We Aim To Please

We Aim To Please

5.2K Reads 350 Votes 5 Part Story
Clélia By cleliakm Updated Mar 11, 2017

O que acontecia dentro daquele cômodo, ficava naquele cômodo. As coisas eram assim e continuariam sendo.
Ricos, bem vestidos, estrategistas, empresários, mas, acima de tudo, os melhores jogadores. Os perfeitos jogadores. 
O jogo? Controle. O objetivo? Prazer. A finalidade? Poder.
Numa troca de interesses e jogo político entre empresas, eu era o objeto de barganha, e curiosamente aquilo tinha se mostrado mais interessante do que poderia.
Num mundo de desejo, poder, dinheiro, intrigas, estratégia, administração, prazer e controle, o jogo perfeito era aquele promovido pelo topo.
Eles apostavam e eles ganhavam. Eles planejavam e obtinham resultados. Eles dominavam e obtinham prazer.
Eu havia sido criada num jogo de poder, sabia como jogar, mas sequer havia imaginado que aquele jogo poderia ser tão delicioso quanto havia se tornado.
Em frente às câmeras eles são aliados, grandes amigos e os empresários perfeitos. Por trás eles dividem uma única mulher, um jogo de calculismo, sabotagem, tráfico, corrupção e mentiras que apenas um grupo seleto de membros tinha autorização para presenciar - e participar.
Presa entre quatro homens, cinco empresas e um único contrato, prazer era a saída perfeita.
Meu objetivo era agradar, o objetivo deles era agradar. E eu não estou falando de sorrisos. Nosso objetivo é agradar.
Eu estava no topo e, nesse instante...
Lhes apresento o jogo perfeito.

  • bdsm
  • beadles
  • bieber
  • butler
  • chaz
  • chazsomers
  • chris
  • christian
  • christianbeadles
  • dinheiro
  • empresário
  • empresários
  • justin
  • justinbieber
  • poder
  • política
  • prazer
  • ryan
  • ryanbutler
  • sadomasoquismo
  • somers
BieberEverAfter BieberEverAfter Apr 17, 2017
ta louco?? volta e senta nessa poltrona agora, bicha afrontosa
BieberEverAfter BieberEverAfter Apr 17, 2017
eu mesma, devia estar morta e estou pensando em qual fode melhor kkkkkkkk
fairysIut fairysIut Oct 23, 2016
somos alguém o suficiente para julgar o próximo, mas não julgar si mesmo