A primeira semente

17 1 0
                                    

Depois de muito andar finalmente cheguei na rodoviária ,me sentei em umas cadeiras que tinham por ali, não havia quase ninguém por lá, talvez porque já era de madrugada, então peguei meu bloquinho de notas que levava comigo, e um pequeno diário de bordo, e comecei a por no papel por onde eu começaria, na história, seriam 4 sementes uma em cada canto, então talvez eu devesse começar pela que estivesse mais próxima de mim, a semente da terra, a qual  caiu no ocidente, mas afinal, em que lugar do ocidente? A história não deixava tão clara a localização, naquele momento eu já estava pensando em ir correndo pra casa e fingir que não tinha tomado essa ideia maluca, mas peguei o meu celular e fui procurar pela internet se tinha alguém por aí que havia escrito algum relato ou teria visto aonde essa semente poderia estar, ou pelo menos me dar um ponto mais especifico de onde ela poderia estar, depois de alguns minutos de pesquisa, achei um fórum muito antigo na internet aonde tinha algumas poucas pessoas que estavam relatando a presença de fortes tremores na região que moravam, alguns terremotos constantes e que não julgavam aquilo como normal por sempre ocorrerem diversas vezes durante os dias, diziam ser diferentes dos demais terremotos, talvez alguém que tivesse lido normalmente acharia que eles seriam loucos, como assim terremotos diferentes de outros?Mas pra mim, talvez essa seria um pista de onde começar minha busca, fui ver de onde eram aquelas pessoas que diziam aquilo, e elas moravam em um país próximo do México chamado El Salvador, num estado chamado Cuscatlan, mas isso ficava na América Central e eu estou no momento na América do Sul, bem na parte inferior ainda do Brasil, como que vou conseguir chegar até lá. 


Foi então que uma senhora sentou ao meu lado perguntando o que eu estava fazendo ali sentado uma hora daquelas, expliquei minha história de que eu estava largando toda minha vida ali na cidade por um tempo pra buscar uma nova aventura e quem sabe comprovar a existência de uma certa história antiga, por alguns momentos ela começou a me olhar estranho mas, acho que ela entendeu o meu lado e me perguntou se eu tinha dinheiro pra conseguir realizar esse sonho, disse que tinha pouco, mas que não seria suficiente pra chegar até aonde eu queria, foi quando ela abriu sua bolsa e me deu o dinheiro da passagem, dizendo pra eu pegar, porque ela confiava que eu era uma boa pessoa  e que usaria aquilo de uma maneira justa e por uma boa causa, e que queria me ver conseguindo realizar esse sonho, eu queria chorar naquele momento, ninguém nunca fez algo do tipo por mim, nem sequer quem já me conhecia, agora nessa madrugada, uma pessoa que eu nunca vi, me faz tamanha caridade, minha esperança e motivação só crescia a cada minuto, agradeci imensamente ela, dizendo que o que ela fez não teria com eu recompensar, ela só me disse que quando eu retornasse, eu lembrasse dela, claro que vou recordá-la, a pessoa que me ajudou a dar o pontapé inicial nisso tudo, "fique tranquila, vou lembrar da senhora por toda minha vida" fui correndo até a moça que vendia as passagens, comprei uma e por sorte havia uma empresa que já fazia serviços internacionais e poderia me levar bem próximo do meu destino, porem o ônibus só partiria de manhã, não teria escolha, não poderia voltar pra casa para dormir e depois retornar até aqui de manhã antes de todos acordarem, passei a noite ali mesmo, deitado sobre as cadeiras. Passado algumas horas, acordo com aquela mesma moça me cutucando dizendo que meu ônibus teria chegado e que o embarque já estava sendo realizado, agradeci e entrei no ônibus, haviam mais algumas pessoas que também estavam indo pra fora do país mas ninguém que eu conhecesse, enfim o ônibus partiu, cortamos o Brasil do sul ao norte, saindo lá na Colômbia e os países que nos ligariam com a América Central, passamos pelo Panamá e chegando na Costa rica, ultimo destino daquele ônibus, todos descemos, mas eu ainda precisava ir mais longe, afinal El salvador fica após a Nicarágua que fazia fronteira com a Costa rica, mas isso foi logo resolvido, comprei uma outra passagem que ia direto pra lá e fui, chegando lá, eu com o meu péssimo espanhol tentei perguntar sobre um local chamado de Cuscatlan, região de onde vinham os terremotos, me disseram que não era muito longe e com algumas horas de caminhada eu chegava lá me coloquei a seguir o caminho rumo a tal lugar, estar ali pra mim já era algo sem duvidas inesquecível, novos ares, novas pessoas, culturas, queria que a minha amiga estivesse aqui comigo pra eu poder ter com quem compartilhar esses sentimentos, foi quando tive uma ideia, mandar um cartão postal pra ela, eu acho que ela ia gostar de receber um, então achei uma lojinha de souvenir que tinha ali próximo a beira da estrada, comprei e escrevi pra ela dizendo aonde eu estava e o quão animado eu estava em poder estar prestes a tentar achar a primeira semente se tudo desse certo, depois de enviar o cartão, voltei a minha rota. 

