lhe dava.

- John, anda logo com isso.

Ele sorriu, daquele jeitinho que faz ela perder qualquer sanidade que tinha naquele momento. Voltou a brincar com os lábios dela, enquanto posicionava seu membro e com todo cuidado se escondeu naquele local quente.

- Você está incrível, Carolyn. - Começou a se movimentar.

- Igualmente, Deaky, maravilhoso como sempre.

John foi aumentando suas estocadas, conforme a garota pedia por mais e mais, trocaram de posições várias vezes, exploraram o corpo um do outro experimentando várias sensações e desejos. E por fim, chegaram ao seu ápice juntos, ele caiu ao lado dela puxando-a para um abraço.

- Você é a minha vida, Carol. Sabe disso né?

- Claro que eu sei, bobinho. Eu te amo, meu baixista favorito.

- E eu você, minha linda mulher. Podemos praticar mais algumas notas de baixo depois, se você quiser.

Ele não obteve resposta, se afastou um pouco para olhar o delicado rosto e a encontrou dormindo. Se ajeitou melhor para se enrolar nela e descansar um pouco também. "Como sou sortudo", pensou antes de cair no sono gostoso que so tinha ao lado dela.

Only Bass - John DeaconOnde as histórias ganham vida. Descobre agora