𝑪𝒂𝒑𝒊𝒕𝒖𝒍𝒐 𝒄𝒊𝒏𝒒𝒖𝒆𝒏𝒕𝒂

2.4K 282 144
                                    

𝙈𝙖𝙮𝙖 𝘽𝙤𝙪𝙧𝙣𝙚

Rafe está dirigindo por volta de uns dez minutos e começo a ficar confusa de para onde ele está me levando. Pensei que seria apenas uma conversa tranquila do lado de fora da minha casa, mas não. Agora estamos indo para algum lugar que eu não sei.

― Vai demorar muito? ― olho para ele.

― Estamos quase chegando, por que? ― ele me olha brevemente e volta seu olhar para a estrada.

― Porque abandonei minha festa de dezoito anos e não quero correr o perigo de voltar e não ter mais uma casa. ― ele ri.

― O Topper e o Kelce vão cuidar da casa, não se preocupe.

― Eles sabiam que você iria até a minha festa?

― Claro que sabiam. Eles sempre sabem.

― Que cretinos! Vou matá-los. 

― Então eles estão com sério problemas, ameacei os dois de morte caso contassem que eu iria. 

Nós dois rimos e eu fiquei um tempo analisando o seu rosto. Ele está com seus olhos focados na estrada e sua mandíbula está travada, ele parece estar cada vez mais ansioso. Ele percebe meu olhar e me olha de relance e sorri suavemente.

― Que foi? 

― Nada. Só estou pensando. ― desvio o olhar dele e foco na estrada. 

― Chegamos. ― ele estaciona o carro na frente de uma cabana e me olha. ― Por que está com esse olhar?

― Não faço ideia de aonde estamos. 

― Você vai gostar… eu acho. 

Ele fica me olhando alguns segundos, talvez deva estar esperando alguma reação da minha parte. 

― Pare de me olhar assim. ― olho para ele.

― Por que? Tá ficando intimidada?

― Parece que você vai me matar. ― ele começa a rir fazendo um pequeno sorriso surgir no meu rosto também. ― É a cena de crime perfeita. 

― Eu vou te matar, mas de uma forma boa. ― ele tira o cinto de segurança sem desviar o olhar do meu. 

Desvio meu olhar do seu e tiro meu cinto também e desço do carro. É uma cabana bem afastada das outras, ela não é muito grande, mas parece ser confortável. Paro atrás de Rafe enquanto ele abre a porta. Ele se afasta um pouco e eu entro antes na cabana.

A decoração é discreta e muito aconchegante. Rafe fecha a porta e para atrás de mim. 

― Gostou? 

― É lindo, mas por que estamos aqui? ― ele respira fundo e coloca uma mão nas minhas costas.

― Vamos para o lado de fora. 

Nós caminhamos até a porta dos fundos e Rafe para na minha frente.

― Fecha os olhos. 

― O que está tramando, Cameron? 

― Você vai gostar, eu prometo. 

― Vou confiar em você. ― falo em um tom desconfiado e fecho meus olhos.

Ouço o barulho da porta sendo aberta e Rafe caminha para perto de mim. Sinto seu corpo parar atrás do meu e por mais que eu queira muito abrir os meus olhos, resolvo me conter para não estragar a surpresa.

Rafe coloca suas mãos delicadamente na frente dos meus olhos e nós começamos a andar para frente. Vou tocando na porta e me segurando em tudo o que as minhas mãos encontram. 

 ⇨ 𝐹𝑟𝑖𝑒𝑛𝑑𝑠 • 𝑅𝑎𝑓𝑒 𝐶𝑎𝑚𝑒𝑟𝑜𝑛Onde as histórias ganham vida. Descobre agora