Chegando no lugar que me disseram, havia um pequeno povoado por ali, pessoas simples, casas simples, cheguei próximo a uma criança e perguntei se tinha algum responsável por ali, ela foi correndo chamar o seu pai, acho que não fui bem claro na verdade, mas talvez ele possa me ajudar, o pai da criança foi super amigável e me perguntou se eu era de fora, se estava perdido ou procurando algo, disse que sim, que eu era vindo do Brasil e estava em busca de saber mais sobre alguns tremores que havia ouvido falar em alguns boatos, ele me disse que todos os dias esses abalos são constantes, em alguns dias mais fracos, outros mais fortes, mas que não entendia a razão daquilo ser tão rotineiro, e antes mesmo de ele continuar falando, um primeiro terremoto começou a tomar forma, eu nunca tinha passado por um experiência de terremoto afinal no Brasil não tem muitas chances de se ter um, fiquei apavorado mas ele me disse pra eu ter calma que já iria passar, era como se algo estivesse passando correndo por debaixo dos nossos pés, e fizesse a terra toda tremer, enfim o primeiro abalo teve fim e todos voltaram a fazer o que estavam fazendo antes do ocorrido, mas na minha cabeça algo tomava forma, eu nunca tinha visto um terremoto pessoalmente então não sabia a sensação mas eu podia sentir que tinha algo muito estranho por debaixo daquela terra, perguntei se pelas redondezas não havia alguma caverna ou gruta que levasse ao subsolo, ele me disse que no meio da floresta próximo ao povoado diziam que havia uma entrada de caverna, mas que ninguém em sã consciência entrava lá, ela era muito profunda e não se tinha ideia de que bichos poderiam morar por lá, mas minha imaginação tinha sim uma ideia de quem poderia estar morando lá, falei que tinha que ir e me despedi daquele bom rapaz, ele disse pra me cuidar e me emprestou uma corda pra caso eu precisasse usar dentro da caverna. 

Já dentro da floresta, eu olhava de um lado ao outro, era estranho, não havia sequer um animal por ali, nem pássaros, somente um silêncio muito perturbador, após alguns minutos encontrei algumas formações rochosas como grande estacas de pedra apontadas pra cima, e entre elas uma fenda que poderia ser a tal caverna, liguei minha lanterna e comecei a adentrar, estava muito escuro lá dentro, mau se enxergava, cada vez ela descia mais e mais fundo, será que eu estava indo pelo caminho errado? Será que esse lugar tem a ver com a semente? Será que foi aqui mesmo que ela teria caído..? Foram perguntas que eu fazia a mim mesmo a toda instante, quando do nada, uma sombra passa muito depressa em frente a minha lanterna, ela cruza na minha frente de uma lado ao outro, era algo muito maior que eu, talvez se comparasse ao tamanho de um elefante. Eu já estava ali então porque não seguir em frente e investigar, se aquilo fosse uma das criaturas, isso já teria valido muito a pena, ao virar em uma bifurcação segui em frente e me deparo com um local sem saída, ao virar a lanterna de costas, lá estava aquela enorme sombra me encarando de longe, eu ainda não identificava o que era, mas ela começava a se aproximar de mim e eu não sabia mais se queria continuar com isso, mas agora era ficar ou ficar, enfim ficamos a cara a cara, não sabia muito bem o que era aquilo mas era uma criatura branca com amarela, com algumas folhas em seus pés e na cabeça, além de ser 2 vezes o meu tamanho, ele não falava nada só ficava ali parado, eu soltei um "oi" só para ver o que ele faria, foi quando ele virou e saiu correndo, e ao correr ele fazia a terra toda tremer, pelo menos a causa do terremoto eu já teria supostamente desvendado, mas seria ele o tal ser que controlaria a terra ou somente um animal que vive ali e nenhum cientista sabe da existência ate hoje? Naquele momento eu só não queria perder ele então comecei a correr em direção dele e por onde ele passava, se percebia que a terra sentia a presença dele e começava a tentar protegê-lo, ou talvez ele mesmo com o poder que tinha usava da terra pra se proteger, enfim ele chega em um canto sem saída oposto ao que estávamos antes, vendo que estava de certa forma encurralado, ele ergue uma parede de pedra entre nós dois para que eu não possa chegar perto, eu me aproximo da parede e tento me comunicar com ele dizendo que não quero o seu mau, que sou somente uma pessoa que quer conhecê-lo melhor e que busca encontrar e quem sabe reunir as 4 sementes novamente, e que por um milagre já teria conseguido encontrar uma delas que no caso era ele, mas que precisava de sua ajuda, ele não me respondia, talvez ele não conseguisse mesmo, mas eu esperei, depois de um tempo a parede se desfez, lá estava ele, perguntei se ele aceitava ir comigo atrás de seus 3 companheiros, ele pegou um de seus dedos e começou a fazer uns desenhos na parede da caverna, algo que soava como se ele tivesse medo  das coisas da superfície e que ele sentia que não estava sozinho no mundo, mas não fazia ideia de como encontrar esses outros seres que seriam sua família, então disse a ele que eu tinha essa informação, e que a gente podia ao menos tentar encontrá-los, eu sabia que ele era somente "um animal", mas eu podia ver que ele parecia muito animado com a ideia, nem preciso falar também o quanto maravilhado eu estava, eu tinha encontrado uma das quatro criaturas da história, ou seja, aquilo poderia sim ser realmente real, afinal uma delas estava ali, em pé na minha frente, então as outras também podem estar escondidas vivas e se depender de mim agora com a ajuda desse meu mais novo companheiro, a gente vai encontrar cada uma delas, pode ter certeza disso...

Chegaste ao fim dos capítulos publicados.

⏰ Última atualização: Jan 14, 2020 ⏰

Adiciona esta história à tua Biblioteca para receberes notificações de novos capítulos!

As 4 sementesOnde as histórias ganham vida. Descobre agora